Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Como ajudar os seus filhos a superar o medo do fracasso?

MOTHER - DAUGHTER - CRIES
© Kamira - shutterstock
Compartilhar

É comum que às vezes as crianças tenham medo de falhar. Mas o que fazer se esse medo conduz a pensamentos negativos ou a um estresse permanente?

Quantas crianças (e adultos) ficam paralisados pelo medo de não realizar as coisas com perfeição, sentem terror ao pensar em errar ou fracassar! No entanto, sabemos que é inevitável enfrentar fracassos, derrotas de todos os tipos: desde a primeira queda da criança que aprende a andar, até a aparente derrota da morte, passando pelos maus resultados acadêmicos, as desilusões amorosas ou as dificuldades profissionais. Então, como ajudar a criança a fazer de cada fracasso uma oportunidade de vitória? Como a livrar do medo de errar?

Cultivar na criança a força de vontade

Evitemos em primeiro lugar, a tentação de proteger nossos filhos ao máximo dos possíveis erros ou fracassos da vida. Por um lado, isso significa recuar para saltar mais alto no futuro, porque, o que quer que façamos não impedirá que a criança um dia ou outro precise encarar seus limites. Por outro lado, e este é o ponto essencial, a única forma de se livrar do medo de um obstáculo é o confrontando.

Enfrentar um obstáculo requer duas condições: a vontade de o superar e a capacidade para fazê-lo. Dito de outra maneira, para vencer o seu medo de errar, é preciso antes de tudo querer. A coragem não consiste em não ter medo, mas em se liberar do medo por um ato da vontade. Portanto, uma das principais missões dos pais consiste em fazer a criança descobrir o extraordinário poder da sua vontade: “Se você quiser, você pode alcançar muito mais do que imagina”. Frente ao fracasso, eu posso baixar os meus braços, ou então fazer desse fracasso uma ocasião de vitória, e acima de tudo, vitória sobre o meu medo, minha timidez. Mas a questão é: “Será que eu quero isso realmente?” E ninguém pode responder essa pergunta no meu lugar, mesmo que eu não tenha mais do que sete ou oito anos.

A vontade pode fazer muito, mas ela não pode tudo. É por isso que a frase “Se você quiser, você pode” precisa ser usada com muita precaução. Uma criança pode vencer o medo de fracassar se ela se sente suficientemente segura. Quanto mais a criança se sente amada de maneira incondicional, mais ela será capaz de enfrentar as dificuldades de todo tipo com serenidade. Porque comumente o medo do fracasso vem do que a criança diz a ela mesma, conscientemente ou não: “Se eu não tiver sucesso, eu vou perder o amor e a confiança dos meus pais, dos meus professores, etc.”  

A criança precisa ser continuamente encorajada

O medo de errar está ligado também ao fato de que a criança (e é verdade também para o adulto) não sabe relativizar a sua derrota. Ela tem a sensação de que toda a sua pessoa é colocada em estado de inferioridade no momento da derrota: “Eu não consegui, então eu sou incapaz”. Os pais precisam mostrar aos seus filhos que sua vida não acabou porque ele falhou, que sua vida e seu ser não se resumem a este fracasso. E a única forma de provar isso ao seu filho é o encorajando a cada vitória. A derrota pode verdadeiramente ser esmagadora quando não temos uma oportunidade de vitória à frente. Às vezes é necessário apenas uma pequena vitória, se ela for suficientemente reconhecida.

Confiante e pacífica, a criança poderá ir mais longe e descobrir que, ressuscitados com Jesus, nós estamos definitivamente ao lado do vencedor. Porque Jesus é ressuscitado, nenhuma derrota nas nossas vidas é definitiva ou verdadeiramente grave. Cristo é definitivamente e verdadeiramente vencedor de todo o mal. Nossas derrotas são então aparentes e temporárias, já que é com Ele que nós as vivemos, “morrendo como Ele para ressuscitar com Ele”.

Christine Ponsard

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.