Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconEstilo de vida
line break icon

Aborto: este é um problema nosso também

© Wei Hsu and Shang-Yi Chiu

Fórum Libertas - publicado em 30/10/14

Veja o apelo desesperado de uma mulher que trabalha com mães que optaram por não abortar

Como acordar da letargia que a sociedade inteira sofre diante do tema do aborto?

Nós, que trabalhamos com mães que optaram por não abortar, vivemos diariamente o valor da vida humana. Eu incentivo todas as pessoas a saírem da letargia da indiferença sob o escudo do "isso não é problema meu", "o que eu fizer não vai servir para nada" ou "para que complicar minha vida?".

São muitos em nossa sociedade os que desconhecem o que realmente se está fazendo com milhares de bebês que não chegam a nascer porque são – literalmente – jogados no lixo, em um emaranhado de carne e ossos. Todos nós precisamos ser informados sobre a verdade.

É necessário refletir sobre a mudança brutal de sentido das palavras utilizadas para justificar o injustificável: chamar de "interrupção da gravidez" (algo que se refere à mãe) o que realmente é matar um filho não nascido (a quem é dada a categoria de "não é nada").

Se, em uma viagem, devido a um acidente, morressem quatro pessoas, pareceria sarcasmo ou zombaria que as manchetes dos jornais dissessem que o acidente "interrompeu a viagem de quatro pessoas".

Interromper é uma coisa, matar é outra

Quantas mães, devido a este engano com as palavras, não sabem o que estão fazendo realmente! "Interrompem" a gravidez justificando-se com frases repetidas: "Não era hora de ficar grávida", "eu não desejava a gravidez", "estou desempregada" etc. Todas estas frases são usadas para ocultar a verdade: a morte dos seus filhos.

Essas mães poderiam usar a mesma justificativa, por ficar sem emprego ou sozinha, pela morte do marido, por exemplo, ao falar da hipótese de matar algum dos seus filhos? Ninguém na sociedade diria que a mãe interrompeu sua maternidade, nem poderia alegar que sua ação respondia a que "não era hora de ficar viúva", ou que a pobreza ou a viuvez "eram uma situação não desejada".

Será que a única situação que parece dar valor à vida dos filhos é que se encontrem fora do útero materno, de maneira que matar um filho quando está fora do corpo da mulher é um delito, mas matá-lo quando ainda está dentro é um direito? Que hipocrisia! Ou será que estamos loucos?

Os políticos preferem neste caso, como em tantos outros, brincar com as palavras.

Mas a ciência diz algo diferente: diz que o ser humano é humano desde o instante da fecundação do óvulo por um espermatozoide, e o que se forma nesse momento nunca pode ser chamado de "nada" ou "coisa", e sim de "vida humana". Quem nega isso é ignorante, age de má fé ou por interesse.

Novamente, convido todos a saírem da letargia da indiferença diante da farsa da "interrupção voluntária da gravidez". As mães e seus filhos agradecem.

Não só os filhos, também as mães – como podemos testemunhar, ao trabalhar junto delas e de tantos psicólogos e psiquiatras que tratam mães que caíram no engano de abortar e hoje sofrem transtornos. Os médicos que indicaram o aborto não são capazes de curar tais transtornos.

Obrigada por ler estas linhas. Eu o convido, caro leitor, a ajudar nossa sociedade a acordar, a sair da letargia diante do aborto.

(Por Aurora Gallego. Artigo publicado originalmente pelo Fórum Libertas)

Tags:
AbortoVida
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia