Aleteia
Terça-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Religião

Nazismo: a verdade sobre a relação da Igreja alemã com o Terceiro Reich

© DR

Enrique Chuvieco - publicado em 28/10/13

E episcopado alemão já havia condenado reiteradamente o nazismo, mesmo antes da vitória de Hitler

Um mar de cacos de vidro invadiu as ruas das principais cidades alemãs nas noites de 9 e 10 de novembro de 1938. E o resultado mais grave: 91 cadáveres e mais de 30 mil detidos, que foram deportados a campos de concentração. Foi a Noite dos Cristais, que em breve cumprirá 65 anos.

O governo de Hitler a qualificou como “reação espontânea da população”, para vingar-se do assassinato do diplomata alemão Ernst von Rath pelo jovem judeu polonês Herschel Grynszpan. A desculpa perfeita.

Um ano antes, em 21 de março, a Igreja Católica alemã havia lido, em todos os templos, a encíclica “Mit brennender sorge” (“Com ardente preocupação”), reprovando a ideologia nazista. Era a ratificação de algo que vinha sendo denunciado desde 1930, três anos antes de Hitler subir ao poder.

A primeira condenação contra o Partido Nazista veio do bispo de Mainz, que proibiu que os católicos se inscrevessem em suas fileiras, que os nazistas recebessem os sacramentos e que os membros do partido hitleriano participassem de celebrações católicas.

Em agosto de 1932, a Igreja Católica excomungou todos os dirigentes do Partido Nazista, porque assumiam princípios anticristãos e divulgavam teorias raciais.

A conferência episcopal alemã, por sua vez, publicou um texto exaustivo no qual se detalhava como relacionar-se com o Partido Nazista, bem como a proibição de aderir a ele, sob pena de excomunhão, porque “as manifestações de inúmeros chefes e anunciantes do partido têm um caráter hostil à fé” e “são contrárias às doutrinas fundamentais e às indicações da Igreja Católica”.

Em janeiro de 1935, os principais bispos alemães (os cardeais Bertram, Faulhaber e Schulte, e os bispos Preysing e von Galen) viajaram secretamente para solicitar novamente à Santa Sé uma condenação formal do nazismo. A resposta do Papa Pio XI, que foi a encíclica “Mit brennender sorge”, foi lida no domingo, 21 de março, em 11 mil templos alemães, após ser introduzida clandestinamente no país, passando por cima da censura do regime.

A invasão da Áustria por parte das tropas alemãs foi bem recebida pela sua população, dada a instabilidade do país. Para compensar a dura crítica do episcopado alemão, Hitler se reuniu em Viena com o cardeal Innitzer, de quem obteve uma declaração oficial do episcopado na qual se davam as boas-vindas e se elogiava o nazismo alemão.

O purpurado tentou retificar, mas a propaganda do regime destruiu sua tentativa. Innitzer foi chamado a Roma e, poucos dias depois, publicou uma retificação muito mais contundente. Só depois foi recebido por Pio XI, já que antes disso ele não queria ver o Papa.

A resposta nazista foi ignorar a retificação, suprimir as organizações juvenis católicas, o ensino da religião e a faculdade de teologia de Innsbruck. O palácio episcopal de Innitzer foi invadido e destruído pela juventude hitleriana.

A atitude de Innitzer e do episcopado austríaco foi lamentável: desobedece a postura de Roma e se enquadra dentro da fraqueza humana, da qual todos nós somos protagonistas, ainda que isso não justifique o que ele fez e mereça nossa reprovação.

Por outro lado, os bispos alemães souberam reconhecer a humilhação que os aguardava e revelaram publicamente as perversidades da ideologia totalitária e assassina de Hitler.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Igrejanazismo
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Ellen Mady
Para Jesus não existe novena melhor do que es...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
ícone São Lucas Nossa Senhora Jesus médico
Reportagem local
Oração a São Lucas, evangelista e médico, pel...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
JENNIFER CHRISTIE
Jennifer Christie
Fui estuprada numa viagem a trabalho - e meu ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia