Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Festividade do dia

segunda-feira 15 abril
São Maron

Mártir (†100)

ROSE
Compartilhar

As notícias mais antigas sobre este santo encontram-se nas Atas dos Santos Nereu e Aquiles. Segundo essa fonte, durante o reino do imperador Domiciano (81-96), da família dos Flávios, Domitila, prima do imperador era considerada a “ovelha negra” da família, já que era cristã. Em Roma, já antes da pregação de São Pedro e São Paulo existia uma comunidade cristã, que nessa época já extava bem estruturada, principalmente depois da perseguição do ano 64 impetrada pelo imperador Nero, e que culminou com o martírio do príncipe dos Apóstolos. Domitila era órfã e era criada por seu tio Flávio Clemente. Como era o costume, Domitila havia sido prometida em matrimônio para Aureliano, um membro de uma nobre família de senadores. Esse matrimônio iria garantir os laços com a família imperial. Maron era amigo da família dos Flávios e, sendo cristão, acabou convencendo Domitila que o melhor seria não se casar. Assim, Aureliano se viu rejeitado pela menina; naturalmente foi tomado pela fúria, pois via sua chance de progredir na ascensão social ir por água abaixo. Exigiu que Domitila fosse punida por ser cristã. Assim, Domitila teve o benefício de ser exilada – e não a morte certa, como era o caso. Mais tarde, Domitila pôde retornar a Roma, já que o imperador havia sido substituído pelo imperador Nerva. No entanto, Aureliano agora era cônsul e procurou se vingar contra aqueles que haviam aconselhado Domitila a não se casar: Maron foi condenado aos trabalhos forçados por ser cristão; assim, foi enviado para os campos ao longo da Via Salária para que, todos os dias, o dia todo, ficasse carpindo os terrenos de propriedade de Aureliano. Apesar disso, Maron gozava de grande respeito e, incrivelmente, o número de cristãos ao seu redor só aumentava. Morreu por volta do ano 100, extenuado pelos trabalhos forçados.

Descubra outros santos clicando aqui

Cristo por nós foi tentado, sofreu e na cruz morreu: Vinde todos, adoremos!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
O fel lhe dão por bebida
sobre o madeiro sagrado.
Espinhos, cravos e lança
ferem seu corpo e seu lado.

No sangue e água que jorram,
mar, terra e céu são lavados.
Ó cruz fiel sois a árvore
mais nobre em meio às demais,
que selva alguma produz
com flor e frutos iguais.

Ó lenho e cravos tão doces,
um doce peso levais.
Árvore, inclina os teus ramos,
abranda as fibras mais duras.

A quem te fez germinar
minora tantas torturas.
Leito mais brando oferece
ao Santo Rei das alturas.

Só tu, ó Cruz, mereceste
suster o preço do mundo
e preparar para o náufrago
um porto, em mar tão profundo.
Quis o cordeiro imolado
banhar-te em sangue fecundo.

Glória e poder à Trindade.
Ao Pai e ao Filho Louvor.
Honra ao Espírito Santo.
Eterna glória ao Senhor,
que nos salvou pela graça
e nos remiu pelo amor.

Cântico Eclo 36,1-7.13-16

A vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e àquele que tu enviaste, Jesus Cristo (Jo 17,3).

Tende piedade e compaixão, Deus do universo,
e mostrai-nos vossa luz, vosso perdão!
Espalhai vosso temor sobre as nações,
sobre os povos que não querem procurar-vos,
para que saibam que só vós é que sois Deus,
e proclamem vossas grandes maravilhas.

Levantai a vossa mão contra os estranhos,
para que vejam como é grande a vossa força.
Como em nós lhes demonstrastes santidade,
assim mostrai-nos vossa glória através deles,
para que saibam e confessem como nós
que não há um outro Deus, além de vós!

Renovai vossos prodígios e portentos,
glorificai o vosso braço poderoso!
Reuni todas as tribos de Jacó,
e recebam, como outrora, a vossa herança.

Deste povo que é vosso, tende pena,
e de Israel de quem fizestes primogênito,
e a quem chamastes com o vosso próprio nome!
Apiedai-vos de Sião, vossa cidade,
o lugar santificado onde habitais!
Enchei Jerusalém com vossos feitos,
e vosso povo, com a luz de vossa glória!

Leitura breve Jr 11,19-20
Eu era como manso cordeiro levado ao sacrifício, e não sabia que tramavam contra mim: "Vamos cortar a árvore em toda sua força, eliminá-lo do mundo dos vivos, para seu nome não ser mais lembrado". E tu, Senhor dos exércitos, que julgas com justiça e perscrutas os afetos do coração, concede que eu veja a vingança que tomarás contra eles, pois eu te confiei a minha causa.

Lembra-te de Cristo, ressuscitado dentre os mortos!
Ele é nossa salvação e nossa glória para sempre.
Se com ele nós morremos, também com ele viveremos.

BENEDICTUS
Ó Pai justo, o mundo não te conheceu;
eu, porém, te conheci, pois me enviaste.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;
e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,
para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança
e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,
anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,
para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados
e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Imploremos a Cristo Salvador, que nos remiu por sua morte e ressurreição; e digamos:

R. Senhor, tende piedade de nós!

Vós, que subistes a Jerusalém para sofrer a Paixão, e assim entrar na glória,
– conduzi vossa Igreja à Páscoa da eternidade. R.

Vós, que, elevado na cruz, deixastes a lança do soldado vos traspassar,
– curai as nossas feridas. R.

Vós, que transformastes o madeiro da cruz em árvore da vida,
– concedei de seus frutos aos que renasceram pelo batismo. R.

Vós, que, pregado na cruz, perdoastes o ladrão arrependido,
– perdoai-nos também a nós pecadores. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Concedei, ó Deus, ao vosso povo, que desfalece por sua fraqueza, recobrar novo alento pela Paixão do vosso Filho. Que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

Deixai-a: ele fez uma obra boa para comigo...

Maria, a irmã de Lázaro e de Marta, trazia um frasco de perfume de nardo e ungiu os pés de Jesus. Maria, tal qual se lê no evangelho, foi muito considerada por Cristo pela grandeza extraordinária de sua fé. Na passagem que precede, chorando a morte de seu irmão, fez chorar também o Senhor, pois provocou a ternura no autor da ternura. Pois bem, ainda que preparasse a ressurreição de Lázaro, o Senhor chorava porque Maria chorava, para mostrar assim sua própria ternura e, ao mesmo tempo, o mérito de Maria. As lágrimas do Senhor nos mostram o mistério da carne assumida; a ressurreição de Lázaro coloca em evidência o poder de sua divindade. Nesta passagem, olhemos a devoção e a fé dessa mulher. Os outros estavam à mesa com o Senhor; ela, ungindo-lhe os pés. Os outros conversavam com o Senhor; ela, no silêncio de sua fé, secava seus pés com seus cabelos. Os outros ocupavam um lugar de honra; ela servia. Mas o serviço prestado por Maria tinha mais mérito aos olhos de Cristo que os primeiros lugares dos convivas. Por isso, o Senhor disse: “Vos asseguro: onde quer que se proclame a Boa Notícia, no mundo inteiro, se falará também do que ela fez, parta sua memória”.

São Cromácio de Aquileia
Bispo e pregador (345-407).

Cristo por nós foi tentado, sofreu e na cruz morreu: Vinde todos, adoremos!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Do Rei avança o estandarte,
fulge o mistério da Cruz,
onde por nós foi suspenso
o autor da vida, Jesus.

Do lado morto de Cristo,
ao golpe que lhe vibraram,
para lavar meu pecado
o sangue e água jorraram.

Árvore esplêndida e bela,
de rubra púrpura ornada,
de os santos membros tocar
digna só tu foste achada.

Ó Cruz feliz, dos teus braços
do mundo o preço pendeu;
balança foste do corpo
que ao duro inferno venceu.

Salve, ó altar, salve vítima,
eis que a vitória reluz:
a vida em ti fere a morte,
morte que à vida conduz.

Salve, ó cruz, doce esperança,
concede aos réus remissão;
dá-nos o fruto da graça,
que floresceu na Paixão.

Louvor a vós, ó Trindade,
fonte de todo perdão,
aos que na Cruz foram salvos,
dai a celeste mansão.

Salmo 44(45 )

O noivo está chegando. Ide ao seu encontro! (Mt 25,6).

II
Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:
'Esquecei vosso povo e a casa paterna!
Que o Rei se encante com vossa beleza!
Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!

O povo de Tiro vos traz seus presentes,
os grandes do povo vos pedem favores.
Majestosa, a princesa real vem chegando,
vestida de ricos brocados de ouro.

Em vestes vistosas ao Rei se dirige,
e as virgens amigas lhe formam cortejo;
entre cantos de festa e com grande alegria,
ingressam, então, no palácio real'.

Deixareis vossos pais, mas tereis muitos filhos;
fareis deles os reis soberanos da terra.
Cantarei vosso nome de idade em idade,
para sempre haverão de louvar-vos os povos!
Glória ao Pai...

Leitura Rm 5,8-9
A prova de que Deus nos ama é que Cristo morreu por nós, quando éramos ainda pecadores. Muito mais agora, que já estamos justificados pelo sangue de Cristo, seremos salvos da ira por ele.

Jesus, lembrai-vos de mim, ao chegar a vosso Reino!
Vós que não rejeitais um coração oprimido.
Vós que vos fizestes obediente até a morte.

MAGNIFICAT
Como Moisés ergueu na haste a serpente no deserto, o Filho do Homem há de ser levantado numa cruz; e, assim, quem nele crer, não pereça para sempre, mas possua a vida eterna.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Adoremos o Salvador do gênero humano, que morrendo destruiu a morte e ressuscitando renovou a vida; e peçamos com humildade:

R. Santificai, Senhor, o povo que remistes com vosso sangue!

Jesus, nosso Redentor, concedei que, pela penitência, nos associemos cada vez mais plenamente à vossa Paixão,
– a fim de alcançarmos a glória da ressurreição. R.

Acolhei-nos sob a proteção de Maria,vossa Mãe, consoladora dos aflitos,
– para podermos confortar os tristes como mesmo auxílio que de vós recebemos. R.

Concedei aos vossos fiéis a graça de tomar parte na vossa Paixão por meio dos sofrimentos da vida,
– para que também neles se manifeste a vossa salvação. R.

Senhor Jesus, que vos humilhastes na obediência até à morte e morte de cruz,
– ensinai-nos a ser obedientes e a sofrer com paciência. R.

(Intenções livres)

Tornai os corpos de nossos irmãos e irmãs falecidos semelhantes à imagem do vosso corpo glorioso,
– e fazei-nos dignos de participar um dia, com eles, da vossa glória. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Sub tuum praesidium
Sub tuum praesidium confúgimus
sancta Dei Genetrix.
nostras deprecationes ne despicias in necessitatibus,
sed a periculis cunctis libera nos semper,
Virgo gloriosa et benedicta

(Tradução:)
À vossa proteção recorremos,
Santa Mãe de Deus;
não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades;
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó, Virgem gloriosa e bendita.

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São João 12,1-11.

Seis dias antes da Páscoa, Jesus foi a Betânia, onde vivia Lázaro, que Ele tinha ressuscitado dos mortos.
Ofereceram-Lhe lá um jantar: Marta andava a servir e Lázaro era um dos que estavam à mesa com Jesus.
Então Maria tomou uma libra de perfume de nardo puro, de alto preço, ungiu os pés de Jesus e enxugou-Lhos com os cabelos; e a casa encheu-se com o perfume do bálsamo.
Disse então Judas Iscariotes, um dos discípulos, aquele que havia de entregar Jesus:
«Porque não se vendeu este perfume por trezentos denários, para dar aos pobres?»
Disse isto, não porque se importava com os pobres, mas porque era ladrão e, tendo a bolsa comum, tirava o que nela se lançava.
Jesus respondeu-lhe: «Deixa-a em paz: ela tinha guardado o perfume para o dia da minha sepultura.
Pobres, sempre os tereis convosco; mas a Mim, nem sempre Me tereis».
Soube então grande número de judeus que Jesus Se encontrava ali e vieram, não só por causa de Jesus, mas também para verem Lázaro, que Ele tinha ressuscitado dos mortos.
Entretanto, os príncipes dos sacerdotes resolveram matar também Lázaro,
porque muitos judeus, por causa dele, se afastavam e acreditavam em Jesus.