Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 26 Janeiro |
São Timóteo e São Tito
home iconAtualidade
line break icon

Índias tem 14 milhões de escravos, muitos deles cristãos

CC UN Photo/Shareef Sarhan

Aleteia Vaticano - publicado em 22/10/13

Muitos são cristãos e pertencem aos “dalits”, os “sem casta”, os “intocáveis”, ou seja, pertencem à classe mais baixa da sociedade

30 milhões de pessoas vivem em escravatura em todo o mundo, segundo um trabalho publicado em Londres pela ONG australiana Walk Free Foundation.

75 % dos escravos vivem na Ásia. Só a Índia possui cerca de 14 milhões.

Muitos são cristãos e pertencem aos “dalits”, os “sem casta”, os “intocáveis”, ou seja, pertencem à classe mais baixa da sociedade. Um número considerável destes escravos indianos dos tempos modernos reside em Orissa, que, segundo o Arcebispo de Cuttack-Bhubaneshwar, D. John Barwa,  é “o estado mais pobre do mundo”.

Ser escravo, segundo o novo Índice Mundial agora publicado, inclui não apenas a definição tradicional, mas também práticas similares, como casamentos forçados, venda, ou exploração infantil.

A Índia é, de longe, o país com o número mais alto de escravos – quase 14 milhões -, mas o lugar onde o problema é proporcionalmente mais grave é a Mauritânia.

Nesse país do norte da África, 4% de sua população vive em regime de escravidão, segundo a Walk Free Foundation (WFF).

O primeiro país latino-americano no ranking é o Haiti, que aparece em segundo lugar, atrás da Mauritânia. Também aparecem na lista Peru (65º), Suriname (68º), Equador (69º) e Uruguai (72º).

Os dez países com maior número de escravos são a Mauritânia, Haiti, Paquistão, Índia, Nepal, Moldávia, Benin, Costa do Marfim, Gâmbia e Gabão.

A WFF espera que este relatório ajude os governos a vigiar e controlar o problema.

“Surpreende muita gente ouvir que a escravidão ainda existe”, disse à AFP o director da organização, Nick Grono, acrescentando que “a escravidão moderna reflecte todas as características da antiga”.

“As pessoas são controladas pela violência. São enganadas, ou forçadas a trabalhar, ou são colocadas numa situação em que são economicamente exploradas” e “não são livres para ir embora”, explicou.

(Departamento de Informação da Fundação AIS)

Tags:
PecadoViolência
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BABY BAPTISM
Padre Reginaldo Manzotti
Por que é tão importante batizar uma criança?
2
Larry Peterson
Ela se divorciou duas vezes, teve 8 filhos, virou freira e levou ...
3
Aleteia Brasil
5 milagres que a ciência tentou, mas nunca conseguiu explicar
4
FETUS
Francisco Vêneto
Abortos no mundo em 2021 já superam mortes por covid em toda a pa...
5
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da missa
6
Jérôme Lejeune
Francisco Vêneto
Descobridor da Síndrome de Down está em processo de beatificação
7
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fátima - e uma interpret...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia