Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 23 Novembro |
Santo Anfilóquio
home iconEstilo de vida
line break icon

Quando a vida purifica um amor à primeira vista

© CandyBox Images/SHUTTERSTOCK

Revista Ser Persona - publicado em 27/08/14

O testemunho de um casal que vive seu amor na alegria e na tristeza, na saúde e na doença...

Roberto e eu fomos grandes amigos por décadas. Desde a adolescência, compartilhamos sempre as mais importantes experiências das nossas vidas, fortalecendo nosso vínculo em cada evento que envolvesse aquilo que ia marcando cada época, com o sinal indelével do assombro e da beleza da vida.


Por isso, quando ele conheceu quem seria a companheira da sua vida, imediatamente me escreveu uma pequena carta informando-me e descrevendo, emocionado, a forma como o cupido acabava de intervir contundentemente em sua vida.


Sua carta dizia mais ou menos o seguinte:

Meu sempre caro Manuel:

Há alguns dias, eu estava em uma trattoria romana diante de um suculento prato de spaguetti, quando me invadiu uma estranha e agradabilíssima sensação que me fez levantar o olhar, para encontrar-me com o olhar de uns intensos olhos claros, em uma belíssima pessoa sentada na mesa vizinha.

Entre o calor e a timidez que me caracteriza, como você bem sabe, correspondi da melhor maneira que pude. Seu olhar parecia concentrar toda a profunda beleza que um rosto pode expressar, deixando espaço somente para a íntima comunhão que nasce espontaneamente entre dois seres diante da descoberta do amor à primeira vista.

De repente, o sentimento que fluía entre ambos foi confirmado por ela com o mais maravilhoso dos sorrisos. Eu, por minha vez, um pouco corado, criei coragem para me aproximar e apresentar-me.

Desde esse momento, não quis perdê-la! Talvez você fique surpreso, mas ela… já é minha namorada! Espero que você a conheça em breve. Seu nome é Susana.



Assisti feliz ao seu casamento com Susana e a outros muitos eventos importantes em sua vida familiar. Hoje, alguns anos depois, encontrei-me com ele no quarto de um hospital, cuidando da sua esposa recém-operada de um carcinoma na mandíbula direita.


Roberto observa o curativo feito por duas enfermeiras. Uma lágrima cai em silêncio pelo rosto de uma das enfermeiras, denotando um momento de angústia.


Ele capta aquele olhar assustado, suplicante, e então faz um gesto para as enfermeiras, que suspendem momentaneamente seu trabalho. Suavemente, e com um sorriso encantador, ele faz sua esposa perceber que é ele quem lhe faz o curativo, enquanto vai sussurrando doces palavras de consolo. Depois, deixa as enfermeiras concluírem, enquanto acaricia o rosto da esposa.


No final do curativo, com a testa coberta de suor, pela natural resistência diante das consequências humanamente desagradáveis da intervenção cirúrgica, ele aproxima se roso e beija a gaze sobre a ferida ainda purulenta, para depois fazer-lhe um carinho.


Ela fecha os olhos, apertando-os intensamente, como na tentativa de absorver a sensação dos dois rostos juntos. Após alguns momentos, os abre para esboçar, com esforço, em seu rosto tumefacto, dolorido e desfigurado, um sorriso de profundo e amoroso agradecimento.


Aquele rosto distante da beleza física do primeiro encontro, descrito na carta de Roberto, ainda expressa a íntima comunhão que continua nascendo espontaneamente, com a confiança de receber do amado o sorriso e a ternura verdadeiros.


Eles se amam com uma liberdade que os eleva muito acima das experiências sensíveis e dos motivos de razão que integraram sua união no começo. Razões todas de bondade, mas que jamais limitariam seu eu libérrimo que preside, com toda a sua vontade, sua entrega mútua em corpo e alma.


Sou testemunha da lição de vida e amor de um casal purificado; de um exemplo de amor grande na vida cotidiana, no qual a vontade enamorada comunica sua presença com rostos e mãos extremamente carinhosos, com o amabilíssimo sorriso e o carinho terno.


São manifestações que tocam a verdade, a bondade e a beleza sublimes do amor conjugal.


(Artigo publicado originalmente pela revista Ser Persona)

Tags:
AmorVida
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
ŚWIĘTA TERESA WIELKA
Philip Kosloski
Oração de Santa Teresa de Ávila para acalmar ...
IOTA
Lucía Chamat
Imagem da Virgem resiste a furacão que devast...
EL TOCUY
Aleteia Brasil
Pe. Gabriel Vila Verde: há muita diferença en...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Atenção: versão falsa e satânica da Medalha M...
POPE AUDIENCE
Reportagem local
A oração de cura que pode ser dita várias vez...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia