Aleteia
Festividade do dia

quinta-feira 4 junho
São Francisco Caracciolo

Presbítero (†1608)

Compartilhar

Nascido em 1563 na região italiana de Chieti, Ascânio – apenas mais tarde ele assumiria o nome de Francisco – veio ao mundo numa família de nobres e que cumulava riquezas. Desde pequenino se sentia particularmente atraído pela Santa Eucaristia. Com frequência cultivava também uma singela devoção à Nossa Senhora, rezando o terço e jejuando a cada sábado, dia tradicionalmente dedicado à memória da Virgem Maria. Em sua juventude exercitava-se na virtude da caridade, ajudando os pobres de sua cidade como podia. Na flor de sua juventude, com apenas 22 anos foi acometido por uma elefantíase que começou aos poucos a lhe desfigurar completamente seu corpo. Diante dessa perspectiva terrível, ele fez a promessa de abandonar todas as delícias do mundo se pudesse encontrar a cura para sua doença. Milagrosamente foi curado e imediatamente, cumprindo com sua promessa, deu todos os seus bens para os pobres e foi para Nápoles, com a finalidade de estudar teologia. Procurava as igrejas mais vazias para melhor se dedicar à oração. Ao completar seus 24 anos foi ordenado presbítero e, embora jovem, foi exercer seu ministério em meio aos doentes e aos encarcerados. Durante o recolhimento de testemunhos para o seu processo de canonização, muitas pessoas testemunharam que viram Padre Ascânio curar doentes apenas traçando o sinal da cruz sobre a fronte deles. Em Nápoles, junto ao “Hospital dos incuráveis” ia surgindo uma nova comunidade religiosa, a Companhia dos padres brancos, que dava assistência aos condenados à morte e aos prisioneiros. Em 1588, Padre Ascânio pediu para fazer parte dessa comunidade. Nesse período Padre Ascânio foi convidado por dois nobres – Agostinho Adorno e Fabrício Caracciolo – para acompanhá-los no mesmo itinerário que iam palmilhando: eles desejavam fundar a Ordem dos Clérigos Regulares Menores, uma congregação que, além dos votos tradicionais, adicionava um quarto voto: jamais receber comendas ou dignidades eclesiásticas. Desejavam, além disso, trabalhar com a educação da juventude e na formação de eremitérios para aqueles irmãos que quisessem prosseguir na vida contemplativa. Fizeram sua profissão religiosa na nova Ordem em 1589 e Ascânio, pela forte devoção que nutria por São Francisco de Assis, tomou o nome de Francisco. Vários presbíteros foram aos poucos se juntando na nova Ordem. Embora Francisco fosse convidado mais vezes a exercer cargos importantes na Comunidade, ele sempre rejeitou: preferia se dedicar aos pobres e a mendigar para ajudar aqueles que se encontravam em necessidade. Frequentemente assumia os trabalhos mais humildes da casa. Certa vez, quando foi para a Espanha, para tentar fundar novas Comunidades de sua Ordem, Francisco havia caminhado tanto que, com dores atrozes na perna, caiu semi-inconsciente à margem da estrada. Sem que pudesse esperar em algum socorro, ali ficou por um tempo, até que um jovem que por ali passava a cavalo, se ofereceu para ajudá-lo. Acompanhou-o por toda a estrada até seu destino. Quando Francisco apeou do cavalo e se virou para agradecer ao jovem, já não havia mais ninguém com ele. Ele possuía o dom da profecia e do discernimento dos espíritos. Por esse motivo, era muito procurado para dar conselhos e para as confissões. Em 1606, o Papa Paulo V desejava que Francisco fosse bispo, mas ele conseguiu se esquivar do encargo: se considerava indigno. Outro elemento que se destacava em sua espiritualidade era a adoração ao Santíssimo Sacramento: a fazia por noites inteiras; nessas adorações, era comum vê-lo entre lágrimas abundantes. Ao final de sua vida Padre Francisco foi tomado por uma febre violenta. Teve tempo de tomar o viático. As testemunhas afirmaram que suas últimas palavras, durante sua breve agonia, foram “Vamos! Vamos!”. Perguntado sobre para onde desejava ir, o santo respondeu: “Para o céu, para o céu”. Invocou ainda os santos Miguel, José e Francisco de Assis. Em seguida expirou santamente. Foi canonizado pelo Papa Pio VII em 1807.

Descubra outros santos clicando aqui

Adoremos o Senhor, porque ele é nosso Deus!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Já surge a luz dourada,
a treva dissipando,
que as almas do abismo
aos poucos vai levando.

Dissipa-se a cegueira
que a todos envolvia;
alegres caminhemos
na luz de um novo dia.

Que a luz nos traga paz,
pureza ao coração:
longe a palavra falsa,
o pensamento vão.

Decorra calmo o dia:
a mão, a língua, o olhar.
Não deixe nosso corpo
na culpa se manchar.

Do alto, nossos atos
Deus vê, constantemente;
solícito nos segue
da aurora ao sol poente.

A glória seja ao Pai,
ao Filho seu também;
ao Espírito igualmente,
agora e sempre. Amém.

Salmo 56(57)

Este salmo canta a Paixão do Senhor (Sto. Agostinho).

Piedade, Senhor, piedade,
pois em vós se abriga a minh'alma!
De vossas asas, à sombra, me achego,
até que passe a tormenta, Senhor!

Lanço um grito ao Senhor Deus Altíssimo,
a este Deus que me dá todo o bem.
Que me envie do céu sua ajuda
e confunda os meus opressores!
Deus me envie sua graça e verdade!

Eu me encontro em meio a leões,
que, famintos, devoram os homens;
os seus dentes são lanças e flechas,
suas línguas, espadas cortantes.

Elevai-vos, ó Deus, sobre os céus,
vossa glória refulja na terra!

Prepararam um laço a meus pés,
e assim oprimiram minh'alma;
uma cova me abriram à frente,
mas na mesma acabaram caindo.

Meu coração está pronto, meu Deus,
está pronto o meu coração!
Vou cantar e tocar para vós:
desperta, minh'alma, desperta!
Despertem a harpa e a lira,
eu irei acordar a aurora!

Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos,
dar-vos graças, por entre as nações!
Vosso amor é mais alto que os céus,
mais que as nuvens a vossa verdade!

Elevai-vos, ó Deus, sobre os céus,
vossa glória refulja na terra!

Glória ao Pai...

Leitura breve Is 66,1-2
Isto diz o Senhor: O céu é o meu trono e a terra é o apoio de meus pés. Que casa é esta que edificareis para mim, e que lugar é este para meu descanso? Tudo isso foi minha mão que fez, tudo isso é meu, diz o Senhor. Mas eu olho para este, para o pobrezinho de alma abatida, que treme ao ouvir a minha palavra.

Clamo de todo o coração: Atendei-me, ó Senhor!
Quero cumprir vossa vontade.

BENEDICTUS
Sirvamos ao Senhor em justiça e santidade,
e de nossos inimigos haverá de nos salvar.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Demos graças a Cristo que nos concede a luz deste novo dia; e lhe peçamos:

R. Senhor, abençoai-nos e santificai-nos!

Senhor, que vos entregastes como vítima pelos nossos pecados,
– aceitai os trabalhos que já começamos e os nossos planos de ação para hoje. R.

Senhor, que alegrais nossos olhos com a luz deste novo dia,
– sede vós mesmo a luz dos nossos corações. R.

Tornai-nos generosos para com todos,
– para sermos imagens fiéis da vossa bondade. R.

Fazei-nos desde a manhã sentir o vosso amor,
– para que a vossa alegria seja hoje a nossa força. R.

Pai nosso ...

Oração
Deus eterno e todo-poderoso, ouvi as súplicas que vos dirigimos de manhã, ao meio-dia e à tarde; expulsai de nossos corações as trevas do pecado e fazei-nos alcançar a verdadeira luz, Jesus Cristo. Que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração
A todos aqueles que desejam servir ao Senhor Deus dentro da santa Igreja Católica, Apostólica [...] humildemente imploramos e suplicamos a todos, nós, os frades menores, servos inúteis, para que todos perseveremos na verdadeira fé e penitência, porque, caso contrário, ninguém poderá se salvar. Amemos a todos com todo o coração, com toda a alma, com toda a mente, com toda a força e fortaleza, com todo o entendimento, com todas as forças, com todo o esforço, com todo o afeto, com todas as entranhas, com todos os desejos e vontades ao Senhor Deus, que nos deu e nos dá todo o corpo, toda a alma e toda a vida; ele que nos criou, nos redimiu e somente por sua misericórdia nos salvará; que para nós miseráveis e míseros, podres e fedorentos, ingratos e ruins, tudo de bem nos fez e nos faz. Nada mais, portanto, desejemos, nada mais queiramos, nada mais nos agrade e deleite, senão o nosso Criador, Redentor e Salvador, o único Deus verdadeiro, que é cheio de bem, de todo bem, de bem total, bem verdadeiro e sumo bem, que Ele é o único que é bom, piedoso, manso, suave e doce; que ele é o único santo, justo, verdadeiro, santo e reto; o único que é benigno, inocente, puro; de quem e por quem e em quem está todo perdão, toda graça, toda a glória de todos os penitentes e justos, de todos os bem-aventurados que se alegram juntos no céu. Nada, pois, impeça, nada separe, nada se interponha; em todos os lugares todos nós em todo lugar, a toda hora e em todos os momentos, diariamente e continuamente acreditemos verdadeira e humildemente, e tenhamos em nosso coração e amemos, honremos, adoremos, sirvamos, louvemos e bendigamos, glorifiquemos e exaltemos, magnifiquemos e agradeçamos ao Altíssimo e Sumo Deus eterno, Trindade e unidade, Pai e Filho e Espírito Santo, criador de todas as coisas e Salvador de todos os que nele creem e esperam e o amam; ele que é sem princípio e sem fim, imutável, invisível, indizível, inefável, incompreensível, inescrutável, abençoado, louvável, glorioso, sobrexaltado, sublime, excelso, doce, amável, deleitável e tudo sobre todas as coisas desejáveis pelos séculos. Amém.

São Francisco de Assis
Regra: Nada mais queremos; "Amarás o Senhor teu Deus" (Mc 12:30); 1ª Regra
Fundador dos Franciscanos, Padroeiro da Europa (†1226)

Suba até vós nossa oração, como a oferta de incenso!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Deus de supremo poder,
da água os seres gerastes.
Com uns enchestes os mares,
de outros o ar povoastes.

Uns mergulhastes nas águas,
outros soltastes no ar,
com o impulso que os leva
a toda a terra ocupar.

Dai graça a todos os servos,
no vosso sangue lavados,
para vencermos o tédio,
a morte e todo pecado.

Não nos deprimam as culpas,
nem nos inflame a vaidade;
não caia a mente abatida,
nem caia a mente elevada.

Ouvi-nos, Pai piedoso,
e vós, Imagem do Pai,
que com o Espírito Santo
eternamente reinais.

Salmo 29(30)

Cristo, após sua gloriosa ressurreição, dá graças ao Pai (Cassiodoro).

Eu vos exalto, ó Senhor, pois me livrastes,
e não deixastes rir de mim meus inimigos!
Senhor, clamei por vós, pedindo ajuda,
e vós, meu Deus, me devolvestes a saúde!
Vós tirastes minha alma dos abismos
e me salvastes, quando estava já morrendo!

Cantai salmos ao Senhor, povo fiel,
dai-lhe graças e invocai seu santo nome!
Pois sua ira dura apenas um momento,
mas sua bondade permanece a vida inteira;
se à tarde vem o pranto visitar-nos,
de manhã nos vem saudar a alegria.

Nos momentos mais felizes eu dizia:
'Jamais hei de sofrer qualquer desgraça!'
Honra e poder me concedia a vossa graça,
mas escondestes vossa face e perturbei-me.

Por vós, ó meu Senhor, agora eu clamo,
e imploro a piedade do meu Deus:
Que vantagem haverá com minha morte,
e que lucro, se eu descer à sepultura?

Por acaso, pode o pó agradecer-vos
e anunciar vossa leal fidelidade?
Escutai-me, Senhor Deus, tende piedade!
Sede, Senhor, o meu abrigo protetor!

Transformastes o meu pranto em uma festa,
meus farrapos, em adornos de alegria,
para minh'alma vos louvar ao som da harpa
e ao invés de se calar, agradecer-vos:
Senhor meu Deus, eternamente hei de louvar-vos!

Glória ao Pai...

Leitura 1Pd 1,6-9
Isto é motivo de alegria para vós, embora seja necessário que agora fiqueis por algum tempo aflitos, por causa de várias provações. Deste modo, a vossa fé será provada como sendo verdadeira – mais preciosa que o ouro perecível, que é provado no fogo – e alcançará louvor, honra e glória, no dia da manifestação de Jesus Cristo. Sem ter visto o Senhor, vós o amais. Sem o ver ainda, nele acreditais. Isso será para vós fonte de alegria indizível e gloriosa, pois obtereis aquilo em que acreditais: a vossa salvação.

O Senhor nos saciou com a fina flor do trigo.
Com o mel que sai da rocha, nos fartou, nos satisfez.

MAGNIFICAT
O Senhor derrubou os poderosos de seus tronos
e elevou os humildes.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Louvemos a Deus, nosso auxílio e esperança; e lhe peçamos com humildade:

R. Velai, Senhor, sobre os vossos filhos e filhas!

Senhor nosso Deus, que firmastes com o vosso povo uma aliança eterna,
– fazei que nos recordemos sempre de vossas maravilhas. R.

Aumentai nos sacerdotes o espírito de caridade,
– e conservai os fiéis na unidade do espírito pelo vínculo da paz. R.

Fazei que edifiquemos sempre em união convosco a cidade terrena,
– para que não trabalhem em vão os que a constroem. R.

Enviai operários à vossa messe,
– para que vosso nome seja glorificado entre todos os povos. R.

(Intenções livres)

Admiti no convívio dos vossos santos nossos parentes, amigos e benfeitores falecidos,
– e fazei que um dia nos encontremos com eles no vosso reino. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Salve, Regina, mater misericordiae
Vita, dulcedo, et spes nostra, salve.
Ad te clamamus, exsules, filii evae.
Ad te suspiramus, gementes et flentes
in hac lacrimarum valle.

Eia ergo, Advocata nostra,
illos tuos misericordes oculos
ad nos converte.
Et Iesum, benedictum fructum ventris tui,
nobis post hoc exsilium ostende.
O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria.

Ora pro nobis sancta Dei Genetrix.
Ut digni efficiamur promissionibus Christi. Amen.
(Tradução)
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São Marcos 12,28b-34.
Naquele tempo, aproximou-se de Jesus um escriba e perguntou-Lhe: «Qual é o primeiro de todos os mandamentos?».
Jesus respondeu: «O primeiro é este: "Escuta, Israel: O Senhor nosso Deus é o único Senhor.
Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças".
O segundo é este: "Amarás o teu próximo como a ti mesmo". Não há nenhum mandamento maior que estes».
Disse-Lhe o escriba: «Muito bem, Mestre! Tens razão quando dizes: Deus é único e não há outro além dele.
Amá-lo com todo o coração, com toda a inteligência e com todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, vale mais do que todos os holocaustos e sacrifícios».
Ao ver que o escriba dera uma resposta inteligente, Jesus disse-lhe: «Não estás longe do reino de Deus». E ninguém mais se atrevia a interrogá-lo.

Boletim
Receba Aleteia todo dia