Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

São Lourenço Ruiz (de Manila) e quinze companheiros

Mártires Dominicanos do Japão († 1633-1637)

PENECOST FLAME

Steele Savage | Waiting For The Word | CC BY 2.0

É um grupo de 16 mártires da fé, morto em Nagasaki no Japão entre os anos de 1633 a 1637. Em seguida, houve outro grande grupo, de 205 mártires, que deram a vida, sempre em Nagasaki-Omura, entre os anos de 1617 a 1632.

São Lourenço Ruiz e quinze companheiros foram vítimas da perseguição desencadeada em 28 de fevereiro de 1633, pelo “shogun” (líder militar supremo da nação), Tokagawa Yemitsu; que com o Edito n.7, atingiu estrangeiros que “… pregavam a lei cristã. Seus cúmplices nesta perversidade deveriam ser detidos na prisão de Omura”.

Dentre os dezesseis missionários havia nove padres dominicanos, três irmãos leigos dominicanos, dois terciários dominicanos, dos quais um também era terciário agostiniano, dois leigos, um dos quais pai de família.

Eles já haviam realizado um apostolado ativo na difusão da fé cristã nas Filipinas, em Formosa e no Japão. Pertenciam em diferentes graus, à Província Dominicana do Santo Rosário, também conhecida como Filipinas, cuja fundação remonta às Missões na China, em 1587, e que no início dos anos 1600 havia estabelecido um Vicariato no Japão.

Foram capturados lentamente, em grupos ou individualmente, e colocados na prisão de Nagasaki. Durante cinco anos, foram várias vezes torturados..

A partir de 1633, começou uma nova técnica cruel de tortura, chamada “ana-tsurushi”, que significa forca-fosso: o condenado era suspenso por uma viga de madeira com o corpo e de cabeça para baixo. Era então mergulhado, até abaixo a cintura, numa fossa cheia de fezes e era suspenso. Os mártires permaneciam dias agonizando e sufocando nesta condição .

A partir de 1634, os cristãos antes de serem submetidos a esse martírio, foram submetidos a tormentos atrozes como a água engolida em abundância e depois expulsa com violência. Também havia o piercing de pontas afiadas entre as unhas e as pontas dos dedos das mãos. Certamente, a maldade humana, quando é desencadeada na invenção de formas de tortura, supera toda a comparação com a ferocidade das bestas, que pelo menos agem por instinto e procuram comida.

Os dezesseis mártires eram de várias nacionalidades: 1 filipino, 9 japoneses, 4 espanhóis, 1 francês e 1 italiano.

Em 1633, o padre Domenico Ibáñez de Equicia, nascido em 1589 em Régil (Guipuzcoa) na Espanha, e o irmão catequista japonês Cooper Francesco Shoyemon, foram mortos em 14 de agosto. No dia 17 de agosto, o padre japonês Kyushei Gorobioye Tomonaga e Michele Kurabioye, uma catequista colaboradora japonesa foram mortos em nome da fé. Em 19 de outubro, morreu o padre Luca Alonso Gorda, um espanhol nascido em 1594, em Carracedo (Zamora), e Matteo Kohioye, um irmão catequista japonês, nascido em Arima em 1615.

Em 1634, duas dominicanas terciárias foram mortas em 11 de novembro. Omura japonesa, convidada dos missionários, foi queimada viva em fogo lento e Madalena de Nagasaki, japonesa, nascida em 1610 (ex-terciária agostiniana), foi morta em 15 de outubro. Em 17 de novembro, foram mortos o padre Giordano Giacinto Ansalone, italiano da Sicília, Padre Thomas Hioji Rokuzayemon Nishi, japonês, nascido em Hirado em 1590 e o padre Guilherme Courtet, francês.

No ano de 1637, o padre espanhol Antonio González, nascido em Lião, foi morto em 24 de setembro e cinco dias depois o padre Michele de Aozaraza, nascido em 1598 em Oñata (Guipuzcoa) na Espanha e o padre Vincenzo Shiwozuka japonês, foram mortos em 29 de setembro; com eles também os dois leigos Lourenço Ruiz, filipino de Manilha, pai de família, sacristão dos dominicanos e Lázaro de Kyoto, japonês.

No martírio do grupo, foram realizados dois julgamentos diocesanos nos anos de 1637 e 1638, cujos “Atos” só foram encontrados no início do século XX, possibilitando a retomada da Causa na Santa Sé.

Eles foram beatificados pelo papa João Paulo II em 18 de fevereiro de 1981 em Manila, nas Filipinas, sendo estabelecido São Lourenço Ruiz como o protomártir desta nação, e canonizados em Roma pelo mesmo pontífice em 18 de outubro de 1987.

O Martirológio Romano comemora esses 16 santos mártires nos respectivos aniversários de suas mortes:

14 de agosto – Dominic Ibanez de Erquicia Pérez de Lete , sacerdote Dominicano e Francis Shoyemon, noviço dominicano;

17 de agosto – James Kyuhei Gorobioye Tomonaga , sacerdote Dominicano e Michele Kurobioye leiga ;

19 de outubro – Luca Alonso Gorda, sacerdote Dominicano e Matteo Kohioye, noviço dominicano;

15 de outubro – Madalena de Nagasaki , Terciária Dominicana e Agostiniana;

11 de novembro – Marina de Omura , Terciária Dominicana;

17 de novembro – Giacinto Ansalone (Giordano di Santo Stefano), sacerdote Dominicano e Thomas Hioji Kokuzayemon Nishi, sacerdote Dominicano;

24 de setembro – Antônio Gonzalez, sacerdote Dominicano;

28 de setembro – São Lourenço Ruiz, leigo, pai de família;

29 de setembro – William Courtet (Thomas de São Domingos) , sacerdote Dominicano, Michael de Aozaraza , sacerdote Dominicano, Vincenzo Shiwozuka (Vincenzo della Croce) , sacerdote Dominicano e Lázaro de Kyoto, leigo.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais