Aleteia
Festividade do dia

segunda 6 Julho
Santa Nazária Ignácia de Santa Teresa de Jesus

Virgem e fundadora (†1943)

Compartilhar

Seu nome de batismo era Nazária Inácia March Mesa e nasceu no dia 10 de janeiro de 1889 em Madrid. Seu pai era comerciante e sua mãe, não era particularmente devota: pouco frequentava a religião católica. O parto foi bastante difícil, pois a mãe esperava gêmeas. Tanto Nazária quanto sua irmã Inácia foram batizadas no mesmo dia do nascimento, sob condição, pois havia o temor que ambas não resistissem. A grande influência religiosa veio da avó materna, que colocou Nazária numa escola em Sevilha gerenciada pelas Agostinianas do Espírito Santo. É nesse colégio que Nazária fará sua Primeira Comunhão em 1898. Na noite anterior à comunhão, Nazária rezou fervorosamente até que adormeceu. Durante o sono teve uma visão de Jesus que carregava a cruz. A certo momento, Jesus se volta para ela e diz: “Nazária, segue-me!”. E ela teria respondido por três vezes: “Quero te seguir o mais de perto possível”, prometendo a Jesus que faria um voto de virgindade. Dois anos depois de sua Primeira Comunhão o sonho se realizou: no dia 15 de agosto de 1900, fez seu voto com algumas companheiras do Colégio. Apesar disso, ao voltar para casa, se deparou com a indiferença de seus pais e irmãos. Muito sofrimento teve que suportar, pois a determinado momento, seus pais chegaram a lhe proibir a ida à igreja para receber os sacramentos. Em 1902, novamente em Sevilha, ela recebeu o sacramento da Crisma do Arcebispo: recebeu a graça do sacramento e se sentiu fortificada em seu propósito de viver uma vida totalmente dedicada ao seu Jesus. Com a permissão de sua avó se inscreveu na Ordem Terceira Franciscana, obtendo assim maior liberdade junto a seus pais para participar da vida sacramental. Em razão de um revés nos negócios do pai, toda a família acabou por se transferir para a Cidade do México. Nessa nova realidade, Nazária convencida de sua vocação, entrou em contato com as Pequenas Irmãs dos Idosos Abandonados e no dia 7 de dezembro de 1908 ingressou oficialmente nessa comunidade religiosa. Após o seu postulantado, foi enviada para Palência, na Espanha para fazer seu noviciado. Em 1909 assume o nome religioso de Nazária de Santa Teresa de Jesus. Diante do pedido das superioras se haveria alguma voluntária para fundar uma casa religiosa na Bolívia, Irmã Nazária logo se dispôs a partir. Fez primeiramente seus votos simples, no dia 15 de outubro de 1911. Um ano depois, no dia 23 de dezembro de 1912, junto com outras nove coirmãs, Irmã Nazária chegava em Oruro, na Bolívia. Começou então a trabalhar com idosos e a desempenhar os mais variados papéis: administrava a pequena comunidade, trabalhava ora como enfermeira, ora como cozinheira, porteira… Nem sempre esses trabalhos eram prazerosos, mas ela encarava todos os sofrimentos com um olhar e uma atitude de fé. Em 1915 fez sua profissão perpétua: na noite anterior à profissão foi horrivelmente tentada a se rebelar contra o projeto que Deus lhe apresentava. Mas ela venceu a tentação. Entre os anos de 1918 e 1924, ao se dedicar a buscar esmolas para os pobres idosos abandonados, Irmã Nazária, sentiu o desejo da vida apostólica: começou a se dedicar ao ensinamento do catecismo e à organização de uma escola de jovens para o apostolado. Mas, por ser uma obra não conforme aos objetivos de sua Congregação, teve que deixá-las de lado. Mais tarde, ao ter um encontro com Monsenhor Felipe Cortesi, então Núncio na Bolívia, surgiu a ideia de fundar uma Comunidade de freiras voltada ao ensinamento. Após alguns anos a ideia se concretizou em 1925, quando foi para um velho edifício que tinha sido propriedade dos jesuítas. Com o apoio dos claretianos, Irmã Nazária começava a semente do Instituto das Irmãs Missionárias da Cruzada Pontifícia, comunidade voltada para a formação e inspirada na espiritualidade inaciana. O caminho para Irmã Nazária, no entanto, foi marado pelo sofrimento e pela incompreensão. Após reveses pessoais – como a desaprovação para os votos de sua primeira companheira, considerada desobediente – ela foi para Roma em 1934: além de fazer uma verdadeira peregrinação, conseguiu ser recebida numa audiência privada pelo Papa Pio XI. A aprovação definitiva do Instituto ocorreu em 1947 – quando Irmã Nazárfia já estava falecida – e recebeu o nome de Missionárias Cruzadas da Igreja. Após 22 anos de ausência de sua pátria, Irmã Nazária voltou para sua Espanha para fundar uma casa que deveria servir para os exercícios espirituais. Após tantos trabalhos, acometida por uma pneumonia, Irmã Nazária faleceu no dia 6 de julho de 1943, Sua canonização, sob o Pontificado do Papa Francisco, ocorreu no dia 14 de outubro de 2018 após a confirmação do milagre. Com efeito, no dia 13 de outubro de 2010 a Irmã Maria Vitória Azuara, Irmã Missionária Cruzada da Igreja, sofreu uma hemorragia cerebral. Ficou sem poder falar e tinha muitas dificuldades para deglutir os alimentos. As Irmãs começaram uma corrente de oração, pedindo a intercessão de Irmã Nazária. Doze dias depois, de modo inexplicável pelos métodos médico-científicos e contra todos os prognósticos, Irmã Maria Vitória começou a falar normalmente e a comer sem problema algum.

Descubra outros santos clicando aqui

Exultemos de alegria no Senhor, e com cantos de alegria o celebremos!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Doador da luz esplêndida,
pelo vosso resplendor,
ao passar da noite o tempo,
surge o dia em seu fulgor.

Verdadeira Estrela d'alva,
não aquela que anuncia
de outro astro a luz chegando
e a seu brilho se anuvia,

mas aquela luminosa,
mais que o sol em seu clarão,
mais que a luz e mais que o dia,
aclarando o coração.

Casta, a mente vença tudo,
que os sentidos pedem tanto;
vosso Espírito guarde puro
nosso corpo, templo santo.

A vós, Cristo, Rei clemente,
e a Deus Pai, Eterno Bem,
com o Espírito Paráclito,
honra e glória eterna. Amém.

Cântico Eclo 36,1-7.13-16

A vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e àquele que tu enviaste, Jesus Cristo (Jo 17,3).

Tende piedade e compaixão, Deus do universo,
e mostrai-nos vossa luz, vosso perdão!
Espalhai vosso temor sobre as nações,
sobre os povos que não querem procurar-vos,
para que saibam que só vós é que sois Deus,
e proclamem vossas grandes maravilhas.

Levantai a vossa mão contra os estranhos,
para que vejam como é grande a vossa força.
Como em nós lhes demonstrastes santidade,
assim mostrai-nos vossa glória através deles,
para que saibam e confessem como nós
que não há um outro Deus, além de vós!

Renovai vossos prodígios e portentos,
glorificai o vosso braço poderoso!
Reuni todas as tribos de Jacó,
e recebam, como outrora, a vossa herança.

Deste povo que é vosso, tende pena,
e de Israel de quem fizestes primogênito,
e a quem chamastes com o vosso próprio nome!
Apiedai-vos de Sião, vossa cidade,
o lugar santificado onde habitais!
Enchei Jerusalém com vossos feitos,
e vosso povo, com a luz de vossa glória!

Glória ao Pai...

Leitura breve Jr 15,16
Quando encontrei tuas palavras, alimentei-me; elas se tornaram para mim uma delícia e a alegria do coração, o modo como invocar teu nome sobre mim, Senhor Deus dos exércitos.

Ó justos, alegrai-vos no Senhor! Aos retos fica bem glorificá-lo.
Cantai para o Senhor um canto novo.

BENEDICTUS
Tomastes vossa cruz como o Cristo, ó santa virgem.
Na virgindade e no martírio imitastes vosso Esposo.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Demos graças a nosso Salvador, que fez de nós um povo de reis e sacerdotes para oferecermos sacrifícios agradáveis a Deus. Por isso o invoquemos:

R. Conservai-nos, Senhor, em vosso serviço!

Cristo, sacerdote eterno, que nos tornastes participantes do vosso sacerdócio santo,
– ensinai-nos a oferecer sempre sacrifícios espirituais agradáveis a Deus. R.

Dai-nos os frutos do vosso Espírito:
– paciência, bondade, mansidão. R.

Fazei que vos amemos acima de todas as coisas e pratiquemos o bem,
– para que nossas obras vos glorifiquem. R.

Ajudai-nos a procurar sempre o bem dos nossos irmãos e irmãs,
– para que eles alcancem mais facilmente a salvação. R.

(Intenções livres)
Pai nosso ...

Oração
Ó Deus, fonte de inocência e pureza, que ornastes Maria Goretti, ainda adolescente, com a graça do martírio e a coroastes no combate pela virgindade, dai-nos, por sua intercessão, guardar sempre os vossos mandamentos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

A menina não está morta, ela está dormindo...
Vamos ver a simbologia que esta passagem contém. Pode se interpretar o chefe da sinagoga como um representante da Lei de Moisés, que roga em benefício da multidão que ela [a Lei] havia nutrido para Cristo, anunciando-lhe a espera de sua chegada; ele pede ao Senhor que devolva a vida a uma morta. O Senhor prometeu sua ajuda e, para garantir que ajudará, ele o acompanha. O dom da vida era equivalente, em primeiro lugar, à escolha predestinada pela lei, mas anteriormente, na imagem da mulher que sofria com um fluxo de sangue, a salvação havia visitado os publicanos e pecadores. Ela avançou com fé para tocar a borda do vestido, ou seja, alcançar na companhia dos apóstolos o dom do Espírito Santo que sai do corpo de Cristo através de sua veste.
De fato, Deus não era divisível nem perceptível para estar encerrado em um corpo; ele distribui seus dons no Espírito, mas ele não se divide em seus dons. Sua força é percebida pela fé em todos as partes, porque é para todos e em nenhuma parte está ausente. O Senhor posteriormente entra na casa do chefe, isto é, na sinagoga, e muitos zombam dele. De fato, eles não creram em um Deus feito homem; eles riram ao ouvir pregar a ressurreição dentre os mortos. Segurando a mão da menina, o Senhor trouxe de volta à vida aquela cuja morte era apenas um sonho diante dele.
Saint Hilário de Poitiers
Comentário sobre o Evangelho de São Mateus, 9, 5-8.
Bispo. Por lutar contra a heresia ariana, sofreu exílio; é Doutor da Igreja († 367).

Vinde, adoremos o Senhor que nos criou!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Fonte da luz, da luz origem,
as nossas preces escutai:
da culpa as trevas expulsando,
com vossa luz nos clareai.

Durante a faina deste dia
nos protegeu o vosso olhar.
De coração vos damos graças
em todo tempo e lugar.

Se o pôr do sol nos trouxe as trevas,
outro sol fulge, coruscante,
e envolve até os próprios anjos
com o seu brilho radiante.

Todas as culpas deste dia
apague o Cristo bom e manso,
e resplandeça o coração
durante as horas do descanso.

Glória a vós, Pai, louvor ao Filho,
poder ao Espírito também.
No resplendor do vosso brilho,
regeis o céu e a terra. Amém.

Salmo 44(45)

O noivo está chegando. Ide ao seu encontro! (Mt 25,6).

II

Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:
"Esquecei vosso povo e a casa paterna!
Que o Rei se encante com vossa beleza!
Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!

O povo de Tiro vos traz seus presentes,
os grandes do povo vos pedem favores.
Majestosa, a princesa real vem chegando,
vestida de ricos brocados de ouro.

Em vestes vistosas ao Rei se dirige,
e as virgens amigas lhe formam cortejo;
entre cantos de festa e com grande alegria,
ingressam, então, no palácio real".

Deixareis vossos pais, mas tereis muitos filhos;
fareis deles os reis soberanos da terra.
Cantarei vosso nome de idade em idade,
para sempre haverão de louvar-vos os povos!

Glória ao Pai...

Leitura 1Ts 2,13
Agradecemos a Deus sem cessar por vós terdes acolhido a pregação da palavra de Deus, não como palavra humana, mas como aquilo que de fato é: Palavra de Deus, que está produzindo efeito em vós que abraçastes a fé.

Ó Senhor, suba à vossa presença a minha oração, como incenso.
Minhas mãos como oferta da tarde.

MAGNIFICAT
Duas vitórias celebremos neste mesmo sacrifício:
a virgindade consagrada e a glória do martírio.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Louvemos a Jesus Cristo, que alimenta e fortalece a sua Igreja. Oremos cheios de confiança, dizendo:

R. Ouvi, Senhor, a oração do vosso povo!

Senhor Jesus, fazei que todos os homens se salvem,
– e cheguem ao conhecimento da verdade. R.

Protegei o Santo Padre, o Papa N. e o nosso bispo N.;
– ajudai-os com o vosso poder. R.

Favorecei os que procuram trabalho justo e estável,
– para que vivam felizes e tranquilos. R.

Sede, Senhor, o refúgio dos pobres e oprimidos,
– ajudai-os na tribulação. R.

(Intenções livres)

Nós vos recomendamos aqueles que durante a vida exerceram o ministério sagrado,
– para que vos louvem eternamente no céu. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Salve, Regina, mater misericordiae
Vita, dulcedo, et spes nostra, salve.
Ad te clamamus, exsules, filii evae.
Ad te suspiramus, gementes et flentes
in hac lacrimarum valle.

Eia ergo, Advocata nostra,
illos tuos misericordes oculos
ad nos converte.
Et Iesum, benedictum fructum ventris tui,
nobis post hoc exsilium ostende.
O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria.

Ora pro nobis sancta Dei Genetrix.
Ut digni efficiamur promissionibus Christi. Amen.
(Tradução)
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos, degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São Mateus 9,18-26.
Naquele tempo, estava Jesus a falar aos seus discípulos, quando um chefe se aproximou e se prostrou diante dele, dizendo: «A minha filha acaba de falecer. Mas vem impor a mão sobre ela e viverá».
Jesus levantou-Se e acompanhou-o com os discípulos.
Entretanto, uma mulher que sofria um fluxo de sangue havia doze anos aproximou-se por detrás dele e tocou-Lhe na fímbria do manto,
pensando consigo: «Se eu ao menos Lhe tocar no manto, ficarei curada».
Mas Jesus voltou-Se e, ao vê-la, disse-lhe: «Tem confiança, minha filha. A tua fé te salvou». E a partir daquele momento a mulher ficou curada.
Ao chegar a casa do chefe e ao ver os tocadores de flauta e a multidão em grande alvoroço,
Jesus disse-lhes: «Retirai-vos, porque a menina não morreu; está a dormir». Riram-se dele.
Mas, quando mandou sair a multidão, Jesus entrou, tomou a menina pela mão e ela levantou-se.
E a notícia divulgou-se por toda aquela terra.

Boletim
Receba Aleteia todo dia