Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

São Luís Orione

Presbítero (†1940)

DEMETRIUS

Public Domain

São Luís Orione

Luigi Orione, seu nome de batismo, nasceu no norte da Itália em 1872.

Entrou no Oratório salesiano, em Turim, quando ainda estava vivo o santo fundador, São João Bosco, que lhe dedicou grande estima.

Concluído o ginásio, deixou o Oratório salesiano e voltou para sua terra a fim de entrar, pouco depois, no seminário e cursar filosofia e teologia. Foi ordenado em 1895, dedicando-se com ardor à ação pastoral e desenvolvendo a incipiente obra em favor dos necessitados.

Luís foi um desses homensportadores de uma sensibilidade extrema em relação aos sofrimentos da humanidade e que se tornaram instrumentos dóceis nas mãos da Divina Providência. Com a finalidade de uma dedicação total aos pobres, aos trabalhadores humildes, aos doentes, aos necessitados e marginalizados pela sociedade, ele fundou uma congregação religiosa, a “Pequena Obra da Divina Providência”.

A semente, bem plantada por Luís Orione, logo floresceu e tornou-se uma grande árvore, espalhando raízes em diversos países. E para ampliar ainda mais a possibilidade de responder aos apelos dos necessitados, em 1915 deu início à família religiosa das Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade, confiando-lhes o serviço dos órfãos, enfermos, pobres e crianças abandonadas.

Em 1908, Luís Orione ajudou a socorrer as numerosas vítimas do terrível terremoto que sacudiu a região da Sicília e Calábria, na Itália. O grande escritor italiano Inácio Silone conta um episódio do qual foi testemunha: “Numa manhã cinzenta e gelada, depois de uma noite sem dormir, assisti a uma cena bem estranha. Um sacerdote baixinho, maltrapilho, caminhava entre os escombros do terremoto rodeado por uma multidão de crianças que ficaram sem família. Em vão, o humilde sacerdote perguntava se não existia meio de transporte que levasse aquelas crianças até Roma. A estrada de ferro estava interrompida e não existiam outros meios de transporte para viagem tão longa. Foi então que chegaram alguns carros. Era a comitiva do rei da Itália que visitava os municípios atingidos pela catástrofe. Logo que os ilustres personagens se afastaram, o padrezinho, sem pedir licença, começou a lotar um dos carros com as crianças que recolhera. Os guardas, porém, intervieram lutando com o pobre padre quase corpo a corpo, de tal modo que o fato chamou a atenção do rei. Um tanto amedrontado, o padre aproximou-se com o chapéu na mão e pediu ao rei que cedesse por algum tempo um carro a fim de levar as crianças órfãs até a estação mais próxima. Comovido, o rei deu seu consentimento. Este padrezinho era Luís Orione!”

As Congregações dos Filhos da Divina Providência e das Irmãs desenvolvem atividades em 16 países da Europa e da América. Possuem mais de trezentas casas ou instituições dos mais variados tipos, sobretudo no setor assistencial e educativo.

No ano 1914 chegaram ao Brasil convidados pelo arcebispo de Mariana. Mantêm várias casas de órfãos, de portadores de necessidades especiais, abrigos para velhos e hospitais. Cuidam inclusive da pastoral em diversas dioceses e têm a direção da prelazia de Tocantinópolis.

Luís Orione, humilde sacerdote, realizou obras admiráveis porque sentia a força da Providência Divina na qual depositava uma confiança ilimitada.

Faleceu consumido pelas fadigas em 1940, com 68 anos de idade.

Em 26 de outubro de 1980, o santo Padre o Papa João Paulo II elevou à honra dos altares o bem-aventurado Luís Orione, que no dizer do papa, era gigante apóstolo da caridade, pai dos pobres, benfeitor insigne da humanidade sofredora e aflita.

Luigi Orione, seu nome de batismo, nasceu no norte da Itália em 1872.

Entrou no Oratório salesiano, em Turim, quando ainda estava vivo o santo fundador, São João Bosco, que lhe dedicou grande estima.

Concluído o ginásio, deixou o Oratório salesiano e voltou para sua terra a fim de entrar, pouco depois, no seminário e cursar filosofia e teologia. Foi ordenado em 1895, dedicando-se com ardor à ação pastoral e desenvolvendo a incipiente obra em favor dos necessitados.

Luís foi um desses homensportadores de uma sensibilidade extrema em relação aos sofrimentos da humanidade e que se tornaram instrumentos dóceis nas mãos da Divina Providência. Com a finalidade de uma dedicação total aos pobres, aos trabalhadores humildes, aos doentes, aos necessitados e marginalizados pela sociedade, ele fundou uma congregação religiosa, a “Pequena Obra da Divina Providência”.

A semente, bem plantada por Luís Orione, logo floresceu e tornou-se uma grande árvore, espalhando raízes em diversos países. E para ampliar ainda mais a possibilidade de responder aos apelos dos necessitados, em 1915 deu início à família religiosa das Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade, confiando-lhes o serviço dos órfãos, enfermos, pobres e crianças abandonadas.

Em 1908, Luís Orione ajudou a socorrer as numerosas vítimas do terrível terremoto que sacudiu a região da Sicília e Calábria, na Itália. O grande escritor italiano Inácio Silone conta um episódio do qual foi testemunha: “Numa manhã cinzenta e gelada, depois de uma noite sem dormir, assisti a uma cena bem estranha. Um sacerdote baixinho, maltrapilho, caminhava entre os escombros do terremoto rodeado por uma multidão de crianças que ficaram sem família. Em vão, o humilde sacerdote perguntava se não existia meio de transporte que levasse aquelas crianças até Roma. A estrada de ferro estava interrompida e não existiam outros meios de transporte para viagem tão longa. Foi então que chegaram alguns carros. Era a comitiva do rei da Itália que visitava os municípios atingidos pela catástrofe. Logo que os ilustres personagens se afastaram, o padrezinho, sem pedir licença, começou a lotar um dos carros com as crianças que recolhera. Os guardas, porém, intervieram lutando com o pobre padre quase corpo a corpo, de tal modo que o fato chamou a atenção do rei. Um tanto amedrontado, o padre aproximou-se com o chapéu na mão e pediu ao rei que cedesse por algum tempo um carro a fim de levar as crianças órfãs até a estação mais próxima. Comovido, o rei deu seu consentimento. Este padrezinho era Luís Orione!”

As Congregações dos Filhos da Divina Providência e das Irmãs desenvolvem atividades em 16 países da Europa e da América. Possuem mais de trezentas casas ou instituições dos mais variados tipos, sobretudo no setor assistencial e educativo.

No ano 1914 chegaram ao Brasil convidados pelo arcebispo de Mariana. Mantêm várias casas de órfãos, de portadores de necessidades especiais, abrigos para velhos e hospitais. Cuidam inclusive da pastoral em diversas dioceses e têm a direção da prelazia de Tocantinópolis.

Luís Orione, humilde sacerdote, realizou obras admiráveis porque sentia a força da Providência Divina na qual depositava uma confiança ilimitada.

Faleceu consumido pelas fadigas em 1940, com 68 anos de idade.

Em 26 de outubro de 1980, o santo Padre o Papa João Paulo II elevou à honra dos altares o bem-aventurado Luís Orione, que no dizer do papa, era gigante apóstolo da caridade, pai dos pobres, benfeitor insigne da humanidade sofredora e aflita.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais