Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 09 Maio |
home iconEstilo de vida
line break icon

Por que a cultura da vida vai triunfar

Jeffrey Bruno

Jason Jones e John Zmirak - Aleteia Vaticano - publicado em 01/05/14

O sub-humanismo tem uma falha fatal que garante a sua derrota final

"A verdadeira liberdade tem seu fundamento necessário na verdade sobre a pessoa humana: é na busca da Verdade que nos tornamos livres. Quando as exigências da verdade são ignoradas ou reprimidas, a busca da liberdade pode facilmente se tornar um mero pretexto para a licenciosidade, uma nova forma de tirania, e as primeiras vítimas são sempre os mais fracos, os indefesos, os que não têm voz" (São João Paulo II).

Se você já leu estatísticas sobre as ideologias nocivas que mataram quase 200 milhões de inocentes; se você já leu relatos de virtudes que poderiam ter poupado aquelas vidas, nós sabemos como você se sente: espantado. Devastado. Impotente.

Nós não somos páreo para os demagogos que forjam "grandes mentiras" capazes de transformar pessoas comuns e medíocres em genocidas. Não conseguimos acabar com tantos sofistas que tecem lençóis de seda com meias-verdades da moda para enrolar os nossos males cotidianos. Mesmo as histórias de heróis que arriscaram tudo na luta pela dignidade humana podem nos parecer impossivelmente fora de alcance: podemos dizer a nós mesmos que não somos feitos do mesmo material que eles. Somos apenas Joãos e Marias, e a vida não vai nos pedir sacrifícios como os dos heróis que desafiam governos, elites reinantes e polícias secretas. E é melhor que não peça, porque fracassaríamos.

Mas isso é uma mentira. É o mesmo tipo de mentira que o sub-humanismo nos conta sobre as outras pessoas, sobre os nossos vizinhos, cônjuges, filhos e, especialmente, sobre estranhos que parecem um pouco diferentes (ou pensam ou rezam um pouco diferente). O sub-humanismo, por trás de todas as máscaras intelectuais ou políticas que usa, diz apenas uma coisa: que o homem, no fundo, não importa tanto assim. Que não há nada em nós que ultrapasse ou transcenda a feiúra da competição darwiniana, os limites da biologia, a inevitabilidade da morte. Que somos apenas mamíferos, se coçando e se arranhando em obediência aos nossos instintos, tentando sentir alguns momentos felizes antes de virarmos presas inertes dos vermes.

Os heróis entre nós provam que isto simplesmente não é verdade. A textura da vida deles e os sacrifícios que eles fizeram provam que todos e cada um de nós podemos mais. Podemos ser melhores. Nenhum dos grandes homens e mulheres que ajudaram a redimir o século XX nasceu com poderes especiais, com auréola ou numa manjedoura. Eles eram seres humanos comuns, como eu e você, que estavam confusos, com medo e tentados. Cada um deles podia ter feito escolhas muito diferentes, seguido o rebanho e desviado os olhos das verdades que estavam sendo pisoteadas. Mas eles olharam para cima e para dentro e encontraram a centelha da dignidade humana, o fato irredutível de que homens e mulheres são, sim, algo maior! E isso não pode ser destruído.

Nós podemos tratar as pessoas como se elas fossem robôs, fantasmas ou bichos. Podemos torturá-las, escravizá-las, aprisioná-las ou matá-las. Mas isso é apenas fingir: isso não muda a realidade. Nossos impérios de mil anos, nossos paraísos dos trabalhadores, nossos admiráveis mundos novos são fantasias medonhas que os seres humanos criam e que a história devidamente vem e faz desmoronar. E o que resta, machucado e surrado, mas ainda sem dobrar o pescoço, é o rosto do Homem, tão nobre e tão belo quanto Adão estendendo a mão ao Deus que o criou. Foi essa verdade eterna e teimosa o que aqueles heróis enxergaram: se cada um de nós se lembrar disso, vamos fazer o que é necessário. Vamos sentir, do fundo do nosso ser até os mais altos voos da nossa imaginação, o amor pelo Bem, a aversão pela crueldade e pela pequenez da alma, a fidelidade para com todo e cada membro da nossa família humana.

Vamos lutar para consagrar os princípios básicos da decência em nossa vida política, econômica e pessoal. Vamos ter coragem.

E vamos vencer.

Tags:
AbortoFilosofiaPolíticaVidaVirtudes
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Bebê anjo
Reportagem local
“Tchau, papai”: as últimas palavras que Maurício ouvi...
2
Sangue de São Januário ou San Gennaro
Francisco Vêneto
Milagre do sangue de São Januário volta a ocorrer em Nápoles
3
Monsenhor Jonas Abib, fundador da Canção Nova
Reportagem local
Fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib é diagnosticado com...
4
ARGENTINA
Esteban Pittaro
Polícia interrompe missa de Primeira Comunhão ao ar livre
5
CANDLELIGHT PROCESSION AND ROSARY
Elizabeth Zuranski
A oração escondida no fim da Ave-Maria
6
ELDERLY,WOMAN,ALONE
Aleteia Brasil
O pe. Zezinho e a mãe que espera há 30 anos, sem sucesso, pelo pe...
7
Sangue de São Januário ou San Gennaro
J-P Mauro
Vídeo mostra a última liquefação do sangue de São Januário
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia