Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Festividade do dia

sabado 14 dezembro
São Nimatulah Youssef Kassab Al-Hardini

Religioso maronita (†1858)

NATIVITY
Compartilhar

Na famosa terra bíblica dos Cedros, no Líbano, viveu no século XIX São Al-Hardini. Era monge e famoso por sua intransigência nas questões espirituais e doutrinais. Nascido com o nome de Youssef Kassab no ano de 1808m viveu no seio de uma família cristã maronita muito fervorosa. O jovem Youssef fez seus estudos na escola monástica do convento de Santo Antonio de Houb entre os anos 1816 e 1822. Após esse período de estudos, se dedicou a ajudar seus pais nos trabalhos agrícolas. Com o advento da adolescência e o início da vida adulta, sentiu se confirmar sua vocação ao monarquismo, de modo que com a idade de 20 anos tronou público para seus pais o desejo de se tornar monge. Entrou no noviciado do Convento maronita de Santo Antônio em 1828. Após o período de noviciado, emitiu seus votos assumindo o nome religioso Nimatullah (que traduzido, significa “dom de Deus”). Após os estudos teológicos, foi ordenado sacerdote em 1833, no dia de Natal. Decidiu viver a vida cenobítica em Kfifane, num convento maronita com uma escola de teologia anexa. Viveu no rigor da disciplina e na oração constante. Além disso, sua devoção ao Santíssimo Sacramento o levava a se dedicar por horas a fio à oração na capela de joelhos e com os braços abertos diante do Santíssimo. Tudo isso lhe valeu o apelido de o “santo de Kfifane”. Também à Mãe de Deus, Nimatullah dedicava uma devoção especial: tinha muita familiaridade com o famoso texto “As glórias de Maria” de Santo Afonso de Ligório. Além da robusta vida espiritual, tinha uma cultura invejável, de fato, em 1845 recebeu a nomeação de assistente de sua Ordem. Embora fosse cotado, rejeitou terminantemente – por humildade – receber o cargo de Abade Geral; segundo ele, “a Virgem Maria o havia proibido’. Quando não estava em oração, amava se dedicar aos estudos e aos trabalhos de encadernação de livros antigos. Em 1858 contraiu uma pneumonia e no dia 14 de dezembro desse mesmo ano veio a falecer invocando o nome da Mãe de Deus. Testemunhas disseram que no momento de sua morte, uma grande luz inexplicavelmente iluminou seu pequeno quarto e um aroma muito suave se desprendia de seu corpo. Sua fama de santidade em vida, diante desses acontecimentos extraordinários acresceu notavelmente. Logo a fama de milagres também começou a acompanhar a memória do santo. Seu corpo se conserva milagrosamente intacto. São João Paulo II o proclamou santo em 16 de maio de 2004.

Descubra outros santos clicando aqui

Vinde, adoremos o Rei que vai chegar!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Em meio à treva escura,
ressoa clara voz.
Os sonhos maus se afastem,
refulja o Cristo em nós.

Despertem os que dormem
feridos de pecado.
Um novo sol já brilha,
o mal vai ser tirado.

Do céu desce o Cordeiro
Que traz a salvação.
Choremos e imploremos
Das culpas o perdão.

E ao vir julgar o mundo
No dia do terror,
Não puna tantas culpas,
Mas venha com amor.

Ao Pai e ao seu Filho
poder e majestade,
e glória ao Santo Espírito
por toda a eternidade.

Cântico Dt 32,1-12

Quantas vezes quis reunir teus filhos, como a galinha reúne os pintinhos debaixo de suas asas! ( Mt23,27).

Ó céus, vinde, escutai; eu vou falar,
ouça a terra as palavras de meus lábios!
Minha doutrina se derrame como chuva,
minha palavra se espalhe como orvalho,
como torrentes que transbordam sobre a relva
e aguaceiros a cair por sobre as plantas.

O nome do Senhor vou invocar;
vinde todos e dai glória ao nosso Deus!
Ele é a Rocha: suas obras são perfeitas,
seus caminhos todos eles são justiça;
é ele o Deus fiel, sem falsidade,
o Deus justo, sempre reto em seu agir.

Os filhos seus degenerados o ofenderam,
esta raça corrompida e depravada!
É assim que agradeceis ao Senhor Deus,
povo louco, povo estulto e insensato?
Não é ele o teu Pai que te gerou,
o Criador que te formou e te sustenta?

Recorda-te dos dias do passado
e relembra as antigas gerações;
pergunta, e teu pai te contará,
interroga, e teus avós te ensinarão.

Quando o Altíssimo os povos dividiu
e pela terra espalhou os filhos de Adão,
as fronteiras das nações ele marcou
de acordo com o número de seus filhos;
mas a parte do Senhor foi o seu povo,
e Jacó foi a porção de sua herança.

Foi num deserto que o Senhor achou seu povo,
num lugar de solidão desoladora;
cercou-o de cuidados e carinhos
e o guardou como a pupila de seus olhos.

Como a águia, esvoaçando sobre o ninho,
incita os seus filhotes a voar,
ele estendeu as suas asas e o tomou,
e levou-o carregado sobre elas.
O Senhor, somente ele, foi seu guia,
e jamais um outro deus com ele estava.

Glória ao Pai...

Leitura breve Is 11,1-3a
Nascerá uma haste do tronco de Jessé e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor; sobre ele repousará o espírito do Senhor: espírito de sabedoria e discernimento, espírito de conselho e fortaleza, espírito de ciência e temor de Deus; no temor do Senhor encontra ele seu prazer.

O Senhor é contigo, ó Maria, alegra-te, cheia de graça!
Ele chega, o dia já nasce; a terra inteira exulta.

BENEDICTUS
Quem é sábio brilhará como luz no firmamento;
quem ensina à multidão os caminhos da justiça,
fulgirá como as estrelas pelos séculos eternos.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Oremos, com espírito de fé, irmãos caríssimos, a Cristo Redentor, que virá ao mundo com grande poder e glória; e supliquemos:

R. Vinde, Senhor Jesus!

Senhor Jesus Cristo, que haveis de vir cheio de poder e majestade,
- olhai benigno para a nossa humildade e fazei-nos dignos de vossos dons. R.

Vós, que viestes proclamar a Boa-nova à humanidade,
- dai-nos anunciar sempre a vossa salvação. R.

Vós, que viveis eternamente na glória celeste, e tudo governais com poder e sabedoria,
- concedei-nos aguardar com alegria a bem-aventurada esperança, enquanto aguardamos a vossa vinda gloriosa. R.

E a nós, que desejamos a graça da vossa vinda,
- confortai-nos com a assistência do vosso poder divino. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Ó Deus, que inspiraste ao presbítero São João da Cruz extraordinário amor pelo Cristo e total desapego de si mesmo, fazei que, imitando sempre o seu exemplo, cheguemos à contemplação da vossa glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Elias no Monte Horeb
“Um vento de furacão passou diante do Senhor, que quebrava as montanhas e rompia penhascos: mas o Senhor não estava no vento” (1Rs 19,11). Então veio um terremoto e raios após o furacão; Elias entendeu que Deus também não estava lá. Esses fenômenos pretendiam conter o zelo, por outro lado muito louvável, do profeta dentro dos limites de seu ofício, e ensinar-lhe que, de acordo com os sinais dados pela autoridade divina, a severidade deve ser temperada pela misericórdia. De acordo com o significado oculto de que tanto os turbilhões de vento que precediam a vinda do Senhor, como os tremores da terra e os incêndios atiçados pelos ventos eram os sinais que precederiam o julgamento universal [...]. “Depois do fogo, um leve sussurro foi ouvido”. Por meio desse sinal, Deus reteve o zelo imoderado de Elias. Com isso, ele lhe quis dizer: “Percebes que não são do meu agrado nem ventos violentos, nem os terremotos horríveis; tampouco gosto de raios ou relâmpagos: por que não imitas a suavidade do teu Deus? Por que não relaxas um pouco desse zelo ardente que tens de ser mais o protetor do que acusador dos homens do teu povo?”. O murmúrio suave representa a alegria da vida abençoada que será dada ao justo quando, no final dos tempos, o temível juízo universal virá [...]. Depois de ouvir o sussurro suave, Elias cobriu o rosto com o manto e saiu para a entrada da caverna. Uma voz perguntou-lhe: “O que te traz aqui, Elias?”, ele respondeu: “Minha paixão pelo Senhor Deus dos exércitos, porque os israelitas abandonaram tua aliança”. O profeta estava parado na entrada da caverna, sem ousar se aproximar de Deus que vinha; cobriu o rosto pensando que ele não era digno de ver Deus... E, no entanto, ele tinha diante de seus olhos um sinal da clemência divina e, o que deve tê-lo afetado ainda mais, fazia em sua própria pessoa a experiência da maravilhosa bondade de Deus nas palavras que Ele lhe dirigiu. Quem não seria seduzido pela benevolência de tão grande majestade, por uma pergunta tão suave: “O que te traz aqui, Elias?”.
Santo Efrém, o Sírio
Obras, ed. Assemani, Tomo I, 486
Diácono na Síria e doutor da Igreja (306-373)

Vinde, adoremos o Rei que vai chegar!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino

Eterna luz dos homens,
dos astros Criador,
ouvi as nossas preces,
de todos Redentor.

Ao ver compadecido
do mundo a perdição,
em vosso amor viestes
trazer-lhe a salvação.

Se sombra do pecado
a tudo escurecia,
Esposo, vós saístes
do seio de Maria.

Ao simples ecoar
do vosso nome eterno,
joelhos vão dobrando
o céu, a terra, o inferno.

Um dia voltareis,
Juiz e Rei de tudo.
Oh daí-nos hoje a graça,
na tentação escudo.

Ao Pai e ao Filho glória,
ao Espírito também,
louvor, honra e vitória,
Agora e sempre. Amém

Salmo 115(116 B)

Por meio de Jesus, ofereçamos a Deus um perene sacrifício de louvor (Hb 13,15).

Guardei a minha fé, mesmo dizendo:
'É demais o sofrimento em minha vida!'
Confiei, quando dizia na aflição:
'Todo homem é mentiroso! Todo homem!'

Que poderei retribuir ao Senhor Deus
por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
Elevo o cálice da minha salvação,
invocando o nome santo do Senhor.
Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido.

É sentida por demais pelo Senhor
a morte de seus santos, seus amigos.
Eis que sou o vosso servo, ó Senhor,
vosso servo que nasceu de vossa serva;
mas me quebrastes os grilhões da escravidão!

Por isso oferto um sacrifício de louvor,
invocando o nome santo do Senhor.
Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido;
nos átrios da casa do Senhor,
em teu meio, ó cidade de Sião!

Glória ao Pai...

Leitura 1Ts 5,23-24
Que o próprio Deus da paz vos santifique totalmente, e que tudo aquilo que sois - espírito, alma, corpo - seja conservado sem mancha alguma para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo! Aquele que vos chamou é fiel; ele mesmo realizará isso.

Que o universo rejubile e dê gritos de alegria: Pois o Senhor há de chegar!
Eu vi um novo céu, eu vi uma nova terra; nunca mais haverá choro nem clamor nem aflição.

MAGNIFICAT
Não existia nenhum Deus antes de mim, e nem depois eternamente há de existir;
diante de mim se dobrará todo joelho e toda língua haverá de me dar glória.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Invoquemos a Cristo Jesus, felicidade e alegria de todos os que o esperam; e digamos:

R. Vinde, Senhor, e não tardeis!

Esperado das nações, cheios de alegria, aguardamos vossa vinda;
- vinde, Senhor Jesus. R.

Vós, que existis eternamente, antes da criação do mundo,
– vinde salvar todos os que vivem neste mundo. R.

Vós, que criastes o universo e tudo o que nele existe,
– vinde renovar a obra de vossas mãos. R.

Vós, que não recusastes assumir nossa natureza mortal,
– vinde libertar-nos do poder da morte. R.

Vós, que viestes à terra para nos dar uma vida nova,
– vinde e dai-nos a vida eterna. R.

(Intenções livres)

Vós, que quisestes reunir no vosso reino toda a humanidade,
- vinde congregar na unidade todos os que esperam a visão da vossa face. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Alma Redemptoris mater,
Quae pervia caeli porta manes
Et Stella Maris
Succurre cadenti
Surgere qui curat populo

Tu quae genuisti
Natura mirante
Tuum sanctum Genitorem
Virgo prius, ac posterius
Gabrielis ab ore
Sumens illud Ave
Peccatorum miserere

(Tradução)
Ó Doce mãe do Redentor
Que permanece, do céu, uma porta aberta
E estrela do mar
Ajuda teu povo que está caindo
E que deseja se levantar

Tu que destes à luz
Com toda natureza admirando
Teu Santo Criador
Virgem antes e depois
Recebendo aquela saudação
Da boca de Gabriel
Tende piedade de nós pecadores

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São Mateus 17,10-13.
Ao descerem do monte, os discípulos perguntaram a Jesus: «Porque dizem os escribas que Elias tem de vir primeiro?»
Jesus respondeu-lhes: «Certamente Elias há-de vir para restaurar todas as coisas.
Eu vos digo, porém, que Elias já veio; mas, em vez de o reconhecerem, fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim também o Filho do homem será maltratado por eles».
Então os discípulos compreenderam que Jesus lhes falava de João Baptista.

Boletim
Receba Aleteia todo dia