Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Sálvio
home iconEstilo de vida
line break icon

Papa Francisco: grande atenção às mulheres na Igreja

Gilles RIGOULET/CIRIC

Chiara Santomiero - publicado em 05/04/13

Entrevista a duas especialistas no campo da promoção feminina

Os apóstolos e discípulos têm dificuldade para crer; as mulheres, não: esta foi a ideia destacada pelo Papa Francisco na audiência da quarta-feira, recordando que as mulheres foram as primeiras testemunhas da Ressurreição. Segundo o Pontífice, as mulheres agem por amor e sabem acolher este anúncio com fé; elas acreditam e imediatamente transmitem a mensagem da Ressurreição. A missão das mulheres é esta: dar testemunho de que Jesus está vivo! E isso nos faz refletir sobre como as mulheres, na Igreja e no caminho da fé, tiveram e têm, ainda hoje, um papel especial, abrindo a porta que leva a Jesus.


Partindo desta reflexão, a Aleteia apresenta o testemunho de Eugenia Bonetti, comboniana, há 4 anos comprometida na luta contra o tráfico de mulheres, e de Maria Giovanna Ruggieri, presidente da União Mundial das Organizações Femininas Católicas, organismo com mais de um século de vida e que reúne 5 milhões de mulheres do mundo inteiro.

O que as palavras de Francisco lhes sugerem?

Bonetti: A atitude das mulheres que vão ao túmulo de Jesus e o encontram vazio é a que nos acompanha quando, como nos convida o Papa, caminhamos rumo às "periferias existenciais", em direção às pessoas feridas pela vida: esperamos encontrar um "corpo morto" e, no entanto, encontramos mulheres e homens vivos, que esperam o anúncio de um Cristo capaz de vencer a morte e suas humilhações. Quem, a não ser o coração de uma mulher, é capaz de se aproximar com ternura destes lugares de sofrimento e abandono? É isso que o Papa sugere com esta reflexão. É um grande estímulo para a nossa obra tudo o que ele está dizendo nestes dias, sobretudo o que disse no domingo de Páscoa, quando denunciou explicitamente o tráfico de seres humanos.

Ruggieri: Há uma "feliz" atenção do Papa Francisco às mulheres na Igreja, que nos incentiva no nosso compromisso; também a relevância que ele deu ao problema do tráfico de seres humanos, que é uma das prioridades na obra de sensibilização que a UMOFC realiza em vários lugares do mundo sobre o tema da dignidade da mulher. Na próxima semana, acontecerá no México a conferência latino-americana dedicada ao tráfico de mulheres e à violência contra elas, sendo Ciudad Juárez a cidade símbolo no compromisso de denúncia da Igreja.


As mulheres que chegam ao sepulcro são a imagem do "gênio feminino", pois, diante da morte, diante das situações difíceis e às vezes desesperadoras, não desistem e continuam trabalhando. Essas mulheres que chegam ao túmulo de Jesus não hesitam: sabem que devem cumprir o dever de atender seu corpo morto e, precisamente pela sua capacidade de não perder o ânimo, de estar sempre alerta, são as primeiras destinatárias da Ressurreição. Como destacou o Papa, a Bíblia e o Evangelho estão repletos de histórias de mulheres fortes: Maria foi a primeira em dizer "sim" a Deus, aceitando com coragem o desafio daquela maternidade excepcional na sua vida. Gosto do fato de o Papa ter destacado o dever do testemunho das mães e mulheres em geral. Muitas vezes, na Igreja, destaca-se o papel da mulher como esposa e mãe – que é essencial –, mas houve e há mulheres que, ainda não sendo mães, ofereceram uma contribuição muito importante para a edificação da comunidade eclesial, bem como da civil.

Existe um problema de reconhecimento do papel das mulheres na Igreja?

Bonetti: Devemos admitir que, no passado, faltou o reconhecimento do papel da mulher na Igreja, mas isso não é uma reivindicação por uma questão de protagonismo. A mulher não busca "seu próprio lugar" por si mesmo, mas para colocar-se ao serviço dos outros. Para isso, é necessário uma terminologia nova, inclusive da especificidade do homem e da mulher, juntos na Igreja para viver e anunciar o Evangelho.


As mulheres, ainda que não tenham sido valorizadas, sempre estiveram presentes: muitas ofereceram a maternidade ao serviço dos outros, sem a qual a Igreja teria sido estéril, menos "mãe" e mais "mestra". As mulheres ajudam a manter o equilíbrio e a redescobrir que Jesus não fez distinções. Tanto é assim que, como disse o Papa, Cristo confiou às mulheres (a quem, por lei, não era reconhecida a faculdade de testemunhar) o anúncio da Ressurreição.

Ruggieri: Recuperar a atenção à contribuição da mulher na Igreja. Não se trata de reivindicações, mas de construção da própria Igreja como corpo de Cristo, segundo a imagem conciliar da "Lumen Gentium": se uma parte do corpo não funciona, o resto do corpo não funcionará. No entanto, recuperar a reciprocidade significa valorizar, "negociar" os talentos de cada um ao serviço de toda a comunidade. Quando Francisco diz que as mulheres acreditam e testemunham "porque se veem impulsionadas pelo amor", ele coloca em evidência a capacidade das mulheres de ir muito além do tangível, de seguir a intuição ao invés do racional, considerado mais masculino, e que às vezes é classificada como sentimentalismo ou fantasia, mas que é, ao contrário, uma maneira de ancorar-se na experiência humana, envolvendo-se no testemunho com todo o seu ser. Espero que a atenção do Papa ao papel da mulher seja um grande estímulo na sua valorização, especialmente em lugares como a África, Oriente Médio e tantos outros do continente asiático, onde esta consciência está menos presente ou é diretamente negada.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
MulherPapa Francisco
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia