Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

“Efeito Francisco”: mais fiéis na Missa e no confessionário

© Jeffrey Bruno ALETEIA
Papa Francisco saluda a los fieles
Compartilhar

Resultados de uma pesquisa de Massimo Introvigne

Em seu primeiro mês de pontificado, o Papa Francisco conseguiu fazer que muitas pessoas afastadas da fé se aproximassem da Igreja. De fato, aumentou o número de fiéis que participam da Missa e das confissões.
 
Este é o resultado de uma pesquisa realizada pelo Centro de Estudos sobre as Novas Religiões (CESNUR), pelo Instituto de Pesquisa sobre as Religiões, a cargo do sociólogo Massimo Introvigne Turín, com relação ao chamado "efeito Francisco": em outras palavras, buscou-se ver como os argumentos do Papa e seus convites a confiar na misericórdia de Deus aproximaram muitas pessoas da Igreja.
 
"Partimos da constatação de alguns jornalistas, que haviam detectado um 'efeito Francisco', sobretudo em relação ao crescente número de confissões – explicou o professor Introvigne à Aleteia – e quisemos oferecer dados reais."
 
Foram dados de caráter científico, com métodos ainda preliminares, mas com dados concretos. "Distribuímos um questionário que seguia o modelo 'em cascata', utilizado pelas redes sociais Facebook e Twitter, a partir de grupos frequentados especialmente por católicos."
 
Na amostra, formada por 200 sacerdotes e religiosos, 53% afirmou ter notado, em sua própria comunidade, um aumento das pessoas que se aproximaram da Igreja ou se confessaram; além disso, as pessoas mencionaram que seguiam explicitamente os convites do Papa Francisco, e que este era o motivo da sua aproximação da prática religiosa.
 
Portanto, o aumento dos fiéis não pode ser atribuído ao fato de que as pessoas frequentam mais a Igreja durante o período da Páscoa ou em épocas de crise econômica.
 
Em 43,8% dos casos, o aumento dos fiéis foi definido como "consistente", superior a 25%. Quem percebeu isso foram principalmente os religiosos (66,7%), com relação aos sacerdotes diocesanos (50%). Por outro lado, para 64,2% da amostra, o incremento está relacionado particularmente às confissões.
 
"Da mesma pesquisa, formada por uma amostra de 500 leigos, observou-se que o 'efeito Francisco' foi notável. Apesar disso, 41,8% dos leigos percebeu tal efeito, o que significa que é possível dar-se conta disso com uma simples observação."
 
"Os dados – continuou Introvigne – são bastante significativos dentro dos limites da pesquisa. Um efeito que se deduz de mais da metade da amostra é um fenômeno não só existente, mas também de grande importância. Se tentássemos traduzir os dados em termos de números e em escala nacional, em relação à média das paróquias e comunidades, poderíamos falar de milhares de pessoas que se aproximaram da Igreja porque aceitaram os convites do Papa Francisco."
 
Sem dúvida, o "efeito Francisco" é também um efeito de Ratzinger. "Muitos – comentou Introvigne – dizem espontaneamente que também ficaram comovidos com a renúncia de Bento XVI."
 
O pesquisador concluiu dizendo que este efeito será colocado à prova com o tempo. "Seria um erro tirar qualquer conclusão de um estudo que foi realizado depois de apenas um mês de pontificado. Mas, desde já, podemos dizer que não se trata de impressões e casos, mas de números reais."
Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.