Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Festividade do dia

sexta-feira 21 junho
São João Rigby

Mártir leigo (†1600)

CHURCH
Compartilhar

Nasceu em Harrock Hall, Eccleston, perto de Chorley, no condado de Lancaster, por volta de 1570. Foi a quarta criança do casal Nicolau Rigby e Maria Breres de Preston.
Como muitos católicos de sua época, ele também teve que se adaptar aos tempos, embora com relutância, e frequentou a igreja protestante, a fim de evitar os rigores da lei contra os que se recusavam a assumir o anglicanismo. No entanto, arrependido profundamente de ter renegado sua fé, logo se reconciliou com a Igreja Católica, confessando sua fraqueza ao padre franciscano Giovanni Goffredo Jones (conhecido então como Sr. Buckley), que estava preso nas prisões de Clink, em Londres.
Devido a dificuldades financeiras, João foi forçado a trabalhar à serviço de Sir Edmund Huddleston, que um dia o mandou para o tribunal de Old Bailey para responder por seus posicionamentos religiosos. Foi nesta circunstância que um dos comissários, um certo Richard Martin, começou a questionar João Rigby sobre sua religião e ele declarou ser católico, que nunca mais se curvaria para participar do culto protestante e reconhecer a supremacia da rainha. Isto bastou para que fosse encarcerado nas prisões de Newgate, onde permaneceu de 14 a 19 de fevereiro de 1600, quando foi transferido para as prisões de White Lyon, em Southwark.
No julgamento, um dos juízes, chamado Gaudy, admirado por sua honestidade, fez tudo o que foi possível para persuadi-lo a ir ao culto protestante, assegurando-lhe que bastaria isto para recuperar sua liberdade, mesmo que pesasse sobre ele a acusação de alta traição por ter se reconciliado com a Igreja de Roma. João Rigby recusou e, firmemente, continuou a declarar que sempre foi católico, mesmo se reconciliado, e sempre desejou permanecer assim. Os juízes pronunciaram sentença de morte contra ele, mas o juiz Gaudy conseguiu adiar a execução.
Foi novamente processado, em 19 de junho de 1600, e mais uma vez exortado a conformar-se à religião do Estado. Vigorosamente, Rigby recusou-se uma vez mais e por isto foi condenado à pena de morte, pela segunda vez. Subiu à forca de São Thomas Waterings, convicto e tranquilo, no dia 21 de junho de1600.
Dos acontecimentos relacionados ao aprisionamento, cativeiro e julgamento de Rigby permanece uma interessante e detalhada narrativa, escrita por Tommaso Worthington, reitor do English College of Douai. Tal relato foi publicado, em 1601, com o título “Relação dos dezesseis mártires glorificados na Inglaterra em doze meses”. É uma narrativa muito vívida, na qual os interrogatórios rápidos e diretos lembram os da Acta Martyrum. Sua primeira edição, de 1601, tornou-se indisponível e foi republicada, com introdução e notas, por C. A. Newdigate, com um título diferente, “Um homem de Lancaster: a história do martírio da fé católica do venerável João Rigby”, em Southwark… 1600, Londres, 1928.
João foi beatificado por Pio XI em 15 de dezembro de 1929 e foi canonizado pelo Papa São Paulo VI, juntamente com os Quarenta Mártires da Inglaterra e do País de Gales, em 1970.

Descubra outros santos clicando aqui

Recordai-vos, ó Senhor!
Não rompais vossa Aliança!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém

Hino
Sois do céu a glória eterna,
esperança dos mortais,
sois da casta Virgem prole,
Unigênito do Pai.

Dai àqueles que despertam
seja a mente vigilante.
Em louvor e ação de graças,
nossa voz seja vibrante.

Nasce o astro luminoso,
nova luz ele anuncia.
Foge a noite, foi a treva,
vossa luz nos alumia.

Nossa mente torne clara,
faça a noite cintilar,
purifique nosso íntimo
até a vida terminar.

Cresça a nossa fé primeira
dentro em nosso interior;
a esperança acompanhe,
e maior seja o amor.

A vós, Cristo, rei piedoso,
e a vós, Pai, glória também
com o Espírito Paráclito
pelos séculos. Amém.

Cântico Jr 14,17-21
O Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho! (Mc 1,15).

Os meus olhos, noite e dia,
chorem lágrimas sem fim;
pois sofreu um golpe horrível,
foi ferida gravemente
a virgem filha do meu povo!

Se eu saio para os campos,
eis os mortos à espada;
se eu entro na cidade,
eis as vítimas da fome!

Até o profeta e o sacerdote
perambulam pela terra
sem saber o que se passa.
Rejeitastes, por acaso,
a Judá inteiramente?

Por acaso a vossa alma
desgostou-se de Sião?
Por que feristes vosso povo
de um mal que não tem cura?

Esperávamos a paz,
e não chegou nada de bom;
e o tempo de reerguer-nos,
mas só vemos o terror!

Conhecemos nossas culpas
e as de nossos ancestrais,
pois pecamos contra vós!
Por amor de vosso nome,
ó Senhor, não nos deixeis!

Não deixeis que se profane
vosso trono glorioso!
Recordai-vos, ó Senhor!
Não rompais vossa Aliança!

Glória ao Pai...

Leitura breve 2Cor 12,9b-10
De bom grado, eu me gloriarei das minhas fraquezas, para que a força de Cristo habite em mim. Eis por que eu me comprazo nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições e nas angústias sofridas por amor a Cristo. Pois, quando eu me sinto fraco, é então que sou forte.

Fazei-me cedo sentir, ó Senhor, vosso amor!
Indicai-me o caminho, que eu devo seguir.

BENEDICTUS
O Senhor visitou o seu povo e o libertou.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Levantemos o nosso olhar para Cristo que nasceu, morreu e ressuscitou pelo seu povo; e peçamos com fé:

R. Salvai, Senhor, os que remistes com o vosso sangue!

Nós vos bendizemos, Jesus, Salvador da humanidade, que não hesitastes em sofrer por nós a paixão e a cruz,
– e nos remistes com o vosso sangue precioso. R.

Vós, que prometestes dar aos vossos fiéis a água que jorra para a vida eterna,
– derramai o vosso Espírito sobre todos os homens e mulheres. R.

Vós, que enviastes vossos discípulos para pregar o evangelho a todas as nações,
– ajudai-nos a proclamar pela terra inteira a vitória da vossa cruz. R.

Aos doentes e infelizes que associastes aos sofrimentos da vossa paixão,
– concedei-lhes força e paciência. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Pai todo-poderoso derramai vossa graça em nossos corações para que, caminhando à luz dos vossos preceitos, sigamos sempre a vós, como Pastor e Guia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Como armazenar tesouros no céu

Segundo a opinião de muitas pessoas, que vivem sob os valores do mundo, as riquezas são adoráveis. Chamam de pessoas felizes, diz o salmista no salmo (144,15), àqueles que possuem riquezas. No entanto, a questão não se sustenta assim segundo o próprio salmista: os ricos lutaram e sofreram por seus bens; mas aqueles que buscam o Senhor não serão privados de bem algum (Sl 34,11). Certamente, nenhum tipo de bem material está envolvido neste contexto, pois fica claro para quem reflete, que nenhuma daquelas coisas intituladas boas, úteis, deleitáveis ou desejáveis, sejam querer o espírito de pobreza. Pelo contrário, estas coisas são encontradas e em nenhum outro lugar podem ser mais úteis, mais deliciosas ou mais apropriadas do que na santa pobreza, tão cuidadosamente observada e ardentemente amada por Cristo e todos os santos.
Sua utilidade é simplesmente infinita: Bem-aventurados os pobres de espírito, pois deles é o Reino de Deus, isto é, a pobreza de espírito é o tesouro e preço pelo qual o Reino de Deus é comprado. Recordo Santo Agostinho: “É de grande proveito para os cristãos que fazem da pobreza o preço do Reino dos céus. Você saberia o quanto ela é preciosa? Ela simplesmente compra o céu. A que outros tesouros isso poderia ser comparado, como o que vemos dotada a pobreza? ”
Não obstante, de que vantagem seria para nós coletar um tesouro tão grande ou ter comprado uma propriedade em alguma região longínqua, se não pudéssemos ter sua posse ou desfrutar de seus frutos? A pobreza nos permite fazê-lo, removendo todos os obstáculos que possam impedir de nos apressarmos para a nossa terra de origem e de desfrutar nela o tesouro que lá temos enterrado. Nossa cidade de origem, na qual depositamos nosso tesouro, é aquela cidade celestial, Jerusalém, da qual São Bernardo diz, “a subida é difícil”, e para aquele que deseja ascender o maior impedimento é “o peso das riquezas”. Mas, como esse impedimento deve ser removido? Pela pobreza de espírito…
Ela, tampouco, limita-se a remover os obstáculos que impedem nossa ascensão, nos fornece asas para também voar. Estas asas são as desejadas pelo profeta, que diz: Quem me dará asas de pomba para que eu possa voar? (Sl 55, 7). Se, portanto, desejamos voar para o céu, as coisas perecíveis devem ser deixadas de lado, e estas duas asas da pobreza de fato e a pobreza de espírito devem ser assumidas, pois sobre elas podemos ser levados ao lugar aonde está nosso tesouro e aproveitá-lo.

São Luiz Gonzaga
Sacerdote Jesuíta (†1591).

O Senhor faz justiça a seu povo
e é bondoso com aqueles que o temem.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Deus, escultor do homem,
que a tudo, só, criastes,
e que do pó da terra
os animais formastes.

Sob o comando do homem
a todos colocastes,
para que a vós servissem
servindo a quem criastes.

Afastai, pois, os homens,
de uma fatal cilada;
que o Criador não perca
a criatura amada.

Dai-nos no céu o prêmio,
dando na terra a graça,
e assim chegar possamos
à paz que nunca passa.

A vós, Deus uno e trino,
em nosso amor cantamos;
nas criaturas todas
somente a vós buscamos.

Salmo 134(135)
Povo que ele conquistou, proclamai as obras admiráveis daquele que vos chamou das trevas para a sua luz maravilhosa (cf. 1Pd 2,9).

Louvai o Senhor, bendizei-o;
louvai o Senhor, servos seus,
que celebrais o louvor em seu templo
e habitais junto aos átrios de Deus!

Louvai o Senhor, porque é bom;
cantai ao seu nome suave!
Escolheu para si a Jacó,
preferiu Israel por herança.

Eu bem sei que o Senhor é tão grande,
que é maior do que todos os deuses.
Ele faz tudo quanto lhe agrada,

nas alturas dos céus e na terra,
no oceano e nos fundos abismos.
Traz as nuvens do extremo da terra,
transforma os raios em chuva,
das cavernas libera os ventos.

No Egito feriu primogênitos,
desde homens até animais.
Fez milagres, prodígios, portentos,
perante Faraó e seus servos.

Abateu numerosas nações
e matou muitos reis poderosos:
A Seon que foi rei amorreu,
e a Og que foi rei de Basã,

como a todos os reis cananeus.
Ele deu sua terra em herança,
em herança a seu povo, Israel.
Ó Senhor, vosso nome é eterno;

para sempre é a vossa lembrança!
O Senhor faz justiça a seu povo
e é bondoso com aqueles que o servem.

São os deuses pagãos ouro e prata,
todos eles são obras humanas.
Têm boca e não podem falar,
têm olhos e não podem ver;

tendo ouvidos, não podem ouvir,
nem existe respiro em sua boca.
Como eles serão seus autores,
que os fabricam e neles confiam!

Israel, bendizei o Senhor;
sacerdotes, louvai o Senhor;
levitas, cantai ao Senhor;
fiéis, bendizei o Senhor!

Bendito o Senhor de Sião,
que habita em Jerusalém!

Glória ao Pai...

Leitura breve Tg 1,2-4
Meus irmãos, quando deveis passar por diversas provações, considerai isso motivo de grande alegria, por saberdes que a comprovação da fé produz em vós a perseverança. Mas é preciso que a perseverança gere uma obra de perfeição, para que vos torneis perfeitos e íntegros, sem falta ou deficiência alguma.

Jesus Cristo nos amou e em seu sangue nos lavou.
Fez-nos reis e sacerdotes para Deus, o nosso Pai.

MAGNIFICAT
O Senhor nos acolheu a nós, seus servidores, fiel ao seu amor.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Invoquemos o Senhor Jesus, a quem o Pai entregou à morte pelos nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação; e digamos humildemente:

R. Senhor, tende piedade do vosso povo!

Ouvi, Senhor, as nossas súplicas e perdoai os pecados dos que se reconhecem culpados perante vós,
– e, em vossa bondade, dai-nos a reconciliação e a paz. R.

Vós, que dissestes por meio do apóstolo Paulo: 'Onde o pecado foi grande, muito maior foi a graça',
– perdoai generosamente os nossos numerosos pecados. R.

Senhor, tende piedade do vosso povo! Muito pecamos, Senhor, mas confiamos na vossa infinita misericórdia;
– convertei-nos inteiramente ao vosso amor. R.

Salvai, Senhor, o vosso povo de seus pecados,
– e sede bondoso para conosco. R.

(Intenções livres)

Vós, que abristes as portas do paraíso para o ladrão arrependido que vos reconheceu como Salvador,
– não as fecheis para os nossos irmãos e irmãs que morreram. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Salve, Regina, mater misericordiae
Vita, dulcedo, et spes nostra, salve.
Ad te clamamus, exsules, filii evae.
Ad te suspiramus, gementes et flentes
in hac lacrimarum valle.

Eia ergo, Advocata nostra,
illos tuos misericordes oculos
ad nos converte.
Et Iesum, benedictum fructum ventris tui,
nobis post hoc exsilium ostende.
O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria.

Ora pro nobis sancta Dei Genetrix.
Ut digni efficiamur promissionibus Christi. Amem.
(Tradução)

Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São Mateus 6,19-23.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Não acumuleis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem os destroem e os ladrões os assaltam e roubam.
Acumulai tesouros no Céu, onde a traça e a ferrugem não os destroem e os ladrões não os assaltam nem roubam.
Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará o teu coração.
A lâmpada do teu corpo são os olhos. Se o teu olhar for límpido, todo o teu corpo ficará iluminado.
Mas se o teu olhar for mau, todo o teu corpo andará nas trevas. E se a luz que há em ti são trevas, como serão grandes essas trevas!».

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.