Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Aleteia logo
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

Santa Maria Margarida d’Youville

Religiosa († 1771)

CRAFT

Public Domain


Maria Margarida d’Youville nasceu em 15 de outubro de 1701 em Varennes, Québec, Canadá. Era a filha mais velha do casal Cristoforo Dufrost de Lajemmerais e Maria Renata Gaultier de Varennes, que tiveram seis filhos.
Em 1708, o pai de Maria Margarida faleceu e deixou a família com grandes dificuldades econômicas. Com ajuda do bisavô, Pietro Boucher, ela pôde completar dois anos de estudos nas Ursulinas de Québec, que descobriram nela um caráter já bem-humorado e uma maturidade precoce.
De volta à família, ela ajudou a mãe a cuidar da casa e a educar seus irmãos mais novos. Mudou-se com a mãe para Montreal que acabou falecendo no segundo casamento. Maria Margarida conhece Francesco d’Youville, com quem se casa em 1722.
O casamento foi um grande sofrimento para ela: seu marido era desinteressado pela família, era traficante de álcool com os índios. Margarida também sofreu muito com a morte precoce de quatro de seus seis filhos.
Cuidou com ternura do marido, quando este foi atingido por uma doença súbita e grave que o levou à morte em 1730.
A jovem viúva com imensa fé na Paternidade de Deus deu início a muitas iniciativas de caridade. Enquanto zelava pela educação de seus dois filhos, que serão sacerdotes, em 21 de novembro de 1737 recebe em sua casa uma cega.
Margarida e três outras mulheres, que compartilhavam seus ideais, fundaram em 1737 o Instituto mais tarde conhecido como Irmãs da Caridade de Montreal. No início, a casa abrigava apenas quatro ou cinco membros, mas cresceu à medida que as mulheres levantavam fundos. Como suas ações iam contra as convenções sociais da época, Maria Margarida e suas companheiras foram ridicularizadas por amigos e parentes e até mesmo pelos pobres que ajudavam. Alguns as chamavam de “les grises”, que pode significar “as mulheres cinzentas”. Acompanhando os mais pobres, apesar de sua saúde precária, ela corajosamente continuou em seu trabalho de cuidados, não temendo os insultos e calúnias.
Nem mesmo a morte de uma das companheiras e o incêndio de sua casa enfraqueceu seu ardor. Ao contrário, foi um estímulo para radicalizar ainda mais o seu empenho aos pobres. Juntamente com duas amigas, no dia 2 de fevereiro de 1745 compromete-se a pôr tudo em comum para ajudar um maior número de necessitados.
Dois anos depois, a “mãe dos pobres”, como era então chamada, assumiu a direção do dilapidado Hospital Charon Brothers. Ela o torna um refúgio acolhedor para todas as misérias humanas que feriam seu coração materno, mas em 1756, um incêndio assolou o hospital. Maria Margarida não enfraqueceu a fé e a coragem de fundadora: convidou suas irmãs e os pobres a reconhecer a passagem de Deus nesta prova e a louvá-lo.
Quase prevendo o futuro, aos 64 anos empreendeu a reconstrução deste abrigo para todas as pessoas necessitadas e em dificuldade.
Faleceu no dia 23 de dezembro de 1771 no Hospital Geral de Montreal.
A semente lançada em solo canadense em 1737 por esta filha da Igreja tornou-se agora uma árvore que se espalha por quase todos os continentes. As Irmãs da Caridade de Montreal “Irmãs Cinzentas”, com suas comunidades irmãs: as Irmãs da Caridade de São Jacinto, as Irmãs da Caridade de Ottawa, as Irmãs da Caridade de Québec, as Irmãs Cinzentas do Sagrado Coração (Filadélfia) e o As Irmãs Cinzentas da Imaculada Conceição (Pembroke) continuam a mesma missão com audácia e esperança.
O Papa João XXIII proclamou Maria Margarida bem-aventurada em 3 de maio de 1959.
A cura de uma pessoa afetada por leucemia, em 1978, foi atribuída à sua intercessão. Assim, ela foi canonizada em 09 de dezembro de 1990 pelo Papa São João Paulo II, sendo a primeira canadense nativa a ser elevada aos altares da Igreja Católica Romana.
Em 2010, os restos mortais de Madre Marie-Marguerite d’Youville foram removidos da Casa Mãe das Freiras Cinzentas e transferidos para sua cidade natal, Varennes.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
AVENIDO BROTHERS
Agnès Pinard Legry
Três irmãos são ordenados padres no mesmo dia
4
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
5
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
6
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
7
Carlo Acutis
Gelsomino Del Guercio
“Ele fechou os olhos sorrindo”: foi assim que Carlo Acutis morreu
Ver mais