Aleteia
Festividade do dia

Sábado, 12 de agosto

Santa Joana Francisca de Chantal

Religiosa e fundadora († 1641)

Compartilhar

Joana nasceu no ano de 1572 na região francesa da Borgonha. Sua família era da alta nobreza. Após transcorrer uma infância marcada pela perda da mãe, Joana contrai matrimônio com Cristóvão II, o Barão de Chantal de quem terá seis filhos. Muito amada por toda a família, Joana se dedica sempre que lhe é possível ao cuidado dos mais pobres, chegando a montar uma estrutura de atendimento às mulheres pobres e às crianças que por ventura vivessem em dificuldade. Com a idade de 29 anos ficará viúva: seu marido morre numa caçada, atingido por um tiro acidental. Mãe de quatro filhos ainda pequenos – seus dois primeiros filhos morreram logo após o nascimento – Joana deve se dedicar à administração da casa e à educação dos filhos. Durante uma visita a seu pai, ela vai à igreja para escutar a pregação quaresmal do bispo de Genebra: Francisco de Sales. O entendimento entre Santa Joana e São Francisco de Sales é imediato: a união fraterna e espiritual entre os dois, bem como o respeito recíproco, produzirão grandes frutos espirituais para a Igreja. Em 1610, diante de um tabelião Joana abandona todos os seus bens em favor de seus filhos e parte com duas companheiras para Annecy: aí fundará a Ordem da Visitação de Santa Maria (Visitandinas – presentes também no Brasil). Santa Joana permanecerá sempre uma “mãe” em contínuo amor pelos seus filhos, não só carnais, mas agora, também espirituais. Peregrina pelas estradas da França, em busca do amor de Deus, fundará ainda 87 casas para sua congregação. No ano de 1641, no mosteiro de Moulins, sua alma levantou voo ao céu.

Descubra outros santos clicando aqui

Oração da manhã

Ouçamos hoje a voz de nosso Deus,
para entrarmos no lugar de seu repouso.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém

Hino
Raiando o novo dia,
as vozes elevamos,
de Deus a graça e glória
em Cristo proclamamos.

Por ele o Criador
compôs a noite e o dia,
criando a lei eterna
que os dois alternaria.

A vós, Luz dos fiéis,
nenhuma lei domina.
Fulgis de dia e noite,
clarão da luz divina.

Ó Pai, por vossa graça,
vivamos hoje bem,
servindo a Cristo e cheios
do vosso Espírito. Amém.

Cântico ..................................Dt 32,1-12

Quantas vezes quis reunir teus filhos, como a galinha reúne os pintinhos debaixo das asas! (Mt 23,37).

Ó céus, vinde, escutai; eu vou falar,
ouça a terra as palavras de meus lábios!
Minha doutrina se derrame como chuva,
minha palavra se espalhe como orvalho,
como torrentes que transbordam sobre a relva
e aguaceiros a cair por sobre as plantas.

O nome do Senhor vou invocar;
vinde todos e dai glória ao nosso Deus!
Ele é a Rocha: suas obras são perfeitas,
seus caminhos todos eles são justiça;
é ele o Deus fiel, sem falsidade,
o Deus justo, sempre reto em seu agir.

Os filhos seus degenerados o ofenderam,
esta raça corrompida e depravada!
É assim que agradeceis ao Senhor Deus,
povo louco, povo estulto e insensato?
Não é ele o teu Pai que te gerou,
o Criador que te formou e te sustenta?

Recorda-te dos dias do passado
e relembra as antigas gerações;
pergunta, e teu pai te contará,
interroga, e teus avós te ensinarão.

Quando o Altíssimo os povos dividiu
e pela terra espalhou os filhos de Adão,
as fronteiras das nações ele marcou
de acordo com o número de seus filhos;
mas a parte do Senhor foi o seu povo,
e Jacó foi a porção de sua herança.

Foi num deserto que o Senhor achou seu povo,
num lugar de solidão desoladora;
cercou-o de cuidados e carinhos
e o guardou como a pupila de seus olhos.

Como a águia, esvoaçando sobre o ninho,
incita os seus filhotes a voar,
ele estendeu as suas asas e o tomou,
e levou-o carregado sobre elas.
O Senhor, somente ele, foi seu guia,
e jamais um outro deus com ele estava.

Glória ao Pai...

Leitura breve Rm 12,14-16a
Abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis. Alegrai-vos com os que se alegram, chorai com os que choram. Mantende um bom entendimento uns com os outros; não vos deixeis levar pelo gosto de grandeza, mas acomodai-vos às coisas humildes.

A alegria cantará sobre meus lábios, e a minh'alma libertada exultará.
Também celebrarei vossa justiça.

BENEDICTUS
Guiai nossos passos no caminho da paz!

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Celebremos a bondade e a sabedoria de Jesus Cristo, que quer ser amado e servido em todos os nossos irmãos e irmãs, principalmente nos que sofrem; e lhe peçamos:

R. Senhor, tornai-nos perfeitos na caridade!

Recordamos, Senhor, nesta manhã, a vossa ressurreição,
– e vos pedimos que estendais à humanidade inteira os benefícios da vossa redenção. R.

Fazei, Senhor, que demos hoje bom testemunho de vós,
– e, por vosso intermédio, ofereçamos ao Pai um sacrifício santo e agradável. R.

Ensinai-nos, Senhor, a descobrir a vossa imagem em todos os seres humanos,
– e a vos servir em cada um deles. R.

Cristo, verdadeiro tronco da videira do qual somos os ramos,
– fortalecei a nossa união convosco para produzirmos muitos frutos e glorificarmos a Deus Pai. R.
(Intenções livres)
Pai nosso ...

Oração
Cantem vossa glória, Senhor, os nossos lábios, cantem nossos corações e nossa vida; e já que é vosso dom tudo o que somos, para vós se oriente também todo o nosso viver. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Meditação

Se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda...

“Senhor, aumentai-nos nossa fé!”. Meditemos as palavras de Cristo e digamos: “se não permitíssemos a nossa fé se debilitar, ou até mesmo se esfriar e perder sua força, colocando nossos pensamentos em coisas fúteis e vãs, deixaríamos de dar importância às coisas deste mundo e recolheríamos nossa fé num recanto de nossa alma. Semearíamos nossa fé, como o grão de mostarda, no jardim de nosso coração, depois de ter arrancado todo o joio, e o trigo germinaria. Com uma firme confiança na palavra de Deus, mudaríamos montanhas de aflição, mas enquanto nossa fé é fraca, não tiraremos de lugar nem sequer um punhado de areia. Para terminar esta conversa, vos direi que como todo consolo espiritual necessita ter como base a fé, e que ninguém mais, a não ser Deus, a pode nos dar, não devemos nunca deixar de pedi-la”.

São Tomás Moro
Mártir (1478-1535).

Oração da tarde

Senhor, clamo por vós durante o dia;
à noite suba a vós o meu clamor
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Ó Deus, autor de tudo,
que a terra e o céu guiais,
de luz vestis o dia,
à noite o sono dais.

O corpo, no repouso,
prepara-se a lutar.
As mentes já se acalmam,
se faz sereno o olhar.

Senhor, vos damos graças
no ocaso deste dia.
A noite vem caindo,
mas vosso amor nos guia.

Sonora, a voz vos louve,
vos cante o coração.
O amor vos renda amor,
e a mente, adoração.

E assim, chegando a noite,
com grande escuridão,
a fé, em meio às trevas,
espalhe o seu clarão.

Ouvi-nos, Pai piedoso,
e Filho, Sumo Bem,
com vosso Santo Espírito
reinando sempre. Amém.

Salmo ............................... 115(116b)

Por meio de Jesus, ofereçamos a Deus um perene sacrifício de louvor (Hb 13,15).

Guardei a minha fé, mesmo dizendo:
'É demais o sofrimento em minha vida!'
Confiei, quando dizia na aflição:
'Todo homem é mentiroso! Todo homem!'

Que poderei retribuir ao Senhor Deus
por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
Elevo o cálice da minha salvação,
invocando o nome santo do Senhor.
Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido.

É sentida por demais pelo Senhor
a morte de seus santos, seus amigos.
Eis que sou o vosso servo, ó Senhor,
vosso servo que nasceu de vossa serva;
mas me quebrastes os grilhões da escravidão!

Por isso oferto um sacrifício de louvor,
invocando o nome santo do Senhor.
Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido;
nos átrios da casa do Senhor,
em teu meio, ó cidade de Sião!

Glória ao Pai...

Leitura Hb 13,20-21
O Deus da paz, que fez subir dentre os mortos aquele que se tornou, pelo sangue de uma aliança eterna, o grande pastor das ovelhas, nosso Senhor Jesus, vos torne aptos a todo bem, para fazerdes a sua vontade; que ele realize em nós o que lhe é agradável, por Jesus Cristo, ao qual seja dada a glória pelos séculos dos séculos. Amém!

Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras e que sabedoria em todas elas!
Encheu-se a terra com as vossas criaturas.

MAGNIFICAT
Despedida a multidão, Jesus subiu ao monte,
a fim de rezar sozinho na montanha;
e caindo, já, a tarde, lá estava ele, só.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Recordando a bondade de Cristo que, compadecido do povo faminto, realizou em favor dele maravilhas de amor, com gratidão elevemos a ele as nossas preces; e digamos:

R. Mostrai-nos, Senhor, o vosso amor!

Reconhecemos, Senhor, que todos os benefícios recebidos neste dia vieram de vossa bondade;
– que eles não voltem para vós sem produzir frutos em nosso coração. R.

Luz e salvação da humanidade, protegei aqueles que dão testemunho de vós em toda a terra,
– e acendei neles o fogo do vosso Espírito. R.

Fazei que todos os seres humanos respeitem a dignidade de seus irmãos e irmãs, de acordo com a vossa vontade,
– a fim de que, todos juntos, respondam com generosidade às mais urgentes necessidades do nosso tempo. R.

Médico das almas e dos corpos, aliviai os enfermos e assisti os agonizantes,
– e visitai-nos e confortai-nos com a vossa misericórdia. R.

(Intenções livres)

Dignai-vos receber na companhia dos santos os nossos irmãos e irmãs que morreram,
– cujos nomes estão escritos no livro da vida. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho

Evangelho segundo S. Mateus 17,14-20.
Naquele tempo, aproximou-se de Jesus um homem, que se ajoelhou diante d’Ele e Lhe disse:
«Senhor, tem compaixão do meu filho, porque é epilético e sofre muito; cai frequentemente no fogo e muitas vezes na água.
Apresentei-o aos teus discípulos, mas eles não puderam curá-lo».
Jesus respondeu: «Oh geração incrédula e perversa! Até quando estarei convosco? Até quando terei de vos suportar? Trazei-mo aqui».
Jesus ameaçou o demónio, que saiu do menino e este ficou curado a partir daquele momento.
Então os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram-Lhe em particular: «Por que motivo não pudemos nós expulsá-lo?».
Jesus respondeu-lhes: «Por causa da vossa pouca fé. Em verdade vos digo: se tiverdes fé comparável a um grão de mostarda, direis a este monte: ‘Muda-te daqui para acolá’, e ele há de mudar-se. E nada vos será impossível».

Boletim
Receba Aleteia todo dia