Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 02 Dezembro |
São Cromácio de Aquileia
Aleteia logo
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

Bem-aventurada Beatriz de Ornacieux  

Monja cartuxa († 1303/1309)    

Shutterstock

Beatriz nasceu por volta de 1260, na terra feudal da nobre família Ornacieux, no sudeste da França, na área de Grenoble.

Em 1273, com cerca de 13 anos de idade, ingressou na Cartuxa de Monte de Santa Maria, no Eremitério de Parménie (Isére, França). (A Cartuxa é uma ordem eminentemente eremita e foi fundada em 1084 por São Bruno). Neste ambiente, segundo os textos antigos, ela se distinguiu pela devoção à Paixão de Cristo.

Dessa intensa devoção nasceu o amor pelos sofrimentos, como forma de se aproximar dos sofrimentos de Cristo. É importante notar que ela não apenas aceitou ou suportou os sofrimentos, mas os “amou”, como só os santos sabem fazer e os transformou em um meio de redenção e ascetismo.

Em 1301, foi enviada para fundar um novo mosteiro em Eymeux, na diocese de Valência com duas das suas companheiras cartuxas, Luísa Alleman de Grésivaudan e Margaret de Sassenage. Mais tarde outras jovens iriam se juntar a elas, apesar da extrema pobreza em que viviam.

Segundo algumas fontes, sua morte data de 25 de novembro de 1303 e o seu corpo foi sepultado na mesma Cartuxa em que viveu, mas a sua reputação de santidade e os seus milagres foram tantos que a devoção dos fiéis do lugar cresceu consideravelmente. Devido a esse clamor, seus restos mortais foram transportados para o mosteiro cartuxo de Parménie que, devido à revolução albigense, foi posteriormente incendiado e abandonado pelos cartuxos, que, no entanto, tiveram o cuidado de esconder as sagradas relíquias de Beatriz.

Seu culto continuou e em 1697, uma pastora encontrou perto das ruínas do antigo mosteiro, os restos mortais desaparecidos que foram reconhecidos pelo Cardeal Le Camus, bispo de Grenoble, que providenciou a reconstrução da igreja a fim de dar um local digno às santas relíquias. Com o tempo, vários problemas se seguiram em Parménie, mas os restos mortais da beata permaneceram lá até 1839, quando parte deles foi transferida para a Cartuxa de Beauregard.

Permaneceram em Parménie até 1901, para finalmente serem transferidos definitivamente para a igreja de Rancurel, onde estão localizados atualmente.

Seu culto foi aprovado pelo Papa Pio IX em 15 de abril de 1869. Na diocese de Grenoble seu culto é festejado no dia 27 de novembro e na de Valência, no dia 13 de fevereiro.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais