Aleteia
Festividade do dia

sexta-feira 13 dezembro
Santo Autberto

Santo Autberto Bispo (†669)

CROSS
Compartilhar

Santo Autberto foi o oitavo bispo de Cambrai (França); viveu por volta da metade do século VII. Sua família era de sangue real – um de seus parentes foi o rei da dinastia merovíngia, Dagoberto I. Ainda jovem tornou-se monge da abadia fundada por São Columbano em Luxeil, no ano 590. Durante seu monacato, era abade Santo Eustásio. A tradição narra que após algum tempo como monge nessa abadia, Autberto resolveu viver a vida eremítica na solidão das montanhas. Durante esse período, ele mesmo fazia o pão que, esporadicamente, ele levava até as aldeias para vender. O que recolhia em dinheiro, ele mesmo se encarregava de distribuir aos pobres. Por volta de 652 ele foi eleito bispo de Cambrai. Durante o exercício de seu episcopado ele fundou vários mosteiros na região de Flandres e no condado de Hainaut. Em 667 mandou construir a abadia de São Vaast. Entre seus discípulos, contam-se alguns santos. Dirigiu a diocese até o ano de 669. Nesse mesmo ano faleceu santamente. Na iconografia, Santo Autberto é representado com um asno carregado com cestos cheios de pães.

Descubra outros santos clicando aqui

Vinde, adoremos o Rei que vai chegar.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Em meio à treva escura,
ressoa clara voz.
Os sonhos maus se afastem,
refulja o Cristo em nós.

Despertem os que dormem
feridos de pecado.
Um novo sol já brilha,
o mal vai ser tirado.

Do céu desce o Cordeiro
Que traz a salvação.
Choremos e imploremos
Das culpas o perdão.

E ao vir julgar o mundo
No dia do terror,
Não puna tantas culpas,
Mas venha com amor.

Ao Pai e ao seu Filho
poder e majestade,
e glória ao Santo Espírito
por toda a eternidade.

Cântico Hab 3,2-4.13a.15-19

Erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima (Lc 21,28).

Eu ouvi vossa mensagem, ó Senhor,
e enchi-me de temor.
Manifestai a vossa obra pelos tempos
e tornai-a conhecida.

Ó Senhor, mesmo na cólera, lembrai-vos
de ter misericórdia!
Deus virá lá das montanhas de Temã,
e o Santo, de Farã.

O céu se enche com a sua majestade,
e a terra, com sua glória.
Seu esplendor é fulgurante como o sol,
saem raios de suas mãos.

Nelas se oculta o seu poder como num véu,
seu poder vitorioso.
Para salvar o vosso povo vós saístes,
para salvar o vosso Ungido.

E lançastes pelo mar vossos cavalos
no turbilhão das grandes águas.
Ao ouvi-lo estremeceram-me as entranhas
e tremeram os meus lábios.

A cárie penetrou-me até os ossos,
e meus passos vacilaram.
Confiante espero o dia da aflição,
que virá contra o opressor.

Ainda que a figueira não floresça
nem a vinha dê seus frutos,
a oliveira não dê mais o seu azeite,
nem os campos, a comida;

mesmo que faltem as ovelhas nos apriscos
e o gado nos currais:
mesmo assim eu me alegro no Senhor,
exulto em Deus, meu Salvador!

O meu Deus e meu Senhor é minha força
e me faz ágil como a corça;
para as alturas me conduz com segurança
ao Cântico de salmos.

Glória ao Pai...

Leitura breve Jr 30,21a.22
Eis que diz o Senhor: Para chefe será escolhido um dos seus, e o soberano sairá do seu meio; eu o incitarei, e ele se aproximará de mim. Sereis meu povo e eu serei vosso Deus.

Que o universo rejubile e dê gritos de alegria:
Pois o Senhor há de chegar! Justiça e paz se abraçarão.

BENEDICTUS
Humilde serva do Deus vivo, ofereci-lhe um sacrifício;
não me resta nada mais que oferecer-lhe minha vida.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Oremos, irmãos diletos, a Cristo nosso Redentor, que veio ao mundo para nossa justificação; e digamos com alegria:

R. Vinde, Senhor Jesus!

Senhor Jesus Cristo, cujo nascimento segundo a carne foi anunciado pelos antigos profetas,
- dai novo vigor às virtudes que fizestes nascer em nosso coração. R.

A nós que anunciamos ao mundo vossa redenção,
- concedei a salvação e a paz. R.

Vós, que viestes salvar os corações atribulados,
- curai as enfermidades do vosso povo. R.

Vós, que viestes reconciliar o mundo com o Pai,
- livrai-nos de toda condenação quando voltardes como juiz no último dia. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Ó Deus, que a intercessão da gloriosa virgem Santa Luzia reanime o nosso fervor, para que possamos hoje celebrar o seu martírio e contemplar um dia a sua glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Vem o Filho do Homem comer e beber com os pecadores...
A Palavra de Deus convida-nos também a reconhecer que somos povo: “Vós que outrora não éreis um povo, agora sois povo de Deus”. Para ser evangelizadores com espírito é preciso também desenvolver o prazer espiritual de estar próximo da vida das pessoas, até chegar a descobrir que isto se torna fonte duma alegria superior. A missão é uma paixão por Jesus, e simultaneamente uma paixão pelo seu povo. Quando paramos diante de Jesus crucificado, reconhecemos todo o seu amor que nos dignifica e sustenta, mas lá também, se não formos cegos, começamos a perceber que este olhar de Jesus se alonga e dirige, cheio de afeto e ardor, a todo o seu povo. Lá descobrimos novamente que ele quer servir-se de nós para chegar cada vez mais perto do seu povo amado. Toma-nos do meio do povo e envia-nos ao povo, de tal modo que a nossa identidade não se compreende sem esta pertença. O próprio Jesus é o modelo desta opção evangelizadora que nos introduz no coração do povo. Como nos faz bem vê-lo perto de todos! Se falava com alguém, fitava os seus olhos com uma profunda solicitude cheia de amor: “Jesus, fitando nele o olhar, sentiu afeição por ele”. Vemo-lo disponível ao encontro, quando manda aproximar-se o cego do caminho e quando come e bebe com os pecadores, sem se importar que o chamem de glutão e beberrão. Vemo-lo disponível, quando deixa uma prostituta ungir-lhe os pés ou quando recebe, de noite, Nicodemos. A entrega de Jesus na cruz é apenas o culminar deste estilo que marcou toda a sua vida. Fascinados por este modelo, queremos inserir-nos a fundo na sociedade, partilhamos a vida com todos, ouvimos as suas preocupações, colaboramos material e espiritualmente nas suas necessidades, alegramo-nos com os que estão alegres, choramos com os que choram e comprometemo-nos na construção de um mundo novo, lado a lado com os outros. Mas não como uma obrigação, nem como um peso que nos desgasta, mas como uma opção pessoal que nos enche de alegria e nos dá uma identidade. Às vezes sentimos a tentação de ser cristãos, mantendo uma prudente distância das chagas do Senhor. Mas Jesus quer que toquemos a miséria humana, que toquemos a carne sofredora dos outros. Espera que renunciemos a procurar aqueles abrigos pessoais ou comunitários que permitem manter-nos à distância do nó do drama humano, a fim de aceitarmos verdadeiramente entrar em contacto com a vida concreta dos outros e conhecermos a força da ternura. Quando o fazemos, a vida complica-se sempre maravilhosamente e vivemos a intensa experiência de ser povo, a experiência de pertencer a um povo.
Papa Francisco
Evangelii Gaudium, nn. 268-270
266º Papa da Igreja Católica (2013- ).

Vinde, adoremos o Rei que vai chegar.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Eterna luz dos homens,
dos astros Criador,
ouvi as nossas preces,
de todos Redentor.

Ao ver compadecido
do mundo a perdição,
em vosso amor viestes
trazer-lhe a salvação.

Se sombra do pecado
a tudo escurecia,
Esposo, vós saístes
do seio de Maria.

Ao simples ecoar
do vosso nome eterno,
joelhos vão dobrando
o céu, a terra, o inferno.

Um dia voltareis,
Juiz e Rei de tudo.
Oh daí-nos hoje a graça,
na tentação escudo.

Ao Pai e ao Filho glória,
ao Espírito também,
louvor, honra e vitória,
Agora e sempre. Amém

Salmo 120(121)

Nunca mais terão fome nem sede. Nem os molestará o sol nem algum calor ardente (Ap 7,16).

Eu levanto os meus olhos para os montes:
de onde pode vir o meu socorro?
"Do Senhor é que me vem o meu socorro,
do Senhor que fez o céu e fez a terra!

Ele não deixa tropeçarem os meus pés,
e não dorme quem te guarda e te vigia.
Oh! não! ele não dorme nem cochila,
aquele que é o guarda de Israel!

O Senhor é o teu guarda, o teu vigia,
é uma sombra protetora à tua direita.
Não vai ferir-te o sol durante o dia,
nem a lua através de toda a noite.

O Senhor te guardará de todo o mal,
ele mesmo vai cuidar da tua vida!
Deus te guarda na partida e na chegada.
Ele te guarda desde agora e para sempre!

Glória ao Pai...

Leitura 2Pd 3,8b-9
Para o Senhor, um dia é como mil anos e mil anos como um dia. O senhor não tarda a cumprir sua promessa, como pensam alguns, achando que demora. Ele está usando de paciência para convosco. Pois não deseja que alguém se perca. Ao contrário, quer que todos venham a converter-se.

Nossa alma espera no Senhor, nele se alegra o nosso coração.
Sua glória habitará em nossa terra.

MAGNIFICAT
Com alegria bebereis das águas abundantes
do manancial do Salvador.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Roguemos, irmãos e irmãs, a Cristo nosso Redentor, que veio à terra para anunciar a Boa-nova aos pobres; e lhe digamos com fervor:

R. Manifestai, Senhor, a todos a vossa glória!

Manifestais-vos, Senhor, a todos que ainda não vos conhecem,
- para que também eles vejam vossa salvação. R.

Seja o vosso nome anunciado até os confins da terra,
- para que todos encontrem vosso caminho. R.

Vós, que viestes, a primeira vez, para remir o mundo de seus pecados,
- vinde novamente para que não se percam os que creêm em vós. R.

Conservai e protegei, com poder da vossa graça,
- a liberdade que nos destes com a vossa redenção. R.

(Intenções livres)

Vós, que viestes do céu à terra para nascer segundo a carne, e de novo haveis de vir para julgar os vivos e os mortos,
- dai aos defuntos a recompensa eterna, quando vierdes no último dia. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Alma Redemptoris mater,
Quae pervia caeli porta manes
Et Stella Maris
Succurre cadenti
Surgere qui curat populo

Tu quae genuisti
Natura mirante
Tuum sanctum Genitorem
Virgo prius, ac posterius
Gabrielis ab ore
Sumens illud Ave
Peccatorum miserere

(Tradução)
Ó Doce mãe do Redentor
Que permanece, do céu, uma porta aberta
E estrela do mar
Ajuda teu povo que está caindo
E que deseja se levantar

Tu que destes à luz
Com toda natureza admirando
Teu Santo Criador
Virgem antes e depois
Recebendo aquela saudação
Da boca de Gabriel
Tende piedade de nós pecadores

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São Mateus 11,16-19.
Naquele tempo, disse Jesus à multidão: «A quem poderei comparar esta geração? É como os meninos sentados nas praças, que se interpelam uns aos outros, dizendo:
“Tocámos flauta e não dançastes; entoámos lamentações e não chorastes”.
Veio João Baptista, que não comia nem bebia, e dizem que tinha o demónio com ele.
Veio o Filho do homem, que come e bebe, e dizem: ‘É um glutão e um ébrio, amigo de publicanos e pecadores’. Mas a sabedoria foi justificada pelas suas obras».

Boletim
Receba Aleteia todo dia