Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Festividade do dia

quinta-feira 2 abril
São Francisco Coll y Guitart

Presbítero, dominicano (†1875)

CHILD
Compartilhar

“Nasceu em Gombrèn, diocese de Vic e província de Gerona (Espanha), em 18 de maio de 1812 e no dia seguinte recebeu o batismo. Ele era o caçula de dez irmãos. Pouco tempo depois seu pai morreu, e sua mãe teve que se arranjar entre mil dificuldades financeiras. Desde a infância, sentiu-se inclinado ao sacerdócio e, em 1823, ingressou no seminário da capital de sua diocese, onde estudou o curso humanístico e o triênio filosófico. Em 1830, ele ingressou na Ordem dos Pregadores, no convento da Anunciação em Gerona. Após o ano de noviciado e a profissão religiosa, ele se dedicou ao estudo da teologia e recebeu ordens sagradas, até o diaconato. Em agosto de 1835, quando o governo central decretou a suspensão das ordens religiosas, ele foi forçado a deixar o convento com seus irmãos da comunidade. Ele viveu com extraordinária fidelidade suas regras, obediência fiel aos superiores e um grande amor por tudo o que constituía sua vocação dominicana, apesar de ao longo da vida não ter sido possível restaurar nenhum convento de frades da Ordem dos Pregadores. no território da província de Aragão, à qual pertencia. Ele recebeu o presbiterato em Solsona no dia 28 de maio de 1836 e, ao verificar que a reabertura dos conventos não seria autorizada, de acordo com os superiores, ele ofereceu seu serviço ministerial ao bispo de Vic. Este, por sua vez, o enviou primeiro como coadjutor da paróquia de Artés e logo depois, em dezembro de 1839, a paróquia de Moià. Desde o início de sua dedicação ao ministério, ele assumiu tarefas que iam além do estritamente paroquial. O zelo que o devorava o salvou da inércia da exclaustração. No início, ele fazia parte da “Irmandade Apostólica”, promovida por Santo Antônio Maria Claret, e se entregou à pregação de exercícios espirituais e missões populares. Este último, arcebispo e fundador dos Filhos do Imaculado Coração de Maria, disse sobre seu companheiro de pregação: “Onde eu prego, o padre Coll ainda pode vir para acrescentar algo; mas onde ele prega, não há mais nada para eu fazer”. Em 1848, ele recebeu o título de “missionário apostólico”. Vários prelados o chamaram para suas dioceses para que ele pudesse desenvolver uma pregação missionária, que foi apaziguadora em tempos de frequentes conflitos civis. Seu nome se tornou popular nas diferentes regiões da Catalunha. Eles clamavam por sua pregação evangélica que visava reavivar a fé no meio do povo de Deus e alcançar o retorno daqueles que haviam se afastado das práticas religiosas. Valeu-se principalmente do rosário, que espalhou entre o povo das vilas e cidades por meio da renovação das irmandades, do estabelecimento do “Rosário perpétuo”, ao qual milhares de pessoas participavam, e instruções dirigidas aos fiéis para meditar frutuosamente seus mistérios Com esse mesmo objetivo, ele publicou pequenos livros intitulados “A formosa rosa” e “Escada para o céu”, dos quais várias edições foram feitas com um grande número de cópias em cada uma, porque ele as distribuía abundantemente nas missões. Fazia sua pregação todos os anos na quaresma e os meses de maio e outubro em honra à Nossa Senhora, pregava em cidades importantes pelo número de sua população, como Barcelona, Lérida, Vic, Gerona, Solsona, Manresa, Igualada, Tremp, Agramunt e Balaguer… Ao verificar a ignorância religiosa e a falta de correspondência com as normas da vida cristã por parte dos batizados, fundou em 15 de agosto de 1856 a congregação das Irmãs Dominicanas da Anunciação, para a santificação de seus membros e a educação cristã da infância e da juventude, muito afetadas pela negligência e ignorância religiosa. Atualmente, está presente não apenas na Europa, mas também na América, África e Ásia. A dedicação à pregação, principalmente por meio de exercícios espirituais direcionados a sacerdotes e religiosas, missões populares, quaresmas, novenas e outras formas de evangelização, continuou até o fim de sua vida, ainda que nos últimos cinco anos ele tenha sido afetado por um derrame e uma cegueira progressiva e consequente, que lhe apareceu no mesmo dia em que os bispos do mundo católico se reuniram em Roma para iniciar os trabalhos do Concílio Vaticano I. Ele faleceu santamente em Vic no dia 2 de abril de 1875. Foi beatificado por […] João Paulo II em 29 de abril de 1979”.
[Foi canonizado no dia 11 de outubro de 2009, no pontificado do Papa Bento XVI]
(Fonte: L’Osservatore Romano, edição semanal em espanhol – ano XLI, n. 42 – 16 de outubro de 2009)

Descubra outros santos clicando aqui

Cristo por nós foi tentado, sofreu e na cruz morreu: Vinde todos, adoremos!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre. Amém

Hino
Ó Cristo, sol de justiça,
brilhai nas trevas da mente.
Com força e luz, reparai
a criação novamente.

Dai-nos, no tempo aceitável,
um coração penitente,
que se converta e acolha
o vosso amor paciente.

A penitência transforme
tudo o que em nós há de mal.
É bem maior que o pecado
o vosso dom sem igual.

Um dia vem, vosso dia,
e tudo então refloresce.
Nós, renascidos na graça,
exultaremos em prece.

A vós, Trindade clemente,
com toda a terra adoramos,
e no perdão renovados
um canto novo cantamos.

Cântico Jr 31,10-14

Jesus iria morrer... para reunir os filhos de Deus dispersos (Jo 11,51.52).

Ouvi, nações, a palavra do Senhor
e anunciai-a nas ilhas mais distantes:
'Quem dispersou Israel, vai congregá-lo,
e o guardará qual pastor a seu rebanho!'

Pois, na verdade, o Senhor remiu Jacó
e o libertou do poder do prepotente.
Voltarão para o monte de Sião,
entre brados e cantos de alegria
afluirão para as bênçãos do Senhor:

para o trigo, o vinho novo e o azeite;
para o gado, os cordeirinhos e as ovelhas.
Terão a alma qual jardim bem irrigado,
de sede e fome nunca mais hão de sofrer.

Então a virgem dançará alegremente,
também o jovem e o velho exultarão;
mudarei em alegria o seu luto,
serei consolo e conforto após a pena.
Saciarei os sacerdotes de delícias,
e meu povo há de fartar-se de meus bens!

Glória ao Pai...

Leitura breve Hb 2,9b-10
Vemos Jesus coroado de glória e honra, por ter sofrido a morte. Sim, pela graça de Deus em favor de todos, ele provou a morte. Convinha de fato que aquele, por quem e para quem todas as coisas existem, e que desejou conduzir muitos filhos à glória, levasse o iniciador da salvação deles à consumação, por meio de sofrimentos.

Lembra-te de Cristo, ressuscitado dentre os mortos!
Ele é nossa salvação e nossa glória para sempre.
Se com ele nós morremos, também, com ele viveremos.

BENEDICTUS
Quem é de Deus ouve a palavra de Deus;
vós não ouvis porque de Deus vós não sois.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Louvemos a Cristo nosso Senhor, que se manifestou à humanidade como luz do mundo para que, seguindo-o, não andemos nas trevas mas tenhamos a luz da vida; e lhe peçamos:

R. Senhor, que a vossa palavra ilumine os nossos passos!

Deus de bondade, fazei-nos imitar hoje o vosso exemplo,
– para que recuperemos em vós, novo Adão, o que perdemos no primeiro Adão. R.

A vossa palavra seja luz dos nossos passos,
– para que, realizando sempre as obras da verdade, aumente cada vez mais o nosso amor por vós. R.

Ensinai-nos a promover com retidão o bem de todos por causa do vosso nome,
– para que, por nosso intermédio, a Igreja ilumine cada vez melhor a família humana. R.

Alimentai sempre mais em nós a vossa amizade, por meio de uma sincera conversão,
– para que expiemos as ofensas cometidas contra a vossa sabedoria e bondade. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Assisti, ó Deus, aqueles que vos suplicam e guardai com solicitude os que esperam em vossa misericórdia, para que, libertos de nossos pecados, levemos uma vida santa e sejamos herdeiros das vossas promessas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Abraão viu meu dia...
Consideremos a recompensa que Abraão reivindica do Senhor. Ele não pede recompensas como se fosse um avarento, nem uma vida longa, como aquele que teme a morte, ou o poder, mas pede a um herdeiro que continue seu trabalho. Hagar deu a ele um filho, Ismael, mas Deus lhe disse: “Ele não será teu herdeiro, mas será um saído de tuas entranhas”. De qual outro filho ele está falando? De Isaac. E em Isaac, o filho legítimo, podemos ver o verdadeiro Filho legítimo, o Senhor Jesus Cristo que, no início do Evangelho de São Mateus, é chamado filho de Abraão. Ele demonstrou ser verdadeiro filho de Abraão, fazendo brilhar a descendência de seu antepassado. É graças a ele que Abraão foi capaz de olhar para o céu e ver sua posteridade brilhar como as estrelas do céu. A filiação de Abraão é propagada apenas pela herança da fé, que nos prepara para o céu, nos aproxima dos anjos, nos faz subir até as estrelas. O Senhor disse: “Assim será tua posteridade”, e Abraão creu no Senhor. Ele acreditava que Cristo, por sua encarnação, seria seu herdeiro. É bom que a fé venha antes das explicações, porque, em caso contrário, ousaríamos pedir explicações ao Senhor, assim como fazemos com um homem. Imitemos, pois, a Abraão e desse modo herdaremos o mundo pela justificação que a fé nos dá, fé que o que o tornou herdeiro da terra.
Santo Ambrósio
Abraão, livro I, 19-20.
Bispo de Milão, é doutor da Igreja (340-397).

Vinde todos e adoremos o Senhor que se entregou por nós!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
A abstinência quaresmal
vós consagrastes, ó Jesus;
pelo jejum e pela prece,
nos conduzis da treva à luz.

Ficai presente agora à Igreja,
ficai presente à penitência,
pela qual vos suplicamos
para os pecados indulgência.

Por vossa graça, perdoai
as nossas culpas do passado;
contra as futuras protegei-nos,
manso Jesus, Pastor amado,

Para que nós, purificados
por esses ritos anuais,
nos preparemos, reverentes,
para gozar os dons pascais.

Todo o universo vos adore,
Trindade Santa, Sumo Bem.
Novos, por graça, vos cantemos
um canto novo e belo. Amém.

Salmo 31(32)

Davi declara feliz o homem a quem Deus credita a justiça independentemente das obras (Rm 4,6).

Feliz o homem que foi perdoado
e cuja falta já foi encoberta!
Feliz o homem a quem o Senhor
não olha mais como sendo culpado,
e em cuja alma não há falsidade!

Enquanto eu silenciei meu pecado,
dentro de mim definhavam meus ossos
e eu gemia por dias inteiros,

porque sentia pesar sobre mim
a vossa mão, ó Senhor, noite e dia;
e minhas forças estavam fugindo,
tal como a seiva da planta no estio.

Eu confessei, afinal, meu pecado,
e minha falta vos fiz conhecer.
Disse: 'Eu irei confessar meu pecado!'
E perdoastes, Senhor, minha falta.

Todo fiel pode, assim, invocar-vos,
durante o tempo da angústia e aflição,
porque, ainda que irrompam as águas,
não poderão atingi-lo jamais.

Sois para mim proteção e refúgio;
na minha angústia me haveis de salvar,
e envolvereis a minha alma no gozo
da salvação que me vem só de vós.

'Vou instruir-te e te dar um conselho;
vou te dar um conselho a seguir,
e sobre ti pousarei os meus olhos:

Não queiras ser semelhante ao cavalo,
ou ao jumento, animais sem razão;
eles precisam de freio e cabresto
para domar e amansar seus impulsos,
pois de outro modo não chegam a ti'.

Muito sofrer é a parte dos ímpios;
mas quem confia em Deus, o Senhor,
é envolvido por graça e perdão.

Regozijai-vos, ó justos, em Deus,
e no Senhor exultai de alegria!
Corações retos, cantai jubilosos!

Glória ao Pai...

Leitura Hb 13,12-15
Jesus sofreu do lado de fora da porta, para santificar o povo pelo seu próprio sangue. Vamos, portanto, sair ao seu encontro, fora do acampamento, carregando a sua humilhação. Porque não temos aqui cidade permanente, mas estamos à procura daquela que está para vir. Por meio de Jesus, ofereçamos a Deus um perene sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que celebram o seu nome.

Nós vos bendizemos e adoramos, ó Jesus, nosso Senhor.
Por vossa cruz vós redimistes este mundo.

MAGNIFICAT
Tu nem tens cinquenta anos de existência, como, pois, dizes ter visto Abraão?
Eu vos digo com certeza, diz Jesus, já bem antes que Abraão nascesse "Eu Sou".

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Oremos a Cristo nosso Senhor, que nos deu o mandamento novo de nos amarmos uns aos
outros como ele nos amou; e imploremos:

R. Senhor, fazei crescer o amor em vosso povo!

Bom Mestre, ensinai-nos a vos amar em nossos irmãos e irmãs,
– e a vos servir em cada um deles. R.

Vós, que na cruz pedistes ao Pai perdão para vossos algozes,
– ensinai-nos a amar os nossos inimigos e a orar pelos que nos perseguem. R.

Pela participação no mistério do vosso Corpo e Sangue, aumentai em nós a caridade, a fortaleza e a confiança;
– fortalecei os fracos, consolai os tristes e dai esperança aos agonizantes. R.

Cristo, Luz do mundo, que na piscina de Siloé destes a vista ao cego de nascença,
– iluminai os catecúmenos pelo sacramento do batismo e pela palavra da vida. R.

(Intenções livres)

Concedei a plenitude do vosso amor aos que morreram,
– e contai-nos também entre os vossos escolhidos. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Ave Maria, gratia plena; Dominus tecum: benedicta tu in mulieribus, et benedictus fructus ventris tui Iesus. Sancta Maria, Mater Dei ora pro nobis peccatoribus, nunc et in hora mortis nostrae. Amen.
(Tradução)
Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, Bendita sois Vós entre as mulheres, e Bendito é o fruto de vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São João 8,31-42.
Naquele tempo, dizia Jesus aos judeus que tinham acreditado nele: «Se permanecerdes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos,
conhecereis a verdade e a verdade vos libertará».
Eles responderam-Lhe: «Nós somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como é que Tu dizes: "Ficareis livres"?»
Respondeu Jesus: «Em verdade, em verdade vos digo: Todo aquele que comete o pecado é escravo.
Ora, o escravo não fica para sempre em casa; o filho é que fica para sempre.
Mas se o Filho vos libertar, sereis realmente homens livres.
Bem sei que sois descendentes de Abraão; mas procurais matar-Me, porque a minha palavra não entra em vós.
Eu digo o que vi junto de meu Pai e vós fazeis o que ouvistes ao vosso pai».
Eles disseram: «O nosso pai é Abraão». Respondeu-lhes Jesus: «Se fôsseis filhos de Abraão, faríeis as obras de Abraão.
Mas procurais matar-Me, a Mim que vos disse a verdade que ouvi de Deus. Abraão não procedeu assim.
Vós fazeis as obras do vosso pai». Disseram-Lhe eles: «Nós não somos filhos ilegítimos; só temos um pai, que é Deus».
Respondeu-lhes Jesus: «Se Deus fosse o vosso Pai, amar-Me-íeis, porque saí de Deus e dele venho. Eu não vim de Mim próprio; foi Ele que Me enviou».

Boletim
Receba Aleteia todo dia