Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia
Festividade do dia

quarta-feira, 14 de março
Bem-aventurado Tiago Cusmano

Sacerdote (†1888)

GIACOMO CUSMANO
Compartilhar
Bem-aventurado Tiago Cusmano

No Sul da Itália, na cidade de Palermo, o dia 15 de março de 1834 ouviu o choro de um recém-nascido: era o pequeno Tiago Cusmano, quarto filho dos cinco, que o casal Tiago e Madalena tiveram. Com apenas três anos de idade, o pequenino Tiago perdeu a mãe, vitimada por uma epidemia de cólera. Sua irmã mais velha se tornou então a educadora dos irmãos menores e transmitiu ao pequeno Tiago as virtudes cristãs. Desde criança ele é atencioso com os pobres e necessitados. É tão solícito, que em casa a dispensa tem que ser fechada a chave, do contrário o pequeno Tiago, em seu afã de ajudar os pobres, a teria esvaziado. Durante seu processo de beatificação, houve quem testemunhasse ter visto Tiago ter dado sua própria camisa a um pobre que passava frio na rua. Tiago sonha em ser missionário: de 1841 a 1851 estuda num colégio de jesuítas e durante esse período de estudos, lê assiduamente revistas sobre missionários que trabalham nos Estados Unidos. Em 1851 começa seus estudos em medicina e se torna médico. Logo fica famoso, pois com frequência atende gratuitamente os pobres que o procuram. Apesar disso, está insatisfeito: entende que curar os corpos não é o bastante. É preciso curar também o espírito. É assim que entrará no seminário de Palermo e após um intenso ano de preparação é ordenado sacerdote. Trabalhando na paróquia, logo a torna um centro de assistência caritativa. Um dia, frequentando a casa de um amigo, por ocasião do jantar, Padre Tiago vê como os convivas sentados à mesa, tiravam um pouco de comida de seu prato e colocavam num prato colocado no centro da mesa. Em seguida, viu também que esse prato era levado a um pobre que aguardava, à porta da casa. Daí teve a ideia de colocar em prática o mesmo sistema, mas em escala maior, pois pensava sobre como esse nobre gesto poderia ajudar a tantos pobres da cidade. Associou também essa ideia à eucaristia, que une pobres e ricos no Cristo Senhor. Foi assim que começou na cidade de Palermo uma obra de caridade destinada a se ampliar e a ter vários colaboradores. Após uma vida dedicada ao próximo e a mitigar a fome dos pobres, no dia 14 de março de 1888, com apenas 54 anos, padre Tiago morre vitimado por uma pleurite e em grande fama de santidade. No dia 30 de outubro de 1983 foi beatificado por s. João Paulo II.

 

Descubra outros santos clicando aqui

Oração para esta manhã

 

Cristo por nós foi tentado, sofreu e na Cruz morreu: Vinde todos, adoremos!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Ó Cristo, sol de justiça,
brilhai nas trevas da mente.
Com força e luz, reparai
a criação novamente.

Dai-nos, no tempo aceitável,
um coração penitente,
que se converta e acolha
o vosso amor paciente.

A penitência transforme
tudo o que em nós há de mal.
É bem maior que o pecado
o vosso dom sem igual.

Um dia vem, vosso dia,
e tudo então refloresce.
Nós, renascidos na graça,
exultaremos em prece.

A vós, Trindade clemente,
com toda a terra adoramos,
e no perdão renovados
um canto novo cantamos.

Salmo 107(108)

Porque o Filho de Deus foi exaltado acima dos céus, sua glória foi anunciada por toda a terra (Arnóbio).

Meu coração está pronto, meu Deus,
está pronto o meu coração!
Vou cantar e tocar para vós:
desperta, minh'alma, desperta!
Despertem a harpa e a lira,
eu irei acordar a aurora!

Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos,
dar-vos graças por entre as nações!
Vosso amor é mais alto que os céus,
mais que as nuvens a vossa verdade!

Elevai-vos, ó Deus, sobre os céus,
vossa glória refulja na terra!
Sejam livres os vossos amados,
vossa mão nos ajude, ouvi-nos!

Deus falou em seu santo lugar:
'Exultarei, repartindo Siquém, *
e o vale em Sucot medirei.
Galaad, Manassés me pertencem,
Efraim é o meu capacete,
e Judá, o meu cetro real.

É Moab minha bacia de banho,
sobre Edom eu porei meu calçado,
vencerei a nação filistéia!'

Quem me leva à cidade segura,
e a Edom quem me vai conduzir,
se vós, Deus, rejeitais vosso povo
e não mais conduzis nossas tropas?

Dai-nos, Deus, vosso auxílio na angústia,
nada vale o socorro dos homens!
Mas com Deus nós faremos proezas,
e ele vai esmagar o opressor.

Glória ao Pai...

Leitura breve Dt 7,6b.8-9
O Senhor teu Deus te escolheu dentre todos os povos da tera, para seres o seu povo preferido, porque o Senhor vos amou e quis cumprir o juramento que fez a vossos pais. Foi por isso que o Senhor vos fez sair com mão poderosa, e vos resgatou da casa da escravidão, das mãos do Faraó, rei do Egito. Saberás, pois, que o Senhor teu Deus é o único Deus, um Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações, para aqueles que o amam e observam seus
mandamentos.

Deus nos amou por primeiro, ele fez Aliança conosco.
Sem medida é a sua ternura.

BENEDICTUS
Quem escuta a minha palavra e crê no Pai que me enviou,
tema vida eternamente!

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Demos graças a Deus Pai, e supliquemos que ele purifique e confirme os nossos corações na caridade, pela vinda e ação do Espírito Santo. Digamos, pois, cheios de confiança:

R. Dai-nos, Senhor, o vosso Espírito Santo!

Ensinai-nos a receber com um coração agradecido os bens que vós nos dais,
– e a aceitar com paciência os sofrimentos que pesam sobre nós. R.

Fazei que pratiquemos a caridade, não apenas nas grandes ocasiões,
– mas principalmente no cotidiano de nossas vidas. R.

Concedei que saibamos renunciar ao supérfluo,
– para podermos socorrer nossos irmãos e irmãs necessitados. R.

Dai-nos trazer sempre em nosso corpo a imagem da Paixão de vosso Filho,
– vós que nos destes a vida em seu corpo. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Ó Deus, que recompensais os méritos dos justos e perdoais aos pecadores que fazem penitência, sede misericordioso para conosco: fazei que a confissão de nossas culpas alcance o vosso perdão. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Meditação do dia

Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, possui a vida eterna.

Queremos nós realmente isto: viver eternamente? Hoje, muitas pessoas rejeitam a fé, talvez simplesmente porque a vida eterna não lhes parece uma coisa desejável. Não querem de modo algum a vida eterna, mas a presente; antes, a fé na vida eterna parece, para tal fim, um obstáculo. Continuar a viver eternamente – sem fim – parece mais uma condenação do que um dom. Certamente a morte queria-se adiá-la o mais possível. Mas, viver sempre, sem um termo, acabaria por ser fastidioso e, em última análise, insuportável. [...] é certo que a eliminação da morte ou mesmo o seu adiamento quase ilimitado, deixaria a terra e a humanidade numa condição impossível e nem mesmo prestaria um benefício ao indivíduo. Obviamente há uma contradição na nossa atitude, que evoca um conflito interior da nossa mesma existência. Por um lado, não queremos morrer; sobretudo quem nos ama não quer que morramos. Mas, por outro, também não desejamos continuar a existir ilimitadamente, nem a terra foi criada com esta perspectiva. Então, o que é que queremos na realidade? Este paradoxo da nossa própria conduta suscita uma questão mais profunda: o que é, na verdade, a “vida”? E o que significa realmente “eternidade”? Há momentos em que de repente temos a sua percepção: sim, isto seria precisamente a “vida” verdadeira, assim deveria ser. Em comparação, aquilo que no dia-a-dia chamamos “vida”, na verdade não o é. Agostinho, na sua extensa carta sobre a oração, dirigida a Proba – uma viúva romana rica e mãe de três cônsules –, escreve: no fundo, queremos uma só coisa, “a vida bem-aventurada”, a vida que é simplesmente vida, pura “felicidade”. No fim de contas, nada mais pedimos na oração. Só para ela caminhamos; só disto se trata. Porém, depois Agostinho diz também: se considerarmos melhor, no fundo não sabemos realmente o que desejamos, o que propriamente queremos. Não conhecemos de modo algum esta realidade; mesmo naqueles momentos em que pensamos tocá-la, não a alcançamos realmente. “Não sabemos o que convém pedir” – confessa ele citando São Paulo (Rm 8,26). Sabemos apenas que não é isto. Porém, no fato de não saber, sabemos que esta realidade deve existir. “Há em nós, por assim dizer, uma douta ignorância” (docta ignorantia) – escreve ele. Não sabemos realmente o que queremos; não conhecemos esta “vida verdadeira”; e, no entanto, sabemos que deve existir algo que não conhecemos e para isso nos sentimos impelidos.

meu Deus: Pai, este é o meu desejo: que aqueles que me confiaste estejam comigo e que o mundo saiba que tu o amaste, como amaste a mim. Sim, Senhor, isto é o que eu quisera repetir contigo antes de voar para os vossos braços. Vosso amor me acompanhou desde a infância, foi crescendo comigo, e agora é um abismo cuja profundidade não posso sondar. O amor chama para o amor. Por isso, ó meu Jesus, meu amor se lança para vós e, desejaria preencher o abismo que o atrai. Porém, ai de mim, não é nem mesmo uma gota de orvalho perdida no oceano... Para vos amar como vós me amais, necessito de vos pedir emprestado o vosso próprio amor. Somente assim encontrarei repouso. Meu Jesus, talvez seja uma ilusão, mas creio que não podereis preencher uma alma com mais amor do que preenchestes a minha, Por isso me atrevo a pedir-vos que ameis aos que me destes como amastes a mim. Se um dia, no céu, descobrirei que os amais mais que a mim, ficarei alegre; pois desde então reconheço que essas almas merecem muito mais amor que a minha.

Papa Bento XVI
Papa emérito (2005-2013).

 

Oração para esta tarde

Escutai-nos, ó Senhor, grande é vossa graça!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
A abstinência quaresmal
vós consagrastes, ó Jesus;
pelo jejum e pela prece,
nos conduzis da treva à luz.

Ficai presente agora à Igreja,
ficai presente à penitência,
pela qual vos suplicamos
para os pecados indulgência.

Por vossa graça, perdoai
as nossas culpas do passado;
contra as futuras protegei-nos,
manso Jesus, Pastor amado,

Para que nós, purificados
por esses ritos anuais,
nos preparemos, reverentes,
para gozar os dons pascais.

Todo o universo vos adore,
Trindade Santa, Sumo Bem.
Novos, por graça, vos cantemos
um canto novo e belo. Amém.

Salmo 138(139),1-18.23-24

Quem conheceu o pensamento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? (Rm 11,34).

Senhor, vós me sondais e conheceis,
sabeis quando me sento ou me levanto;
de longe penetrais meus pensamentos,
percebeis quando me deito e quando eu ando,
os meus caminhos vos são todos conhecidos.

A palavra nem chegou à minha língua,
e já, Senhor, a conheceis inteiramente.
Por detrás e pela frente me envolveis;
pusestes sobre mim a vossa mão.
Esta Verdade é por demais maravilhosa,
é tão sublime que não posso compreendê-la.

Em que lugar me ocultarei de vosso espírito?
E para onde fugirei de vossa face?
Se eu subir até os céus, ali estais;
se eu descer até o abismo, estais presente.

Se a aurora me emprestar as suas asas,
para eu voar e habitar no fim dos mares;
mesmo lá vai me guiar a vossa mão
e segurar-me com firmeza a vossa destra.

Se eu pensasse: 'A escuridão venha esconder-me
e que a luz ao meu redor se faça noite!'
Mesmo as trevas para vós não são escuras,
a própria noite resplandece como o dia,
e a escuridão é tão brilhante como a luz.

Glória ao Pai...

Leitura Fl 2,12b-15a
Trabalhai para a vossa salvação, com temor e tremor. Pois é Deus que realiza em vós tanto o querer como o fazer, conforme o seu desígnio benevolente. Fazei tudo sem reclamar ou murmurar, para que sejais livres de repreensão e ambiguidade, filhos de Deus sem defeito.

Em Deus, cuja Palavra me entusiasma,
Em Deus eu me apoio. Nada mais me causa medo.

MAGNIFICAT
Vós que tudo abandonastes e me seguistes,
Recebereis cem vezes mais e a vida eterna.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Demos glória a Deus Pai, que no sangue de Cristo firmou uma nova Aliança com seu povo, e a renova pelo sacramento do altar. Peçamos com fé:

R. Abençoai, Senhor, o vosso povo!

Dirigi, Senhor, conforme a vossa vontade, as intenções dos povos e dos governantes,
– para que eles se empenhem sinceramente em promover o bem de todos. R.

Fortalecei a fidelidade daqueles que tudo abandonaram para seguir a Cristo;
– que eles deem a todos testemunho e exemplo da santidade da Igreja. R.

Vós, que criastes os homens e as mulheres à vossa imagem e semelhança,
– fazei que todos rejeitem qualquer desigualdade injusta. R.

Reconduzi à vossa amizade e verdade todos os que vivem afastados da fé,
– e ensinai-nos como ajudá-los eficazmente. R.

(Intenções livres)

Concedei aos que morreram entrar na vossa glória
– para que vos louvem eternamente. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA

Salve, Regina, mater misericordiae
Vita, dulcedo, et spes nostra, salve.
Ad te clamamus, exsules, filii evae.
Ad te suspiramus, gementes et flentes
in hac lacrimarum valle.

Eia ergo, Advocata nostra,
illos tuos misericordes oculos
ad nos converte.
Et Iesum, benedictum fructum ventris tui,
nobis post hoc exsilium ostende.
O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria.

Ora pro nobis sancta Dei Genetrix.
Ut digni efficiamur promissionibus Christi. Amen.

(Tradução)
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

 

 

Evangelho do dia

Naquele tempo, disse Jesus aos judeus: «Meu Pai trabalha incessantemente e Eu também trabalho em todo o tempo».
Esta afirmação era mais um motivo para os judeus quererem dar-Lhe a morte: não só por violar o sábado, mas também por chamar a Deus seu Pai, fazendo-Se igual a Deus.
Então Jesus tomou a palavra e disse-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: O Filho nada pode fazer por Si próprio, mas só aquilo que viu fazer ao Pai; e tudo o que o Pai faz também o Filho o faz igualmente.
Porque o Pai ama o Filho e Lhe manifesta tudo quanto faz; e há-de manifestar-Lhe coisas maiores que estas, de modo que ficareis admirados.
Assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá vida, assim o Filho dá vida a quem Ele quer.
O Pai não julga ninguém: entregou ao Filho o poder de tudo julgar,
para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que O enviou.
Em verdade, em verdade vos digo: Quem ouve a minha palavra e acredita n’Aquele que Me enviou tem a vida eterna e não será condenado, porque passou da morte à vida.
Em verdade, em verdade vos digo: Aproxima-se a hora _ e já chegou _ em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que a ouvirem, viverão.
Assim como o Pai tem a vida em Si mesmo, assim também concedeu ao Filho que tivesse a vida em Si mesmo;
e deu-Lhe o poder de julgar, porque é o Filho do homem.
Não vos admireis do que estou a dizer, porque vai chegar a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz:
Os que tiverem praticado boas obras irão para a ressurreição dos vivos e os que tiverem praticado o mal para a ressurreição dos condenados.
Eu não posso fazer nada por Mim próprio: julgo segundo o que oiço e o meu juízo é justo, porque não procuro fazer a minha vontade, mas a vontade d’Aquele que Me enviou».