Aleteia
Festividade do dia

Quinta-feira 13 Agosto
Bem-aventurado Tiago Gapp

Presbítero e mártir (†1943)

WOMAN
Compartilhar

Nasceu na Áustria, na região do Tirol, no dia 26 de julho de 1897. Entra no ginásio gerenciado pelos franciscanos em Hall. Ao atingir a juventude, foi convocado para servir durante a guerra. Após esse período, entrou nos Maristas e foi ordenado padre em 1930. Começa a exercer seu ministério junto aos pobres. Sua solicitude chega ao ponto de deixar de acender a estufa de seu quarto durante o inverno para poder levar madeira e carvão para as famílias que viviam na miséria. É também um ferrenho opositor à nova ideologia que está surgindo: o nazismo. Afirmou em alto e bom som que a fé católica é incompatível com o nazismo. Em 1938 ao fazer catecismo nas escolas, defende que os cristãos devem amar a todos sem distinção, principalmente distinção de raça ou religião: uma clara alusão à política do partido nazista que inculcava o ódio e a perseguição aos judeus. A Gestapo, a temível polícia secreta, começa a vigiá-lo. Numa de suas homilias, ele afirma que Deus é um, “e não Adolf Hitler”. Deve fugir às pressas, pois querem prendê-lo à força. Vai para a França e depois para a Espanha. Mesmo assim, a Gestapo o tem sob a mira. Após uma armadilha, Padre Tiago é preso na França, no dia 9 de novembro de 1942. É levado para Berlim e é sumariamente processado e declarado culpado de alta traição, a pena: a morte. No dia 13 de agosto de 1943 ele é decapitado e seu corpo é enviado para o laboratório de medicina da Universidade de Berlim para ser usado em experiências. Assim se procurava evitar algum culto em torno do corpo de Padre Tiago. Em 1996 foi proclamado Bem-aventurado por São João Paulo II.

Descubra outros santos clicando aqui

Adoremos o Senhor, porque ele é nosso Deus.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Já surge a luz dourada,
a treva dissipando,
que as almas do abismo
aos poucos vai levando.

Dissipa-se a cegueira
que a todos envolvia;
alegres caminhemos
na luz de um novo dia.

Que a luz nos traga paz,
pureza ao coração:
longe a palavra falsa,
o pensamento vão.

Decorra calmo o dia:
a mão, a língua, o olhar.
Não deixe nosso corpo
na culpa se manchar.

Do alto, nossos atos
Deus vê, constantemente;
solícito nos segue
da aurora ao sol poente.

A glória seja ao Pai,
ao Filho seu também;
ao Espírito igualmente,
agora e sempre. Amém.

Cântico Is 40,10-17

Eis que venho em breve, para retribuir a cada um segundo as suas obras (Ap 22,12).

Olhai e vede: o nosso Deus vem com poder,
dominará todas as coisas com seu braço.
Eis que o preço da vitória vem com ele,
e o precedem os troféus que conquistou.

Como o pastor, ele apascenta o seu rebanho.
Ele toma os cordeirinhos em seus braços,
leva ao colo as ovelhas que amamentam,
e reúne as dispersas com sua mão.

Quem, no côncavo da mão, mediu o mar?
Quem mediu o firmamento com seu palmo?
Quem mediu com o alqueire o pó da terra?
Quem passou, pondo ao gancho, as montanhas,
e as colinas, colocando-as na balança?

Quem instruíra o espírito do Senhor?
Que conselheiro o teria orientado?
Com quem aprendeu ele a bem julgar,
e os caminhos da justiça a discernir?
Quem as veredas da prudência lhe ensinou
ou os caminhos da ciência lhe mostrou?

Eis as nações: qual gota d'água na vasilha,
um grão de areia na balança diante dele;
e as ilhas pesam menos do que o pó
perante ele, o Senhor onipotente.

Não bastaria toda a lenha que há no Líbano
para queimar seus animais em holocausto.
As nações todas são um nada diante dele,
a seus olhos elas são quais se não fossem.

Glória ao Pai...

Leitura breve 1Pd 4,10-11
Como bons administradores da multiforme graça de Deus, cada um coloque à disposição dos outros o dom que recebeu. Se alguém tem o dom de falar, proceda como com palavras de Deus. Se alguém tem o dom do serviço, exerça-o como capacidade proporcionada por Deus, a fim de que, em todas as coisas, Deus seja glorificado, em virtude de Jesus Cristo.

Clamo de todo o coração: Atendei-me, ó Senhor!
Quero cumprir vossa vontade.

BENEDICTUS
Oh! morte preciosa que comprou a eternidade
pelo preço de seu sangue!

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Demos graças a Deus Pai, que no seu amor conduz e alimenta o seu povo; e digamos com alegria:

R. Glória a vós, Senhor, para sempre!

Pai clementíssimo, nós vos louvamos por vosso amor para conosco,
– porque nos criastes de modo admirável, e de modo ainda mais admirável nos renovastes. R.

No começo deste dia, infundi em nossos corações o desejo de vos servir,
– para que sempre vos glorifiquemos em todos os nossos pensamentos e ações. R.

Purificai os nossos corações de todo mau desejo,
– e fazei que estejamos sempre atentos à vossa vontade. R.

Dai-nos um coração aberto às dificuldades de nossos irmãos e irmãs,
– para que jamais lhes falte o nosso amor fraterno. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Ó Deus, que a admirável constância dos mártires Ponciano e Hipólito faça crescer em nós o vosso amor e mantenha em nossos corações uma fé sempre firme. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Perdoa nossas ofensas como nós perdoamos aqueles que nos tem ofendido

O Senhor nos obriga a perdoar as ofensas daqueles que nos ofenderam, assim como pedimos que ele perdoe as nossas. Devemos saber que não podemos obter o que pedimos em relação a nossos pecados se não fizermos o mesmo com aqueles que pecaram contra nós. Por essa razão, Cristo diz em outro lugar: “A medida que usais eles também usarão convosco”. O servo que, depois de ter sido perdoado de toda sua dívida, ao não querer fazer o mesmo com o companheiro de serviço que lhe devia, foi colocado no cárcere. Porque não quis ter compaixão de seu companheiro, ele perdeu o que seu amo lhe havia dado livremente.
Quando Abel e Caim ofereceram as primícias de seus sacrifícios, não foram suas ofertas que Deus olhou, mas seus corações. Aquele cuja oferta lhe agradou foi aquele cujo coração o agradava. Abel, pacífico e justo, oferecendo em sua inocência um sacrifício a Deus, ensinou aos demais a se aproximar com o temor de Deus a oferecer sua oferta no altar com um coração simples, e mereceu se tornar ele mesmo uma preciosa oferenda. e a dar o primeiro testemunho do martírio. Ele prefigurou, pela glória de seu sangue, a paixão do Senhor, porque possuía a justiça e a paz do Senhor. Homens semelhantes a ele são os que serão coroados pelo Senhor e, no dia do julgamento, obterão justiça.

São Cipriano
Oração do Senhor, 23-24.
Natural de Cartago e convertido do paganismo, tornou-se bispo de sua cidade; Ele escreveu em tempos de perseguição à Igreja e sofreu o martírio (210-258).

O Senhor é nossa luz e salvação!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Deus de supremo poder,
da água os seres gerastes.
Com uns enchestes os mares,
de outros o ar povoastes.

Uns mergulhastes nas águas,
outros soltastes no ar,
com o impulso que os leva
a toda a terra ocupar.

Dai graça a todos os servos,
no vosso sangue lavados,
para vencermos o tédio,
a morte e todo pecado.

Não nos deprimam as culpas,
nem nos inflame a vaidade;
não caia a mente abatida,
nem caia a mente elevada.

Ouvi-nos, Pai piedoso,
e vós, Imagem do Pai,
que com o Espírito Santo
eternamente reinais.

Salmo 131(132)

O Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi (Lc 1,32).

O Senhor fez a Davi um juramento,
uma promessa que jamais renegará:
'Um herdeiro que é fruto do teu ventre
colocarei sobre o trono em teu lugar!

Se teus filhos conservarem minha Aliança
e os preceitos que lhes dei a conhecer,
os filhos deles igualmente hão de sentar-se
eternamente sobre o trono que te dei!'

Pois o Senhor quis para si Jerusalém
e a desejou para que fosse sua morada:
'Eis o lugar do meu repouso para sempre,
eu fico aqui: este é o lugar que preferi!'

'Abençoarei suas colheitas largamente,
e os seus pobres com o pão saciarei!
Vestirei de salvação seus sacerdotes,
de alegria exultarão os seus fiéis!'

'De Davi farei brotar um forte Herdeiro,
acenderei ao meu Ungido uma lâmpada.
Cobrirei de confusão seus inimigos,
mas sobre ele brilhará minha coroa!'

Glória ao Pai...

Leitura 1Pd 3,8-9
Sede todos unânimes, compassivos, fraternos, misericordiosos e humildes. Não pagueis o mal com o mal, nem ofensa com ofensa. Ao contrário, abençoai, porque para isto fostes chamados: para serdes herdeiros da bênção.

O Senhor nos saciou com a fina flor do trigo.
Com o mel que sai da rocha nos fartou, nos satisfez.

MAGNIFICAT
O Senhor derrubou os poderosos de seus tronos e elevou os humildes.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Oremos a Cristo, pastor, protetor e consolador de seu povo; e digamos com toda a confiança:

R. Senhor, nosso refúgio, escutai-nos!

Bendito sejais, Senhor, que nos chamastes para fazer parte da vossa santa Igreja;
– conservai-nos sempre nela. R.

Vós, que confiastes ao nosso Papa N. a solicitude por todas as Igrejas,
– concedei-lhe uma fé inquebrantável, uma esperança viva e uma caridade generosa. R.

Dai aos pecadores a graça da conversão e aos que caíram o dom da fortaleza,
– e a todos concedei penitência e salvação. R.

Vós, que quisestes habitar num país estrangeiro,
– lembrai-vos daqueles que se encontram longe da família e da pátria. R.

(Intenções livres)

A todos os mortos que depositaram sua esperança em vós,
– concedei-lhes a paz eterna. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Ave, Regina Caelorum,
Ave, Domina Angelorum:
Salve, radix, salve, porta
Ex qua mundo lux est orta:
Gaude, Virgo gloriosa,
Super omnes speciosa,
Vale, o valde decora,
Et pro nobis Christum exorta.

(Tradução)
Ave, Rainha do céu;
ave, dos anjos Senhora;
ave, raiz, ave, porta;
da luz do mundo és aurora.
Exulta, ó Virgem gloriosa,
as outras seguem-te após;
nós te saudamos: adeus!
E pede a Cristo por nós!

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São Mateus 18,21-35.19,1.
Naquele tempo, Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou-Lhe: «Se meu irmão me ofender, quantas vezes deverei perdoar-lhe? Até sete vezes?».
Jesus respondeu: «Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete.
Na verdade, o reino de Deus pode comparar-se a um rei que quis ajustar contas com os seus servos.
Logo de começo, apresentaram-lhe um homem que devia dez mil talentos.
Não tendo com que pagar, o senhor mandou que fosse vendido, com a mulher, os filhos e tudo quanto possuía, para assim pagar a dívida.
Então o servo prostrou-se a seus pés, dizendo: "Senhor, concede-me um prazo e tudo te pagarei".
Cheio de compaixão, o senhor daquele servo deu-lhe a liberdade e perdoou-lhe a dívida.
Ao sair, o servo encontrou um dos seus companheiros que lhe devia cem denários. Segurando-o, começou a apertar-lhe o pescoço, dizendo: "Paga o que me deves".
Então o companheiro caiu a seus pés e suplicou-lhe, dizendo: "Concede-me um prazo e pagar-te-ei".
Ele, porém, não consentiu e mandou-o prender, até que pagasse tudo quanto devia.
Testemunhas desta cena, os seus companheiros ficaram muito tristes e foram contar ao senhor tudo o que havia sucedido.
Então, o senhor mandou-o chamar e disse: "Servo mau, perdoei-te tudo o que me devias, porque mo pediste.
Não devias, também tu, compadecer-te do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?".
E o senhor, indignado, entregou-o aos verdugos, até que pagasse tudo o que lhe devia.
Assim procederá convosco meu Pai celeste, se cada um de vós não perdoar a seu irmão de todo o coração».
Quando Jesus acabou de dizer estas palavras, partiu da Galileia e foi para o território da Judeia, além do Jordão.

Boletim
Receba Aleteia todo dia