Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 03 Outubro |
Santos André de Soveral, Ambrósio Francisco Ferro, Mateus Mo...
Aleteia logo
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

Bem-aventurada Joana

Carmelita († Século XIV)    

shutterstock_1558346006.jpg

Nattapat.J | Shutterstock

Entre os santos carmelitas, infelizmente pouco conhecida, está a Bem-aventurada Joana de Toulouse, que é celebrada hoje. Mulher de linhagem nobre, nascida no reino de Navarra, atual Espanha, escolheu viver em reclusão no convento carmelita de Toulouse, onde se distinguiu por sua grande austeridade. Além disso, Joana gostava muito de conversar sobre coisas celestiais com jovens religiosos e religiosas e rezava muito por eles, que por sua vez tiravam grande proveito espiritual dela. Isso não deveria causar surpresa: a bem-aventurada vivia de fato a clausura antes mesmo que esta assumisse a estrutura que assumiu ao longo dos séculos.

Embora seu culto seja oficial, as notícias sobre ela são realmente escassas, a ponto de não se saber as datas exatas de seu nascimento e da sua morte. No entanto, sua vida parece situar-se entre os séculos XIV e XV, pois seu nome não aparece nos catálogos de santos carmelitas da segunda metade do século XIV, nem na lista de santos da mesma ordem elaborada por Giovanni Grossi, que morreu em 1437, aluno da província carmelita de Toulouse. Joana é frequentemente citada como terciária ou mesmo como freira. No entanto, não se deve esquecer que ela professava a regra carmelita, como de fato fizeram outras mulheres “conversas” de seu tempo. Após sua morte, os fiéis atribuíram numerosos milagres à sua intercessão.

Na França, diz-se que Joana nasceu em 1220 e morreu em 25 de agosto de 1271, filha e herdeira de Raimundo VII (IX), Conde de Toulouse, e de Joana da Inglaterra. Ela mesma foi então condessa de Toulouse de 1249 até sua morte e das mãos de São Simão Stock teria recebido o hábito de terciária, merecendo assim ser considerada fundadora da Ordem Terceira do Carmelo. Ela teria dedicado inteiramente não apenas seu tempo, mas também seu dinheiro para a formação de religiosos carmelitas.

O arcebispo de Toulouse, Bernardo Du Rosier, transladou o corpo de Joana entre 1452 e 1474, colocando-o numa urna que colocou numa capela da igreja carmelita da cidade. Para a ocasião, concedeu uma indulgência de quarenta dias a quem quisesse visitar suas relíquias. Prosseguiu o reconhecimento do mesmo nos anos de 1616, 1656 e 1688: em 1656 notou-se a falta do braço e da mão direita, transferidos para Espanha pelo prior geral, Enrico Silvio, durante uma visita ao convento e em 1688 também faltava a mão esquerda e alguns dentes. Após a Revolução Francesa, durante a demolição da igreja carmelita em Toulouse em 1805, os restos mortais de Joana foram encontrados em uma parede junto com o relatório do reconhecimento de 1688 e algumas orações que os fiéis costumavam recitar. Assim, levado para a igreja metropolitana de Santo Stefano, seus restos mortais foram sepultados na capela de São Vicente de Paul, até que em 1893, por ocasião de sua beatificação, foi colocado em um relicário em forma ogival.

Joana de Toulouse foi, finalmente, beatificada oficialmente pelo Papa Leão XIII, em 1895.

Descubra outros santos clicando aqui
PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais