Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Conclave: cardeais já estarão em Roma na semana que vem

Compartilhar

As congregações gerais estão previstas para o dia 4 de março

A convocação dos cardeais para as congregações – após o envio da correspondente carta do cardeal decano, Angelo Sodano, no dia 1º de março, quando começa a sé vacante – deverá começar na segunda-feira, dia 4 de março. Esta informação foi confirmada pelo Pe. Federico Lombardi, porta-voz da Santa Sé, durante um encontro com os jornalistas.
 
"É muito possível – comentou Lombardi – que não haja congregações no sábado e no domingo, mas que comecem imediatamente depois, ou seja, o quanto antes possível."
 
Estas congregações gerais – reuniões dos cardeais antes da eleição papal – servirão para estabelecer a data do conclave, já que o motu proprio recentemente aprovado pelo Papa lhes confere esta faculdade. O lugar da reunião das congregações será a sala nova do Sínodo.
 
Os cardeais "não residirão na Domus Sanctae Marthae antes do início do conclave", explicou também o Pe. Lombardi, pois lá está sendo realizada uma reforma. Os quartos serão distribuídos por sorteio entre os cardeais.
 
O mesmo acontece na Capela Sistina, onde serão realizadas as reuniões do conclave; ela está em reforma para "melhorar o ambiente e evitar possíveis interceptações ambientais, segundo uma modalidade já experimentada no último conclave". Ou seja, a área está sendo preparada para impedir a espionagem das sessões.
 
Dos 117 cardeais eleitores, 2 comunicaram que não participarão. São eles: o cardeal indonésio Julius Riyadi Darmaatmadja, arcebispo emérito de Jacarta, quem alegou motivos de saúde; e o cardeal escocês Keith O'Brien, a quem o Papa aceitou a renúncia como bispo de Edimburgo e que foi acusado de "aproximações inadequadas" por parte de quatro antigos seminaristas.
Boletim
Receba Aleteia todo dia