Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 24 Novembro |
Santas Flora e Maria
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

Santa Brígida

Viúva, Padroeira da Suécia († 1373)

CHURCH

Public Domain


Santa Brígida (Birgitta Birgersdotter) nasceu dia 15 de junho de 1303, no castelo de Finsta, em Norrtälje, na província de Uplândia, Suécia. O castelo era a residência da família Finsta e pertenceu durante certo tempo a seu pai Birger Persson, que era governador de Uplândia. Sua mãe, Ingeborg Bengtsdotter, era parente da família real. Seu avô materno era primo de Magnus Ladulås, de modo que Brígida tinha parentesco com a família real sueca.
Brígida ficou órfã de mãe quando tinha cerca de 10 anos de idade. Seu pai, considerando-se inapto para prover uma educação compatível a uma menina de sua condição social, enviou-a para a casa da cunhada, Catarina Bengtsdotter, em Aspanäs, na proximidade do lago Sommen, em Östergötland.
As manifestações místicas de Brígida começaram aos 12 anos, enquanto ela ouvia um sermão sobre a Paixão de Cristo. Certa vez viu a Virgem Maria colocar em sua cabeça uma coroa. Em outra ocasião, viu diante dela Jesus Cristo torturado e morto na cruz. Estas duas experiências fariam com que desenvolvesse profunda devoção a Maria e meditações sobre o sofrimento de Cristo, que a marcariam por toda a vida.
Em 1316, quando Brígida contava com apenas 13 anos, contra sua vontade, foi dada em matrimônio a Ulf Gudmarsson, filho do governador de Västergötland. Teve um casamento feliz, onde foi mãe de oito crianças, entre elas Santa Catarina da Suécia. A devoção de Brígida também influenciou seu marido. Entre outras viagens, o casal realizou peregrinações a Nídaros (atual Trondheim) e a Santiago de Compostela. A caminho da Espanha, na cidade francesa de Arras, Ulf adoeceu. Quando se temia o pior, o santo francês São Dionísio apareceu ante Brígida e lhe prometeu que seu marido não morreria naquela ocasião. De volta a Suécia, Brígida e o marido se estabeleceram junto ao Mosteiro de Alvastra, onde Ulf faleceu em fevereiro de 1344.
Após a morte de do marido, Brígida repartiu seus bens entre os herdeiros e os pobres e passou a viver de maneira simples nas imediações Mosteiro cisterciense ligado ao de Alvastra. Neste período, suas visões se tornaram mais numerosas, formando a maior parte das aparições que Brígida vivenciou até sua partida para Roma. Foi durante elas que Brígida recebeu a missão de levar mensagens a políticos e líderes religiosos, assim como teve diálogos com santos e mortos.
Brígida viajou a Roma no ano de 1349 com o propósito de tomar parte na celebração do jubileu de 1350, e para obter permissão do papa para fundar uma nova ordem religiosa. Entretanto, na ocasião o papa residia em Avinhão e, além disso, a Igreja havia proibido o estabelecimento de mais ordens. A ausência do papa desanimou Brígida, que havia tido uma visão na qual encontraria o papa e o Imperador quando chegasse a Roma. Foi testemunha da decadência espiritual de Roma após a partida do papa. Durante sua estadia na cidade, escreveu cartas ao papa, onde lhe suplicava que regressasse a Roma, e se dedicou a visitar as igrejas que continham tumbas de santos. Na igreja de São Lourenço em Panisperna, no monte Viminal, perto de onde morava, pedia aos transeuntes esmolas para os necessitados. Também aproveitou para viajar em peregrinação ao santuários de Assis, a Nápoles e ao sul da Itália.
Em 1368, o Papa Urbano V regressou a Roma e, em 21 de outubro recebeu o Imperador Carlos IV. Então, Brígida pôde entregar as regras de sua ordem ao papa, que se encarregaria de examiná-las. As regras foram aceitas com várias revisões. Além disso, o papa tomou a decisão de deixar novamente a Itália por motivos de segurança, situação com a qual Brígida também não estava de acordo. Ela profetizou que o papa receberia um forte golpe de Deus e, após dois meses do regresso a Avinhão, Urbano V faleceu.
No verão de 1373, uma enfermidade a debilitou, e Brígida faleceu, em Roma, no que é hoje a praça Farnese, no dia 23 de julho, aos 70 anos. De acordo com sua própria vontade, seus filhos Birger e Caterina levaram seus restos mortais para a Suécia, especificamente para a Abadia de Vadstena, após haverem sido enterrados na igreja romana de São Lourenço, em Panisperna.
O processo de canonização de Brígida começou em 1377 e terminou em 1391. Foi canonizada em 7 de outubro de 1391 pelo Papa Bonifácio IX .
Em 1999, santa Brígida foi elevada, junto com santa Catarina de Sena e santa Teresa Benedita da Cruz, a co-padroeira da Europa.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Medalha de São Bento
pildorasdefe.net
Oração a São Bento para afastar o mal e pedir...
Reportagem local
Oração para afastar o mal de um recinto
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
AGNUS DEI,LAMB
Jesús Colina
Ninguém consegue ouvir este “Agnus Dei” sem s...
Ver mais