Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Nova pílula abortiva cria polêmica na França

© SHUTTERSTOCK
Compartilhar

Seis professores de ginecologia advertem a ministra da Saúde: as condições da comercialização desse medicamento não são regulamentadas

A nova pílula abortiva Miffee foi lançada no mercado francês sem os ensaios clínicos necessários, informa o jornal Le Figaro, citando uma carta que 6 professores de ginecologia dirigiram à ministra da Saúde, Marisol Touraine.
 
A questão é que, no âmbito da regulamentação, a Miffee não pode ser receitada sem estar combinada com outro medicamento, o Gemeprost. Mas há um pequeno problema: o Gemeprost já não é usado na França devido aos seus efeitos colaterais (especialmente as dores que ele provoca). Além disso, ele precisa ser conservado a -15ºC e é caro.
 
Em outras palavras, a Miffee será comercializada na França associada a outro medicamento para cuja combinação não há autorização. Mesmo assim, a HAS (autoridade francesa em saúde) decidiu financiar 65% do valor do remédio, a taxa máxima permitida por lei.
 
Os que assinam a carta são: Israel Nisand, chefe do departamento de ginecologia obstetrícia do Centro Hospitalar Universitário de Estrasburgo, Philippe Descamps, Hervé Fernandez, Aubert Agostini, Jean-Louis Benifla e Bruno Carbonne.

Segundo o Le Figaro, são praticados 250 mil abortos por ano na França – 54% deles por meio de medicamentos.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.