Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

Bem-Aventurada Ana Maria Adorni

Fundadora (†1893)

LIGHTS

Public Domain

Santo do dia



Ana Maria nasceu no dia 19 de junho de 1805 em Fivizzano, na região italiana da Toscana. Seus pais, Mateus e Antonia, eram cristãos muito devotos e educaram a pequena Ana Maria naquela fé robusta das pessoas simples. Com apenas sete anos de idade, Ana quase matou de susto seus pais: deixou a casa com uma amiga e saiu dizendo que ia sair para viajar até a Índia, a fim de anunciar o evangelho e salvar muitas almas… Naturalmente seu caminho não foi muito longo, pois logo seus pais saíram em sua busca e a trouxeram novamente para casa. Em 1820, com a morte de seu pai, Ana e sua mãe se transferem para a cidade de Parma. Aí começou a trabalhar como tutora numa das famílias ricas da cidade. Apesar de nutrir um forte desejo de seguir a vida religiosa, Ana, por obediência à mãe, acabou contraindo matrimônio com Antônio Domenico, um funcionário da casa Ducal de Parma. Era o ano de 1826. Durante seu casamento, Ana teve sete filhos; infelizmente seis acabaram morrendo ainda muito pequeninos, apenas o filho Leopoldo sobreviveu – mais tarde se tornaria monge beneditino. Em 1844, Ana ficou viúva; apesar de saber se tratar da vontade de Deus, Ana sentiu muito a falta do esposo, por quem nutria verdadeiro amor. Após o período de luto, Ana começou a entender que Deus a considerava agora preparada para atender a seu chamado para a vida consagrada. Ouvindo o conselho de seu confessor, começou uma vida de caridade, preocupando-se principalmente com as mulheres presidiárias, que sofriam condições terríveis no cárcere. Ana, mais do que anunciar Jesus Cristo a essas mulheres com palavras, fazia-o com sua própria vida: estava sempre disponível a ouvi-las e a trata-las com carinho. Só então fazia algum ensinamento em relação à fé. Em pouco tempo, o cárcere tão sem esperança, mais parecia um convento de monjas. Aos poucos outras senhoras da sociedade foram se sentindo atraídas pelo exemplo de Ana e, em 1847, o bispo de Parma aprovou a associação que fora formada por elas: a “Pia União das Senhoras visitadoras dos cárceres sob a proteção dos Santíssimos Corações de Jesus e de Maria”. Esse foi o começo de uma grande e profunda obra de caridade que Ana procurou ampliar cada vez mais. Chegou a alugar um antigo convento de monjas agostinianas para acolher jovens em situação de risco e órfãs. Muitas das mulheres que haviam estado na prisão se juntaram à causa de Ana. Na medida em que a obra crescia, foi ficando cada vez mais evidente a necessidade de fundar uma Congregação religiosa. No dia 1 de maio de 1857, Ana e mais oito companheiras deram início à nova comunidade. Em 1859 elas pronunciavam os votos de castidade, obediência e pobreza na Congregação que, mais tarde, receberia o nome de “Pia Casa das Pobres de Maria Imaculada”. Após uma vida consumida pela caridade, Irmã Ana foi acometida por uma paralisia e, no dia 7 de fevereiro de 1893, passava deste mundo para o Pai. Em 15 de dezembro de 1977, o Papa São Paulo VI a declarou Venerável para toda a Igreja.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais