Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 16 Janeiro |
home iconEstilo de vida
line break icon

Avós: se não existissem, seria preciso inventá-los

Roberta Sciamplicotti - publicado em 09/05/13

A relação entre avós e netos não é comparável a nenhum outro laço afetivo e pode ser promotora de uma afetividade e uma alegria inestimáveis

A figura dos avós é fundamental no crescimento dos jovens. Por este motivo, Ezio Aceti, especialista em psicologia evolutiva, decidiu intitular seu livro como “Nonni oggi. Se non ci fossero bisognerebbe inventarli” (Città Nuova) (Avós hoje. Se não existissem, seria preciso inventá-los), para aprofundar na figura destes “verdadeiros guardiões, que velam não somente pelos netos, mas pelo mundo contemporâneo”.

Para o autor, os avós não devem ser rejeitados; ao contrário: é preciso tê-los sempre por perto, porque o que fazem é indispensável. Demonstram, de fato, que havia um “antes”, uma “raiz rica em seiva e experiência, à qual temos acesso para construir um futuro mais humano e visível”.

No livro, sublinha-se como, na complexa sociedade de hoje, os avós podem levar a cabo uma função de confiança e esperança em suas raízes e valores. É aprofundado o aspecto mais pessoal e existencial do avô e da avó, como pessoas que lutam contra o envelhecimento do corpo.

“A proximidade da morte permite viver o essencial que, muitas vezes, significa deixar as frivolidades da vida para agarrar-se àquilo que é mais humano e, ao mesmo tempo, transcendente: pertencer ao amor”. A última parte do livro apresenta depoimentos sobre quanto os avós podem estar ao serviço da humanidade e da sociedade.

Vivemos em uma sociedade na qual as tipologias de família (separadas, divorciadas, numerosas, multiétnicas, monoparentais etc.) determinam uma ampla complexidade de relações e estas lutam para ser compreendidas em profundidade pelas crianças; as relações estáveis e duradouras são questionadas e ameaçadas continuamente.

A crise não é só econômica, mas especialmente educativa, razão pela qual é necessário ter “testemunhos confiáveis, capazes de garantir a passagem de uma geração tradicional a uma pós-moderna”, observa Aceti.

As pessoas mais aptas para favorecer esta passagem são precisamente os avós, ainda que muitas vezes acabem sendo afastados, “como consequência da cultura do imediato e do efêmero, que causou o colapso da sociedade patriarcal”.

Hoje em dia, as relações são caracterizadas sobretudo pelas emoções vividas até consequências extremas, prevalecendo sobre o bom senso e a razão. Em uma sociedade que parece eternamente adolescente, sempre a ponto de precipitar-se ou exaltar-se por coisas mínimas, os idosos, para ser levados em consideração, se veem obrigados parecer ou voltar a comportar-se como adolescentes.

As famílias pós-modernas são cada vez menores, cada vez mais diferenciadas e estão cada vez mais sozinhas. Além disso, os avós são usados em tarefas de cuidados, mas com menos autoridade no campo educativo, afirma o autor.

Em um contexto que corre o risco de desintegrar-se e perder-se, no entanto, os avós podem ser aqueles que não se rendem, que sustentam os elementos mais importantes, impedindo o colapso e a destruição.

A relação entre avós e netos não é comparável a nenhum outro laço afetivo e pode ser promotora de uma afetividade e uma alegria inestimáveis, porque “os avós carregam todo um mundo. São memórias distantes, lembranças passadas que, para a criança, têm as cores do encanto e da fábula”.

Acima de tudo, os avós “talvez sejam os únicos capazes de oferecer aos netos o dom mais valioso para o futuro, porque uma sociedade se fundamenta principalmente em dois pilares: a memória dos mais velhos e o frescor dos mais novos”.

Tags:
Família
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fáti...
UNPLANNED
Jaime Septién
Filme contra o aborto arrasa nas bilheterias ...
BABY BAPTISM
Padre Reginaldo Manzotti
Por que é tão importante batizar uma criança?
Deserto de Negev
Francisco Vêneto
Pedra de 1.400 anos com inscrição mariana é e...
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens pode...
Reportagem local
Papa Francisco: cuidado com os cristãos que s...
POPE JOHN PAUL II
Philip Kosloski
"Não tenhais medo": a frase mais usada por Sã...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia