Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 29 Novembro |
Santa Iluminada  Virgem († séc. IV)  
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Argentina: projeto quer retirar imagens religiosas dos espaços públicos

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
ARGENTINA

Marko Vombergar | Aleteia

Esteban Pittaro - publicado em 29/09/22

Autores afirmam que a simbologia religiosa "não é representativa de toda a população" nem condiz com a laicidade do Estado

Como se a Argentina já não estivesse em franca derrocada econômica e social e não tivesse nenhuma prioridade pragmática, um projeto escancaradamente ideológico da esquerda dirigente quer agora retirar imagens religiosas dos espaços públicos.

O projeto de “remoção de símbolos e imagens religiosas instalados em espaços públicos e/ou edifícios pertencentes ao Estado Nacional” foi apresentado pelos deputados Karina Banfi, Martín Arjol, Fabio Quetglas e Fernando Iglesias – os três primeiros radicais e o quarto do bloco PRO.

Pela iniciativa, seria proibida a exibição de símbolos e imagens religiosas que não façam parte da “linguagem arquitetônica” do edifício em questão – o que é suficiente genérico para prestar-se a interpretações arbitrárias. Trata-se de um projeto que já foi apresentado duas vezes, em 2018 e 2020, e cujos autores parecem não cansar-se de tentar de novo.

Os motivos

Segundo os autores, a finalidade do projeto seria “garantir o efetivo cumprimento dos princípios de liberdade e consciência religiosa, bem como garantir a laicidade dos poderes públicos”.

Eles consideram que a simbologia religiosa “não só não é representativa de toda a população como também não condiz com a laicidade do Estado Nacional”. A intenção da proibição, dizem eles, é que o Estado “garanta tratamento igualitário aos cultos para avançar na construção de uma agenda pública não baseada na moral, mas nos direitos do cidadão”.

Ainda segundo os autores, o fato de que a Constituição argentina registre no seu artigo 2º que o Governo Federal apoia o culto católico se referiria somente ao apoio econômico e financeiro, mas não implicaria a natureza confessional do Estado. Eles mencionam vários tratados internacionais, aos quais a Argentina aderiu, que defendem a liberdade de culto e o direito de manifestar a própria religião ou crença.

As controvérsias

O projeto cita como pano de fundo uma polêmica de longa data relacionada com a entronização, na entrada do Palácio dos Tribunais, sede do Poder Judiciário argentino, de uma imagem de Santa María del Rosario de San Nicolás.

Inicialmente, a Justiça entendeu que a imagem deveria ser removida porque “revelaria uma adesão implícita, mas não menos clara, a um credo em detrimento de outros”. No entanto, uma decisão judicial posterior considerou que “da mera manifestação pública de uma crença religiosa, ainda que emanada de órgãos do Estado, não se pode inferir presunção de tratamento discriminatório ou arbitrário”.

Excetuando a recorrente denúncia de instrumentalização política da religiosidade popular ou da figura do Papa, não há discussões concretas, atualmente, sobre a presença de imagens religiosas em espaços e edifícios públicos da Argentina. Pelo contrário: são mais frequentes as discussões sobre a exibição de manifestações artísticas que deturpam imagens religiosas com finalidade crítica em espaços públicos como museus e centros de exposições.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
IdeologiaIgrejaPolíticaReligião
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia