Aleteia

Adolescentes jordanianos consideram que crime de honra é justificável

Compartilhar

Esta atitude se baseia em crenças sociais, não religiosas

A crença de que os chamados "crimes de honra" são justificados ainda é comum entre os adolescentes jordanianos, segundo um estudo da Universidade de Cambridge.
 
O estudo, realizado por pesquisadores do Instituto de Criminologia da universidade, constatou que quase a metade dos meninos e uma em cada cinco meninas entrevistadas na capital, Amã, acreditam que matar uma filha, irmã ou esposa que "desonrou" ou envergonhou a família é justificável.
 
"Os pesquisadores entrevistaram mais de 850 estudantes, e descobriram que as atitudes de apoio aos crimes de honra são muito mais prováveis ​​em adolescentes do sexo masculino com baixa escolaridade", afirmou um comunicado, acrescentando que a pesquisa foi publicada na revista de criminologia Aggressive Behavior.
 
"É importante ressaltar que o estudo constatou que essas atitudes perturbadoras não estavam ligadas a crenças religiosas."
 
Entre 15 e 20 mulheres morrem nos chamados "crimes de honra" a cada ano no reino árabe, apesar dos esforços do governo por conter tais atos.
 
Os principais fatores por trás destes crimes "incluem uma visão de mundo patriarcal e tradicional, a ênfase é colocada na virtude feminina e há uma crença mais geral de que a violência contra os outros é moralmente justificável", afirma o estudo.
 
"Notamos minorias significativas de meninas, com bom nível educacional e até mesmo adolescentes irreligiosos que consideram o crime de honra moralmente correto, sugerindo um amplo apoio da sociedade à tradição", disse o Professor Manuel Eisner, que liderou o estudo, junto à estudante Lana Ghuneim.
 
Ao todo, 33,4% dos entrevistados "concordaram" ou "concordaram fortemente" com situações que retratam crimes de honra.
 
"Os meninos foram mais do que duas vezes mais propensos a apoiar crimes de honra: 46,1% dos rapazes e 22,1% das meninas concordaram com pelo menos duas situações de crimes de honra do questionário."
 
Mais de 60% dos adolescentes de baixo de escolaridade mostraram atitudes de apoio aos crimes de honra, ao contrário de apenas 21,1%, entre os quais pelo menos um membro da família tem um diploma universitário, disse o estudo.
 
E 41,5% dos adolescentes com um grande número de irmãos endossaram ​​pelo menos duas "situações de crimes de honra", enquanto este era apenas o caso de 26,7% dos adolescentes de famílias menores.
 
"Embora tenha sido introduzida uma legislação mais rigorosa – apesar dos conservadores –, o apoio cultural à violência contra as mulheres é generalizado", acrescentou.
 
O assassinato é punível com a morte na Jordânia, mas, no caso dos crimes de honra, os tribunais podem reduzir ou comutar penas, especialmente se a família da vítima pedir clemência.
 
(Publicado originalmente em UCANews em 20 de junho de 2013)
Boletim
Receba Aleteia todo dia