Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 22 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Comunicação no casal: ajudas e obstáculos

Happy couple – pt

© mast3r/SHUTTERSTOCK

Aleteia Vaticano - publicado em 07/08/14

A habilidade de comunicar-se adequadamente é fundamental para que o casamento seja estável e feliz, e esta é uma arte que pode ser aprendida

No casamento, a habilidade de comunicar-se adequadamente é fundamental para que o casal seja estável e feliz. E a boa notícia é que esta é uma arte que pode ser aprendida.

A comunicação se compõe de vários elementos: é preciso que haja uma pessoa que tenha algo a dizer, e alguém que escute a mensagem.

Por outro lado, a qualidade da mensagem dependerá da clareza para comunicar-se e da disposição e habilidade do receptor para escutar. Quanto mais específico, curto, direto e livre de interferências for o canal da comunicação, mais claramente se escutará a mensagem.

Por exemplo, podemos dizer: “Estou incomodado porque ontem, quando lhe perguntei se podíamos planejar umas férias, você me respondeu de forma grosseira e de má vontade”.

Igualmente, o feedback que aquele que escuta dá ao emissor é de grande ajuda para que a comunicação seja exitosa. Dar feedback é parafrasear o que você escutou o acredita ter escutado. Por exemplo: “Ou seja, você está incomodado porque ontem achou que falei de maneira grosseira e de má vontade”.

Se o receptor não der este feedback ou significado compartilhado, talvez o emissor possa lhe pedir que repita o que acredita ter escutado.

Na comunicação, interferem também o que conhecemos como “obstáculos da comunicação”. Estes são alguns dos mais frequentes:

Falta de clareza na mensagem ou na linguagem: lembre-se de ser específico e sobretudo trate somente de um assunto por vez. Pense no que você vai dizer e como vai dizer, qual é a melhor linguagem e vocabulário que podem ser usados com a pessoa com quem quer se comunicar. Recorde que a finalidade da comunicação é dar-se a entender, para que o outro possa responder à nossa necessidade expressa.

Barulho emocional: este depende de como as pessoas estão se sentindo. Assim, por exemplo, se uma pessoa está se sentindo pouco valorizada, esse sentimento vai afetar a maneira como ela transmite sua mensagem ou escuta o que seu parceiro quer lhe dizer. Por isso, se o seu parceiro lhe responde mal diante de uma simples pergunta, pergunte-lhe com preocupação: “Está tudo bem?”.

Procure, igualmente, não tentar resolver problemas ou expressar seu parecer quando se encontrar em um estado alterado. Espere que a adrenalina baixe e, quando se sentir mais calmo, inicie novamente a comunicação.

O tom de voz e a acentuação inadequada das palavras: preste atenção em como você diz as coisas. Não é a mesma coisa falar com um tom de desprezo ou gritando que começar com amabilidade. O tom de voz e a acentuação ajudam a criar o ambiente adequado para que se dê a comunicação. Há pessoas que se intimidam diante de certos tons de voz.

A atitude negativa de quem escuta: para ter êxito na comunicação, a pessoa com quem você quer se comunicar tem que querer se comunicar. É preferível marcar um encontro e esperar a que a pessoa esteja preparada para conversar.

O ambiente, a hora do dia, os ruídos presentes: você se lembra de todos os detalhes de quando você noivou? Por que então deixar de fazer algo que possivelmente foi um sucesso? Pense e escolha o melhor momento. A experiência nos diz que o melhor momento para resolver um conflito não é quando a pessoa está com raiva. Espere até ficar calmo e depois escolha o lugar e a hora.

Quando conhecemos o estilo de comunicação do nosso parceiro, podemos melhorar nossa comunicação e possivelmente entender melhor suas atitudes.

As pessoas também têm diferentes formas ou estilos para comunicar-se, dependendo da personalidade de cada um (introvertido, extrovertido etc.) ou do que aprenderam ao longo da vida.

Com frequência, pensamos que a maneira como nós nos comunicamos é a melhor e não percebemos que outras pessoas podem ter uma maneira diferente de comunicar-se sem que necessariamente seja errônea.


Por esta razão, é conveniente que cada um analise seu estilo de comunicação e que depois observe a forma como seu parceiro se comunica.

Pergunte-se, por exemplo: sou introvertido ou extrovertido? Mas como saber isso? As pessoas que desfrutam da companhia de outras e se energizam quando têm com quem falar e compartilhar seu tempo costumam ser extrovertidas. Pelo contrário, as pessoas para quem estar entre muitas pessoas é estressante e que preferem a companhia de poucos, ou inclusive requerem muitos momentos de solidão, provavelmente são introvertidas.

Os extrovertidos gostam de expressar o que estão pensando e compartilhá-lo com outras pessoas, enquanto os introvertidos preferem primeiro processar seus pensamentos em silêncio e depois exprimi-los.

Nenhuma dos dois jeitos de ser é melhor ou pior. Cada um tem suas vantagens e desvantagens, que precisam ser levadas em consideração dentro do relacionamento. Mas conhecer o estilo de cada um já é um bom começo.

Quando conhecemos o estilo de comunicação do nosso parceiro, podemos melhorar nossa comunicação e possivelmente entender melhor suas atitudes. Às vezes, os dois podem ter o mesmo estilo de comunicação (introvertido ou extrovertido). No entanto, geralmente um será mais ou menos intenso que o outro e, por isso, terá de aprender a comunicar-se adequadamente com seu parceiro.

Depois de refletir sobre o estilo de comunicação (seu e do seu parceiro), o que fazer para ter mais sucesso em sua comunicação?

A comunicação, assim como o amor, expressa-se de muitas maneiras. No caso do casamento, ambos estão muito unidos. Preste atenção em como seu parceiro gosta de ser elogiado.

Algumas pessoas gostam de palavras amorosas e afirmantes; outras preferem que se passe mais tempo com elas. Alguns se sentem muito bem quando recebem um presente, quando se cozinha para eles, e outros preferem receber um serviço ou ajuda. Para algumas pessoas, o contato físico é muito importante, gostam de andar de mãos dadas, receber uma massagem etc.

Com frequência, pensamos que aquilo de que nós gostamos é o que vai agradar nosso parceiro. No entanto, com o tempo e a observação, percebemos que nem sempre é assim. A comunicação no casal precisa melhorar com o passar do tempo. Quando mais as pessoas se conhecem, mais poderão estar atentas às necessidades umas das outras.

(Artigo de Alicia Pérez-Nuño, publicado originalmente em Por tu Matrimonio)

Tags:
CasamentoComunicação
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia