Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Papa Francisco liga para mãe de uma jovem desaparecida desde 2011

© Public Domain
Compartilhar

O pai da moça faleceu recentemente em um acidente de carro, enquanto a procurava

María del Carmen Gallegos, mãe de Maria Cash, uma jovem desaparecida desde 2011, recebeu um telefonema do Papa Francisco, quem lhe deu os pêsames pela morte do seu esposo – falecido recentemente em um acidente de carro enquanto procurava sua filha.
 
O Pontífice disse à viúva que sentia muito pelo falecimento do seu esposo e que ela não merecia estar passando por tudo isso.
 
Em resposta, a Sra. Gallegos escreveu uma carta de agradecimento ao Papa: ”Na tarde do sábado, às 14h45, recebi um dos telefonemas mais esperados desde o desaparecimento da minha filha Maria. Com a humildade que o caracteriza, a voz de Sua Santidade o Papa Francisco me encheu do amor, da fé e da esperança que há três anos desapareceram da minha vida. Esta orfandade na qual transito os meus dias pareceu sumir, pelo menos por um momento: o Santo Padre estava me ligando”.
 
“Ele me deu seu apoio total, demonstrou sua preocupação com palavras carinhosas e disse que rezava pela alma do meu marido, pela minha família e por mim. Não posso pedir mais nada ao Papa, que me devolveu a fortaleza para seguir em frente com a busca da minha filha”, sublinhou.
 
A mulher contou: “Sou uma mãe, esposa e cidadã golpeada pelos flagelos que castigam a Argentina. Uma mãe sem filha, produto da insegurança. Uma esposa sem marido, produto da insegurança rodoviária. Uma cidadã sem justiça, vítima da ineficiência e inaptidão de um poder judicial que pretende justificar-se na falta de recursos, que depois vejo desperdiçados”.
 
E continua: “Da mesma maneira que o telefonema e a oração de Sua Santidade me enriqueceram a alma, desejo que esta carta não se transforme em mais um pedido desesperado de justiça dentre esses que escutamos diariamente, e sim em uma ação concreta por parte do juiz Miguel Medina (…) e do governo nacional. Todos eles responsáveis primários por uma busca que até agora não teve nenhum resultado.”
 
“Não quero me despedir sem agradecer novamente a Sua Santidade o Papa Francisco pela ligação, e também a muita gente boa que me acompanhou das mais diversas formas, mas especialmente a Deus, por me dar forças para seguir em frente na busca da minha filha Maria”, concluiu.
 
(Artigo publicado originalmente por AICA)
Boletim
Receba Aleteia todo dia