Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 30 Outubro |
Santo Angelo de Acri
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

São Pedro Nolasco

Sacerdote (†1256)   

Public Domain

São Pedro Nolasco, nasceu dia 29 de julho de 1189, no pequeno povoado de Mas-Saintes-Puelles, no antigo condado de Languedoc Toulouse e Carcaçona, no sul da França. O francês Guillaume de Bigot era seu pai e sua mãe era a italiana Catarina, proveniente de Nola, Sicília, Itália, donde o menino herdou o nome.  Ambos de famílias bem situadas social e economicamente.

Pedro tinha 15 anos, quando perdeu o pai. A mãe, desejando ter uma auxiliar no governo da casa, insistiu com Pedro para que constituisse uma família, ao que este se opôs terminantemente. Mais ainda: fez os votos de castidade e de pobreza, com o propósito de repartir os bens entre os pobres.

A França naquela época foi palco de graves desordens, devido aos abusos dos Albigenses, que infestavam todo o sul da França. Para evitar qualquer contato com os hereges, Pedro se associou ao conde Simão de Monfort, comandante do exército católico, e com ele chegou à Espanha, onde lhe foi confiada a educação do príncipe Jaime de Aragão. Mesmo estando no meio de círculos aristocráticos de Barcelona, sua vida era só de Deus.

Ofereceu-se-lhe ocasião de observar a tristíssima sorte dos escravos cristãos que tiveram a infelicidade de cair sob poder dos muçulmanos. Vendo que perigos corriam de perder a fé, aplicou toda a fortuna no resgate deles, tendo libertado de uma só vez trezentos cristãos. A boa vontade e energia, porém, de um só eram insuficientes, para remir tantos escravos. Por isto recorreu à caridade de outras pessoas, de quem recebeu avultadas somas, para a redenção dos cativos.

Em agosto de 1223 Pedro teve uma inspiração sobrenatural que lhe indicou outros meios de libertar os cristãos das mãos de mouros. Maria Santíssima apareceu-lhe, mostrando grande satisfação pelo bem que fizera aos cristãos e deu-lhe a ordem de fundar uma congregação com a finalidade de conseguir a redenção dos cativos. Pedro falou da aparição a São Raimundo de Peñaforte, seu confessor e ao rei Jaime. Qual não foi a surpresa quando soube deles que ambos, na mesma noite, tiveram a mesma visão. Tendo assim tão claramente a revelação da vontade divina, Pedro sem demora pôs mãos à obra e emitiu os três votos, de pobreza, castidade e obediência, acrescentando o quarto, de sacrificar os bens e a própria liberdade, se necessário fosse, pela redenção dos escravos. O bispo Berengário, de Barcelona, recebeu estes seus votos. A Ordem, aprovada pelo rei e abençoada pelo Papa recebeu o nome oficial de: Ordem da Virgem Santíssima das Mercês para a Redenção dos Escravos. São Raimundo organizou as constituições da regra da nova Ordem e impôs a Pedro o hábito, nomeando-o primeiro Superior. A nova instituição teve gratíssimo acolhimento da parte do povo e com Raimundo, mais dois fidalgos receberam o hábito.

Inicialmente a nova Ordem viu-se em grandes dificuldades e, mais de uma vez, parecia não ter esperanças de se desenvolver. Pedro, porém, confiou em Deus, e do céu lhe veio auxílio. ‘Tenhamos temor de Deus” — costumava dizer aos seus — “Louvemos a Deus, pois Ele tem nas mãos os corações dos homens. Dirige-os como quer”. A nova regra obteve, em 1235, a aprovação da Santa Sé. Logo depois de se ter dedicado à sua obra, Pedro abandonou a corte real.

Durante trinta e um anos dirigiu a Ordem e milhares de cristãos foram por ele libertados do cativeiro muçulmano.

Teve desejo de visitar o túmulo do Apóstolo São Pedro, a quem dedicava especial devoção. Certo dia, na hora das orações das Matinas pediu a Deus que o atendesse neste desejo. Apareceu-lhe, então, São Pedro, fazendo-lhe ver que não era a vontade de Deus que fizesse aquela viagem. Pedro contentou-se inteiramente com esta resposta.

Nos últimos anos de vida ficou impossibilitado de trabalhar. Sentindo-se ao fim da peregrinação terrena, reuniu todos os religiosos da sua Ordem, para lhes dar os últimos conselhos e a bênção. As últimas palavras que disse, foram: “Eu vos louvarei, Senhor, porque trouxestes salvação a seu povo”.

Faleceu em 1256 e foi canonizado pelo Papa Urbano VIII, em 1628.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais