Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 05 Dezembro |
São Saba
home iconEstilo de vida
line break icon

Tenho medo do ebola, muito medo, mas não vou embora!

European Commission’s Humanitarian Aid and Civil Protection department

Alvaro Real - publicado em 07/08/14

Outro missionário luta contra o ebola: “Não consigo me imaginar usando um traje tipo espacial da NASA para conviver com o meu povo”

São muitos os missionários que convivem hoje com a epidemia do ebola, acompanhando seus passos. E seus familiares estão preocupados com esta situação. Por meio de e-mails, entram em contato com eles, perguntando-lhes sobre sua saúde.

Um missionário publicou em seu blog suas preocupações pessoais, seus medos, mas também sua segurança e sua vontade de continuar com seu trabalho de evangelização.

É o caso de José Luis Garayoa, missionário agostiniano recoleto espanhol. Ele foi sequestrado pelos rebeldes em 1998, na guerra civil que assolou Serra Leoa, mas seus sequestradores não conseguiram amedrontá-lo. Voltou em 2005, para trabalhar na missão de Kamabai. E não pretende deixar que o ebola o vença.

Agora, o medo volta a estar presente em sua vida, mas, neste caso, não se trata do medo de um sequestro, mas de um vírus, como relata em seu blog: “Tenho medo, muito medo, mas, de uma entrevista que li há algum tempo, guardei estas palavras: ‘O medo é o assassino do coração humano, porque, com medo, é impossível ser feliz e fazer os outros felizes’. Só se pode enfrentar o medo com a aceitação, porque o medo é resistência ao desconhecido”.

Suas palavras foram escritas em abril, quando o ebola já fazia estragos na África, mas suas consequências ainda não eram manchete nos jornais do mundo inteiro.

Já naquele momento, o missionário começou a receber ligações e e-mails que manifestavam a preocupação dos seus conhecidos. Inclusive a embaixada o convidou a ser mais precavido e, se possível, que fosse embora de Serra Leoa. Mas ele não lhes deu muita atenção.

“Sei que todos os que me conhecem se surpreenderiam se eu fugisse por medo do contágio. Nunca fiz isso, e já não tenho idade para começar a fazê-lo. Minhas noites se encheriam de pesadelos, ao sentir-me traidor do meu povo. Assim, com ou sem ebola, não pretendo alterar, no mais mínimo, minha saída do país que, se Deus quiser, será somente em setembro”, era sua resposta taxativa.

Em uma das cartas, do Ministério da Educação e do Ministério da Saúde, pedem-lhe que seja extremamente cuidadoso: “Não comer carne de macaco, nem de morcegos, nem de porcos-espinho, nem de animais mortos. Tampouco tocar nos doentes, e simplificar os ritos funerários, porque o cadáver poderia estar contaminado”.

“Não quero nem lembrar dos inúmeros macacos e porcos-espinho que comi celebrando São Francisco Xavier, o santo padroeiro de Kamayeh”, respondeu ele.

De maneira irônica, o missionário falou do protocolo do qual lhe informaram: “Se os infectados se multiplicam em uma aldeia, isolam a aldeia, deixam todos morrerem, e depois incineram o local”. E comentou: “Não consigo me imaginar usando um traje tipo espacial da NASA para conviver com o meu povo”.

Depois, já mais sério, afirmou: “Nós, missionários, não costumamos ser os primeiros em abandonar o barco. E agora tampouco. Se, como diz o Papa, o pastor precisa ter o cheiro das ovelhas, convivendo de perto com elas, então precisará estar presente se o lobo as atacar. Somente o assalariado foge quando vê o perigo chegar. O bom pastor é aquele que dá a vida pelas ovelhas. E isso é o amor que aprendi de Jesus de Nazaré”.

“Nossas vidas continuam estando nas mãos de Deus – e não nas de um vírus chamado ebola”, conclui seu comentário, dando um impressionante testemunho.

Tags:
MedoMissionários
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
HUG
Dolors Massot
Médico abraça paciente com Covid-19 que chora...
PADRE NO ALTAR DA MISSA
Reportagem local
Missa de Crisma é interrompida por policiais ...
Missa de Crisma
Reportagem local
Arcebispo detona interrupção de Missa: "Ocorr...
BOKO HARAM NIGÉRIA
Francisco Vêneto
Terroristas islâmicos degolam mais de 100 pes...
Bispo brasileiro Dom Antônio Carlos Rossi Keller
Reportagem local
Mais um bispo brasileiro detona: "Autoridades...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia