Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Religião

Nosso Papa anticlerical

Russell Shaw - publicado em 17/06/13

Francisco não é o primeiro, mas talvez seja o mais franco

O Papa Francisco é o nosso primeiro papa anticlerical? Tecnicamente falando, ele não é – os seus dois predecessores imediatos também foram mais ou menos críticos do clericalismo –, mas ele está demonstrando ser talvez o mais franco.

Consideremos, por exemplo, uma citação de grande circulação a partir de uma entrevista de 2011, que ele deu enquanto ainda era o cardeal Bergoglio, de Buenos Aires. Caso você não tenha visto ou tenha se esquecido, o trecho é o seguinte:

"Como eu disse antes, há um problema: a tentação de clericalismo. Nós, sacerdotes, tendemos a clericalizar os leigos. Nós não percebemos isso, mas é como se nós os infectássemos com a nossa própria doença. E os leigos – não todos, mas muitos – nos pedem de joelhos que os clericalizemos, porque é mais confortável ser coroinha que o protagonista de um caminho leigo. (…)

O leigo é um leigo e tem de viver como um leigo, com a força de seu Batismo, que lhe permite ser fermento do amor de Deus na sociedade… não a partir de seu púlpito, mas de sua vida cotidiana. E o sacerdote – deixe o padre carregar a cruz de um padre, uma vez que Deus lhe deu um ombro largo o suficiente para isso."

Estas são palavras fortes e estimulantes. Mas, para além das palavras, o jeito de ser e estilo de vida de Francisco – despretensioso, simples, direto – constituem uma espécie de repúdio de certas convenções clericalistas (para que não haja qualquer dúvida, muitos outros bons sacerdotes também falam e vivem dessa forma).

A essência do clericalismo, no sentido em que o Papa Francisco (e eu) usa o termo, é uma forma de pensar que toma como certo que a vocação clerical e o estado de vida dos padres são superiores a todas as outras vocações e estados de vida cristãos.

Deste ponto de vista, segue-se que os clérigos são os agentes ativos na Igreja – aqueles que tomam as decisões, dão as ordens, exercem o comando. O papel dos leigos seria ouvir e fazer o que eles disserem.

Muitos leigos parecem ainda pensar desta forma, pelo menos tanto quanto os padres, mas provavelmente até mais do que eles. Isso é verdade inclusive (ou talvez especialmente) naqueles que se rebelam contra isso e acabam abandonando a Igreja.

Profundamente enraizado e difundido, o clericalismo é um abuso que substitui a ideia de uma Igreja cujos membros vivem em igualdade, tendo diversos cargos e funções, por uma caricatura: os clérigos são os chefes, os leigos são mandados.

E isso não acontece apenas nos Estados Unidos: em uma palestra dada recentemente em Nova York, o arcebispo Diarmuid Martin, de Dublin, disse que "fortes resquícios de clericalismo herdado" continuam atormentando a Igreja na Irlanda. "Já passou a época em que os clérigos exerciam o papel de dominadores da ‘Igreja institucional’, mas esta ideia ainda permanece na cultura", explicou.

Então, o que fazer? O Papa Bento XVI, mais de uma vez, sugeriu uma dimensão importante do que precisa ser feito em relação à "corresponsabilidade".

Em uma mensagem de agosto do ano passado, ele explicou: "A corresponsabilidade exige uma mudança de mentalidade relativa, em particular, ao papel dos leigos na Igreja, que devem ser considerados não como ‘colaboradores’ do clero, mas como pessoas realmente ‘co-responsáveis’ do ser e do agir da Igreja".

Esta é a ideia: a reforma da máquina administrativa central da Igreja está no topo da agenda do Papa Francisco. Será que encontrar formas para que os leigos tenham uma presença mais forte e uma voz mais ativa no que acontece em Roma é parte dela?

Talvez tenha chegado a hora de tornar isso realidade.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
leigosPapa Franciscosacerdotes
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia