Aleteia
Quinta-feira 22 Outubro |
São Moderano
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

Santa Edviges, rainha da Polônia

Rainha (†1399)

EUPHROSYNE OF POLOTSK

Public Domain

Em Cracóvia, diante de uma multidão imensa de fiéis, São João Paulo II canonizou a primeira rainha da Polônia: era o dia 8 de junho de 1997, dia destinado a entrar para a história dessa nação. Nascida no ano de 1374 na cidade de Buda (a atual Budapeste, capital da Hungria), Edviges estava prometida desde a idade de 4 anos em casamento, como era o costume da época. Desde sua infância ela havia sido habituada a ler as Sagradas Escrituras, o Saltério e alguns textos dos Padres da Igreja. Também meditava as Paixões dos Santos e outras obras de escritores eclesiásticos. No dia 18 de fevereiro de 1386, casou-se com o Duque lituano Ladislau Jagelo, que lhe prometeu receber o batismo cristão, juntamente com toda a sua nação. Essa união representou a queda do último baluarte do paganismo na Europa e a unificação da Polônia. Desse modo, é lícito dizer que esse casamento mudou a história da Europa. Com a via aberta para a evangelização desses povos, Edviges se preocupou logo e fundar centros de estudo para a formação de novos padres que pudesse evangelizar a região da Lituânia. Sempre seguindo essa intenção, e com a permissão do Papa Bonifácio IX, ela fundou a primeira Faculdade de Teologia da Polônia. Tanta importância a rainha dava a essa obra, que deixou em testamento suas joias e alguns bens pessoais para que fossem aplicados no incremento dessa faculdade. Por ocasião do Jubileu do ano santo de 1390, com o desejo de aproximar todos os seus súditos – poloneses, lituanos e rutenos – dos frutos espirituais da Igreja, mas consciente das dificuldades que seu povo enfrentaria, caso tivesse que ir em peregrinação até Roma, pediu e obteve do Papa Bonifácio IX a graça de celebrar o Jubileu no próprio país. Nos negócios políticos do Estado, também se revelou uma política de grande estatura, com ações prudentes e sábias. Nunca deixou de cuidar dos mais pobres. Narra-se, nesse sentido, que em 1386, depois que os cavaleiros reais haviam tomado os bens de pobres aldeões para alimentar os homens da cavalaria, a rainha, ao saber do fato, ordenou que fossem restituídos todos os bens aos pobres aldeões, chegando a afirmar: “Ainda que tenhamos restabelecido as reses aos aldeões, quem poderá restituir as suas lágrimas?”. Com frequência era vista contemplando a imagem do Crucifixo Negro de Wawel – mais tarde conhecido como “crucifixo de Santa Edviges” – como que tirando daí sua força para reinar servindo ao próximo. As fontes históricas narram que ela participava da missa praticamente todos os dias. Apesar de tudo isso, a rainha não tinha filhos, o que, segundo a mentalidade ainda medieval, era visto como um castigo divino. Mas as orações de Santa Edviges foram atendidas e depois de uma longa espera encontrou-se grávida de seu marido Ladislau. Infelizmente a pequena infante Isabel Bonifácia viveu por poucos dias. Cheia de tristeza pela morte da pequenina, e em virtude do parto, Santa Ediviges após 4 dias da morte da filha, entregou sua alma ao criador: tinha apenas 25 anos de idade. Imediatamente o povo polonês começou a tributar-lhe um culto de veneração. Mas o reconhecimento oficial veio apenas muito mais tarde.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Ver mais