Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Festividade do dia

terça-feira 25 setembro
Bem-aventurado Marcos Criado

Sacerdote Mártir (†1569)

BLESSED JOHN
Compartilhar
Santo do dia

Marcos Criado nasceu na província de Andújar, Jaén, Espanha, em 25 de Abril, 1522. Filho de Juan Criado Notário e Mary Guelamo Pasillas. Ter sido o caçula de uma família abastada, significou que a infância de Marcos foi cheia de caprichos e gostos. Desde muito jovem começou a frequentar o convento dos trinitários Calzados de Andújar, atuando como coroinha. Com nove anos sua mãe morreu, e ele e seu pai ficam morando sozinhos, já que seus irmãos eram todos casados. Pai e filho desde então começaram a viver quase como religiosos.
Certo dia Marcos pediu permissão ao pai para visitar o eremitério da Virgem de la Cabeça, na Sierra de Andújar. Os eremitas que viviam ali estavam na colina do eremitério, ficaram impressionados com sua vida de sacrifício e oração diante da Virgem. Ele se rendeu a ela e a tomou por mãe, prometendo entregar-se para sempre ao serviço de Deus, seguindo a Cristo carregando sua cruz. Quando regressou a Andújar e contou ao pai tudo o que aconteceu, seu pai também decidiu entregar-se a Deus como religioso e distribui todos os seus bens aos seus filhos. Marcos, dividiu sua herança em três partes: uma para o convento da Santíssima Trindade de Andújar, outra para a libertação de escravos e a terceira para a caridade com os pobres. Uma vez livre de suas obrigações pessoais, pediu para ser admitido como religioso trinitário.
Seu pai havia entrou no convento franciscano da Arruzafa em Córdoba ao mesmo tempo. Marcos iniciou seu noviciado em 1536, sendo seu professor fr. Fernando Ramírez. Desde o primeiro momento mostrou seu espírito de serviço, costumando dizer que nasceu criado e, como tal, teve que trabalhar toda a sua vida, sempre se oferecendo para os trabalhos mais humildes. No ano de 1537 fez sua profissão e iniciou no mesmo convento de Andújar os estudos de Filosofia e Teologia.
Assim que recebeu a ordenação sacerdotal, foi nomeado pregador sênior do convento de Andújar. Muitos já viam nele outro Manuel Guerra y Ribera, ou um segundo Paravicino. Sua fama como orador e mestre das almas espalhou-se por toda a Andaluzia, a tal ponto que ele tinha cada vez menos tempo para si mesmo. Ele solicitou então a transferência para outro convento, sendo atribuído o cargo de pregador sênior no convento trinitário de Jaén. No entanto, sua fama alcançou Jaén e assim que chegou, havia longas filas no confessionário e na porta do convento. Mais uma vez pediu para ser transferido, desta vez para um lugar mais calmo, e o Provincial o transferiu para o convento de Úbeda. Nele, teve a oportunidade de dar mais uma prova da sua humildade, tomando para si o cargo de sacristão e com todas as esmolas recebidas nas pregações e doações privadas foram empregadas na renovação dos ornamentos e paramentos litúrgicos da igreja do convento.
Por causa da revolta dos mouros e, a pedido do Papa Pio IV, os bispos de Guadix e Almeria, solicitaram, em 1560, às ordens religiosas o envio de missionários para as Alpujarras para combater o escopo da insurgência e ajudar pequenas populações de cristãos ameaçadas pela revolta. O Ministro da Casa da Santíssima Trindade de Almeria recebeu este pedido ao Ministro provincial, que visitava o convento de Úbeda naqueles dias, e informou os irmãos. Dos cinco religiosos que pediram os bispos, apenas dois responderam, fr. Marcos Criado e fr. Pedro de San Martín, ambos do convento de Úbeda. A caminho de Almería ambos religiosos pararam para visitar o Bispo de Guadix, D. Melchor Álvarez de Vozmediano. Os contratempos começaram logo, logo que ele chegaram em Almería, antes da missão começar, pois morreu inesperadamente fr. Pedro de San Martín. Padre Marcos ficou sozinho, mas isso não o impediu de se levantar e de renascer seu antigo espírito de dedicação, partindo para a cidade de La Peza, perto de Guadix.
Naquela cidade logo foram reconhecidas as artes oratórias do padre Marcos, embora também o conhecessem os que se tornariam seus perseguidores. Marcos Criado pediu permissão ao Bispo de Guadix para entrar nas Alpujarras de Granada e ajudar os cristãos das aldeias que foram isoladas. O bispo entregou-lhe cartas de recomendação e apresentação aos párocos e autoridades dessas cidades, que saudaram com alegria a chegada do frade trinitário. As margens do rio Almanzoro, as cidades de Vera, Cádiar, Poqueiza, Juviles, Trevelez, Laroles, Ugijar, entre outros, testemunharam a passagem de Marcos Criado, ouvindo sua pregação, sentiram o seu apoio em tempos tão difíceis para a sua fé, e até testemunharam alguns espancamentos que ele sofreu por parte de grupos de mouros à espera de sua passagem nas estradas abruptas dos Alpujarras.
Regressado a La Peza, a situação tornou-se insustentável. Os rebeldes mouros haviam praticamente tomado a cidade. Os espancamentos, insultos, apedrejamentos e até facadas eram contínuos, tanto que certa vez ele foi considerado morto. Marcos Criado estava sempre disposto a dar a vida por Cristo e por aqueles cristãos por quem ele deixara tudo. Estavam chegando as humilhações que ele pedira com tanta insistência quando jovem a Deus.
Seu último espancamento foi em 21 de setembro de 1569. Um grupo de Mouros trancou-o primeiro na igreja da vila, com grande número de fiéis defenderam a todo custo, incluindo o pastor de La Peza. Este, quando saiu em defesa do trinitário, foi esfaqueado e morreu ali mesmo. Frei Marcos foi arrastado para a periferia da cidade, amarrado a uma árvore e, recebendo em golpes, foi intimado a renunciar à sua fé. Marcos respondeu: “Negar a Cristo? Jamais.” Eles o penduraram na árvore de forma que os pés não tocavam o chão. Ele passou a noite toda nesta posição. De manhã, os mouros vendo que ele ainda estava vivo e cantando salmos, apedrejaram-no até que ele ficasse inconsciente. Ele passou o dia todo assim. Em 25 de setembro 1569, vendo que ele não estava morria, um mouro abriu seu peito e extraiu seu coração. Segundo a tradição, um brilho saiu de seu coração e o anagrama do nome de Jesus (IHS) estava escrito nele. Diante deste prodígio os mouros recuaram. Fr. Marcos criado tinha 47 anos de idade e 33 anos de profissão religiosa, logo seu martírio ecoou e muito foram encorajados para escrever sobre suas virtudes e reputação para espalhar a santidade.
O Papa Leão XIII o beatificou em 24 de julho de 1899.

Descubra outros santos clicando aqui

Oração para esta manhã

Feliz o povo cujo Deus é o Senhor,
e a nação que escolheu por sua herança!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém

Hino
Já vem brilhante aurora
o sol anunciar.
De cor reveste as coisas,
faz tudo cintilar.

Ó Cristo, Sol eterno,
vivente para nós,
saltamos de alegria,
cantando para vós.

Do Pai Ciência e Verbo,
por quem se fez a luz,
as mentes, para vós,
levai, Senhor Jesus.

Que nós, da luz os filhos,
solícitos andemos.
Do Pai eterno a graça
nos atos expressemos.

Profira a nossa boca
palavras de verdade,
trazendo à alma o gozo
que vem da lealdade.

A vós, ó Cristo, a glória
e a vós, ó Pai, também,
com vosso Santo Espírito,
agora e sempre. Amém.

Salmo 32(33) 1-22
Por ele foram feitas todas as coisas (Jo 1,3)

Ó justos, alegrai-vos no Senhor!
Aos retos fica bem glorificá-lo.

Dai graças ao Senhor ao som da harpa,
na lira de dez cordas celebrai-o!
Cantai para o Senhor um canto novo,
com arte sustentai a louvação!

Pois reta é a palavra do Senhor,
e tudo o que ele faz merece fé.
Deus ama o direito e a justiça,
transborda em toda a terra a sua graça.

A palavra do Senhor criou os céus,
e o sopro de seus lábios, as estrelas.
Como num odre junta as águas do oceano,
e mantém no seu limite as grandes águas.

Adore ao Senhor a terra inteira,
e o respeitem os que habitam o universo!
Ele falou e toda a terra foi criada,
ele ordenou e as coisas todas existiram.

O Senhor desfaz os planos das nações
e os projetos que os povos se propõem.
Mas os desígnios do Senhor são para sempre,
e os pensamentos que ele traz no coração,
de geração em geração, vão perdurar.

Feliz o povo cujo Deus é o Senhor,
e a nação que escolheu por sua herança!
Dos altos céus o Senhor olha e observa;
ele se inclina para olhar todos os homens.

Ele contempla do lugar onde reside
e vê a todos os que habitam sobre a terra.
Ele formou o coração de cada um
e por todos os seus atos se interessa.

Um rei não vence pela força do exército,
nem o guerreiro escapará por seu vigor.
Não são cavalos que garantem a vitória;
ninguém se salvará por sua força.

Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem,
e que confiam esperando em seu amor,
para da morte libertar as suas vidas
e alimentá-los quando é tempo de penúria.

No Senhor nós esperamos confiantes,
porque ele é nosso auxílio e proteção!
Por isso o nosso coração se alegra nele,
seu santo nome é nossa única esperança.

Sobre nós venha Senhor, a vossa graça,
da mesma forma que em vós nós esperamos!

Glória ao Pai...

Leitura breve Rm 13,11b.12-13a
Já é hora de despertar. Com efeito, agora a salvação está mais perto de nós do que quando abraçamos a fé. A noite já vai adiantada, o dia vem chegando: despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da luz. Procedamos honestamente, como em pleno dia.

Ó meu Deus, sois o rochedo que me abriga,
Meu escudo e proteção: em vós espero!

BENEDICTUS
O Senhor fez surgir um poderoso Salvador, como falara pela boca de seus santos e profetas.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Irmãos e irmãs, chamados a participar de uma vocação celeste, bendigamos a Jesus Cristo, pontífice da nossa fé; e aclamemos:
R. Senhor, nosso Deus e Salvador!

Rei todo-poderoso, que pelo batismo nos conferistes um sacerdócio régio,
– fazei da nossa vida um contínuo sacrifício de louvor. R.

Ajudai-nos, Senhor, a guardar os vossos mandamentos,
– para que, pela força do Espírito Santo, permaneçamos em vós e vós permaneçais em nós. R.

Dai-nos a vossa sabedoria eterna,
– para que ela sempre nos acompanhe e dirija os nossos trabalhos. R.

Não permitais que neste dia sejamos motivo de tristeza para ninguém,
– mas causa de alegria para todos os que convivem conosco. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Acolhei, Senhor, as preces desta manhã, e por vossa bondade iluminai as profundezas de nosso coração, para que não se prendam por desejos tenebrosos os que foram renovados pela luz de vossa graça. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Meditação do dia

Como uma família
“Familiaridade” foi a palavra-chave da homilia pronunciada pelo Papa. O centro foi a perspectiva que cada cristão tem de “se sentir família de Jesus”, viver em “proximidade” com ele a cada momento do dia, até mesmo naquele aparentemente mais banal. [...]
“Jesus estava no meio de uma multidão a pregar” e “chega a sua família” que o procurava. “Quando lhe dizem que estava ali sua mãe, os seus parentes, a sua família”, Jesus “amplia o conceito e diz: ‘Minha mãe e meus irmãos são estes, que ouvem a palavra de Deus e a observam’”. Eis então, explicou, o “passo a mais” que Jesus dá, o qual afirma: “Tenho uma família maior do que a pequena na qual vim ao mundo”. Deste modo ele “nos faz pensar em nós que somos a sua família”, isto é, quem “ouve a palavra de Deus e a observa”. Esse gesto de Jesus remete para “o conceito de familiaridade com Deus, de familiaridade com Jesus”. De fato, disse, “podemos ser discípulos, podemos ser amigos, mas ser familiar é mais ainda”. Há um salto de qualidade se considerarmos o “primeiro mandamento que recebemos na pessoa do nosso pai Abraão”, ou seja, “Caminhe na minha presença e seja irrepreensível”. Hoje aquele mandamento “cresceu e ficou maior, mais amplo: ‘Ouve a palavra de Deus. Observa-a, assim serás a minha família, terás familiaridade comigo’”. [...] “familiaridade com Jesus significa estar com ele, olhar para ele, ouvir a sua palavra, procurar praticá-la, falar com ele” [...].

Papa Francisco
266º sucessor de São Pedro (1936 - )
Meditações matutinas na Santa Missa celebrada na Capela da Casa Santa Marta - 26/09/2017.

Oração para esta tarde

Adore ao Senhor a terra inteira,
e o respeitem os que habitam o universo!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Ó grande Autor da terra,
que, as águas repelindo,
do mundo o solo erguestes,
a terra produzindo,

de plantas revestida,
ornada pelas flores,
e dando muitos frutos,
diversos em sabores.

Lavai as manchas da alma
na fonte, pela graça.
O pranto em nossos olhos
as más ações desfaça.

Seguindo as vossas leis,
lutemos contra o mal,
felizes pelo dom
da vida perenal.

Ouvi-nos, Pai bondoso,
e vós, dileto Filho,
unidos pelo Espírito
na luz de eterno brilho.

Salmo 21(22),2-12

Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?
E ficais longe de meu grito e minha prece?
Ó meu Deus, clamo de dia e não me ouvis,
clamo de noite e para mim não há resposta!

Vós, no entanto, sois o santo em vosso Templo,
que habitais entre os louvores de Israel.
Foi em vós que esperaram nossos pais;
esperaram e vós mesmo os libertastes.
Seu clamor subiu a vós e foram salvos;
em vós confiaram e não foram enganados.

Quanto a mim, eu sou um verme e não um homem;
sou o opróbrio e o desprezo das nações.
Riem de mim todos aqueles que me veem,
torcem os lábios e sacodem a cabeça:
“Ao Senhor se confiou, ele o liberte
e agora o salve, se é verdade que ele o ama!”

Desde a minha concepção me conduzistes,
e no seio maternal me agasalhastes.
Desde quando vim à luz vos fui entregue;
desde o ventre de minha mãe sois o meu Deus!
Não fiqueis longe de mim, porque padeço;
ficai perto, pois não há quem me socorra!

Glória ao Pai...

Leitura breve 1Jo 3,1a.2
Vede que grande presente de amor o Pai nos deu: de sermos chamados filhos de Deus! E nós o somos! Caríssimos, desde já somos filhos de Deus, mas nem sequer se manifestou o que seremos! Sabemos que, quando Jesus se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque o veremos tal como ele é.

Vossa palavra, ó Senhor, permanece eternamente.
Vossa verdade é para sempre.

MAGNIFICAT
Exulte meu espírito em Deus meu Salvador!

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para
sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Louvemos o Senhor Jesus Cristo que vive no meio de nós, povo que ele conquistou; e supliquemos:

R. Ouvi, Senhor, a nossa oração!

Senhor, rei e dominador de todos os povos, vinde em ajuda de todas as nações e de seus governantes,
– para que busquem, na concórdia, o bem comum, de acordo com a vossa vontade. R.

Vós, que, subindo aos céus, levastes convosco os cativos,
– restituí a liberdade de filhos de Deus aos nossos irmãos e irmãs prisioneiros no corpo ou no espírito. R.

Concedei aos nossos jovens a realização de suas esperanças,
– para que saibam responder ao vosso chamado com grandeza de alma. R.

Fazei que as crianças imitem vosso exemplo,
– e cresçam sempre em sabedoria e em graça. R.

(Intenções livres)

Acolhei os que morreram na glória do vosso Reino,
– onde também nós esperamos reinar convosco para sempre. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Salve, Regina, mater misericordiae
Vita, dulcedo, et spes nostra, salve.
Ad te clamamus, exsules, filii evae.
Ad te suspiramus, gementes et flentes
in hac lacrimarum valle.
Eia ergo, Advocata nostra,
illos tuos misericordes oculos
ad nos converte.
Et Iesum, benedictum fructum ventris tui,
nobis post hoc exsilium ostende.
Ó clemens,Ó pia, Ó dulcis Virgo Maria.
Ora pro nobis sancta Dei Genetrix.
Ut digni efficiamur promissionibus Christi.
Amen.
(Tradução)
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e
doçura esperança nossa salve! A vós
bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste
vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos
misericordiosos a nós volvei, e depois deste
desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do
vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e
sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que
sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho do dia

Evangelho - Lc 8,19-21
Minha mãe e meus irmãos são aqueles
que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 8,19-21
Naquele tempo:
19A mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se,
mas não podiam chegar perto dele, por causa da multidão.
20Então anunciaram a Jesus:
'Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver.'
21Jesus respondeu:
'Minha mãe e meus irmãos são aqueles
que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática.'
Palavra da Salvação.