Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Festividade do dia

quarta-feira 11 setembro
Bem-aventurado Francisco João Bonifácio

Sacerdote e mártir (†1946)

LEG
Compartilhar


Padre Francisco João Bonifácio nasceu em Pirano, uma localidade italiana, na divisa com a antiga Iugoslávia, no dia 7 de setembro de 1912. Além dele, seus pais tiveram outros sete filhos. A família, profundamente católica, frequentava a paróquia dos frades franciscanos conventuais. Nessa igreja, diversas vezes, o pequeno Francisco participou nas missas desempenhando o papel de coroinha. Mais tarde, entra a fazer parte da Ação Católica juvenil, fazendo a comunhão diária e confissão semanal; em pouco tempo, sente a chamada à vida sacerdotal. Nisso é apoiado pelo seu pároco, que o ajuda a entrar no Seminário para fazer os estudos iniciais. Em 1932 começa o seminário maior e tem um desempenho notável, tornando-se um ponto de referência e apoio para os demais estudantes no seminário, que viam nele alguém capaz de ajudá-los na repetição das disciplinas do cruso teológico. Em 1936 é ordenado presbítero e é enviado para sua cidadezinha natal para desempenhar a função de pároco. Seu serviço pastoral é feito com a maior dedicação aos seus paroquianos, visitando quotidianamente principalmente os anciãos e os doentes. A região da Ístria começa a sentir diretamente o peso e a violência da Segunda Guerra Mundial no ano de 1943, quando ocorre a ocupação da região pelos alemães: a população local se encontra presa entre duas grandes frentes que, em seus confrontos, deixa um rastro de sangue e violência. De um lado o movimento popular de libertação eslavo e de outro o exército alemão e seus colaboradores. Padre Francisco não toma partido. Visita e socorre tanto um lado quanto o outro. Muitas vezes corre o risco de perder a própria vida, para dar sepultura aos mortos e atender aos agonizantes. Com o fim da guerra, a situação muda pouco: agora é a vez da mão de ferro do Marechal Tito, que inicia uma perseguição e impõe limites à prática religiosa, principalmente à fé católica. Acusado de fascista e colocado numa lista de “inimigos do povo”, Padre Francisco não se importa: continua prestando o atendimento pastoral aos seus fiéis, organizando o catecismo e a celebração dos sacramentos. No dia 11 de setembro de 1946, por volta das 4 da tarde, ele se dirige para confessar o Padre José Rocco, com quem transcorre algumas horas de conversa serena. Após um momento de oração na igreja, Padre José insiste para que Padre Francisco pernoite em sua casa. Ao decidir retornar para casa, segundo algumas testemunhas, ao longo da estrada quatro soldados se aproximam de Padre Francisco e o conduzem à força para um local ermo. Suas roupas são retiradas à força e, em seguida, começa a ser espancado impiedosamente até ser, por fim, esfaqueado e morto. Seu corpo foi jogado numa fossa. Seu corpo jamais será encontrado, restando apenas o testemunho de algumas pessoas. Foi assassinado em ódio à fé, apenas por ser um padre. Sob o pontificado de Papa Bento XVI, Padre Francisco foi declarado bem-aventurado no dia 4 de outubro de 2008.

Descubra outros santos clicando aqui

Adoremos o Senhor, pois foi ele quem nos fez
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Ó noite, ó treva, ó nuvem,
não mais fiqueis aqui!
Já surge a doce aurora,
o Cristo vem: parti!

Rompeu-se o véu da terra,
cortado por um raio:
as coisas tomam cores,
já voltam do desmaio.

Assim também se apague
a noite do pecado,
e o Cristo em nossas almas
comece o seu reinado.

Humildes, vos pedimos
em nosso canto ou choro:
ouvi, ó Cristo, a prece,
que sobe a vós, em coro.

Os fogos da vaidade
a vossa luz desfaz.
Estrela da manhã,
quão doce vossa paz.

Louvor ao Pai, ó Cristo,
louvor a vós também;
reinais, no mesmo Espírito,
agora e sempre. Amém.

Cântico Is 33,13-16

A promessa é para vós e vossos filhos, e para todos aqueles que estão longe (At 2,39).

Vós que estais longe, escutai o que eu fiz!
Vós que estais perto, conhecei o meu poder!
Os pecadores em Sião se apavoraram,
e abateu-se sobre os ímpios o terror:
'Quem ficará junto do fogo que devora?
Ou quem de vós suportará a eterna chama?'

É aquele que caminha na justiça,
diz a verdade e não engana o semelhante;
o que despreza um benefício extorquido
e recusa um presente que suborna;
o que fecha o seu ouvido à voz do crime
e cerra os olhos para o mal não contemplar.

Esse homem morará sobre as alturas,
e seu refúgio há de ser a rocha firme.
O seu pão não haverá de lhe faltar,
e a água lhe será assegurada.

Leitura breve Jó 1,21; 2,10b
Nu eu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei para lá. O Senhor deu, o Senhor tirou; como foi do agrado do Senhor, assim foi feito. Bendito seja o nome do Senhor! Se recebemos de Deus os bens, não deveríamos receber também os males?

Para os vossos mandamentos,inclinai meu coração!
Dai-me a vida em vossa Lei!

BENEDICTUS
Mostrai-nos, ó Senhor, misericórdia,
recordando vossa santa Aliança.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Oremos a Cristo que nos alimenta e protege a Igreja, pela qual deu sua vida; e digamos com fé:

R. Lembrai-vos, Senhor, da vossa Igreja!

Bendito sejais, Senhor Jesus Cristo, Pastor da Igreja, que nos dais hoje luz e vida;
– ensinai-nos a vos agradecer tão precioso dom. R.

Velai com bondade sobre o rebanho reunido em vosso nome,
– para que não se perca nenhum daqueles que o Pai vos confiou. R.

Conduzi a Igreja pelo caminho dos vossos mandamentos,
– e que o Espírito Santo a mantenha sempre fiel. R.

Alimentai a Igreja com a vossa Palavra e o vosso Pão,
– para que, fortalecida por este alimento, ela vos siga com alegria. R.

Intenções livres)
Pai nosso ...

Oração

Senhor, que nos criastes em vossa sabedoria e nos governais em vossa providência, iluminai nossos corações com a luz do vosso Espírito, para que por toda a vida vos sejamos dedicados. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Bem-aventurados vós, os pobres.

Haja vista que quase todos os homens são vítimas do orgulho, o Senhor começa as bem-aventuranças afastando o mal que dá origem à autossuficiência e aconselha a imitar àquele que se fez Pobre voluntariamente, o verdadeiro bem-aventurado, de modo que o possamos imitar por meio de uma pobreza voluntária, conforme esteja ao nosso alcance, para ter parte em sua bem-aventurança, em sua felicidade. “Tende os sentimentos próprio de uma vida em Cristo Jesus. Ele, apesar de sua condição divina, não alardeou sua condição divina, pelo contrário: despojou-se dela e tomou sobre a si a condição de escravo”. Haverá algo mais miserável para Deus do que assumir a condição de escravo? Algo mais ínfimo para o Rei do universo que compartilhar nossa natureza humana? O Rei dos reis e Senhor dos senhores, o Juiz do universo, paga impostos a César. O Senhor da criação abraça este mundo, entra numa gruta, não encontra lugar para si numa pousada e se refugia num estábulo, em companhia de animais privados da razão. Ele que é puro e imaculado toma sobre si as sujeiras da natureza humana, e depois de ter compartilhado toda a nossa miséria, chega até mesmo a experimentar a morte. Considera a desproporção de sua pobreza voluntária! A Vida experimenta a morte, o Juiz é conduzido perante o tribunal, o Senhor da vida de todos se submete a um magistrado, o Rei dos poderes celestes não se subtrai das mãos dos carrascos.

São Gregório de Nissa
As bem-aventuranças, 1
Bispo de Nissa (335?-394).

Vinde adoremos o Senhor que nos criou
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Santíssimo Deus do céu,
que o céu encheis de cor
e dais à luz beleza
de ígneo resplendor;

criais no quarto dia
a rota chamejante
do sol e das estrelas,
da lua fulgurante.

Assim, à luz e às trevas
limites vós fixais.
Dos meses o começo
marcastes com sinais.

Fazei a luz brilhar
em nosso coração.
Tirai da mente as trevas,
da culpa a servidão.

Ouvi-nos, Pai bondoso,
e vós, único Filho,
reinando com o Espírito
na luz de eterno brilho.
Salmo 126(127)

Vós sois a construção de Deus (1Cor 3,9).

Se o Senhor não construir a nossa casa,
em vão trabalharão seus construtores;
Se o Senhor não vigiar nossa cidade,
em vão vigiarão as sentinelas!

É inútil levantar de madrugada,
ou à noite retardar vosso repouso,
para ganhar o pão sofrido do trabalho,
que a seus amados Deus concede enquanto dormem.

Os filhos são a bênção do Senhor,
o fruto das entranhas, sua dádiva.
Como flechas que um guerreiro tem na mão,
são os filhos de um casal de esposos jovens.

Feliz aquele pai que com tais flechas
consegue abastecer a sua aljava!
Não será envergonhado ao enfrentar
seus inimigos junto às portas da cidade.

Glória ao Pai...

Leitura Ef 3,20-21
A Deus, que tudo pode realizar superabundantemente, e muito mais do que nós pedimos ou concebemos, e cujo poder atua em nós, a ele a glória, na Igreja e em Jesus Cristo, por todas as gerações, para sempre. Amém.

Libertai-me, ó Senhor, ó meu Deus, tende piedade!
Não junteis a minha vida à dos maus e sanguinários.

MAGNIFICAT
O Poderoso fez em mim maravilhas, e Santo é seu nome.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Bendigamos a Deus, que enviou seu Filho ao mundo como Salvador e Mestre do seu povo; e peçamos humildemente:

R. Que vosso povo vos louve, Senhor!

Nós vos damos graças, Senhor, porque nos escolhestes como primícias da salvação,
– e nos chamastes para tomar parte na glória de nosso Senhor Jesus Cristo. R.

A todos os que invocam o vosso santo nome, concedei que vivam unidos na verdade de vossa palavra,
– e sejam sempre fervorosos no vosso amor. R.

Criador de todas as coisas, vosso Filho quis trabalhar no meio de nós com suas próprias mãos;
– lembrai-vos de todos aqueles que trabalham para comer o pão com o suor do seu rosto. R.

Lembrai-vos também dos que se dedicam ao serviço do próximo,
– para que nem o fracasso nem a incompreensão dos outros os façam desistir de seus propósitos. R.

(Intenções livres)

Concedei a vossa misericórdia aos nossos irmãos e irmãs falecidos,
– e não os deixeis cair em poder do espírito do mal. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Ave Maria, gratia plena; Dominus tecum: benedicta tu in mulieribus, et benedictus fructus ventris tui Iesus. Sancta Maria, Mater Dei ora pro nobis peccatoribus, nunc et in hora mortis nostrae. Amen.
(Tradução)
Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, Bendita sois Vós entre as mulheres, e Bendito é o fruto de vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São Lucas 6,20-26.

Naquele tempo, Jesus, erguendo os olhos para os discípulos, disse: «Bem-aventurados vós, os pobres, porque é vosso o reino de Deus.
Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis saciados. Bem-aventurados vós, que agora chorais, porque haveis de rir.
Bem-aventurados sereis, quando os homens vos odiarem, quando vos rejeitarem e insultarem e proscreverem o vosso nome como infame, por causa do Filho do homem.
Alegrai-vos e exultai nesse dia, porque é grande no Céu a vossa recompensa. Era assim que os seus antepassados tratavam os profetas.
Mas ai de vós, os ricos, porque já recebestes a vossa consolação.
Ai de vós, que agora estais saciados, porque haveis de ter fome. Ai de vós, que rides agora, porque haveis de entristecer-vos e chorar.
Ai de vós, quando todos os homens vos elogiarem. Era assim que os seus antepassados tratavam os falsos profetas».

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.