Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Quando vou encontrar o homem ideal?

© Antoine K / Flickr / CC
Impaciente en el banco
Compartilhar

O que fazer enquanto se espera pelo príncipe encantado

Suas certezas podem ser muitas: sua vocação é o casamento; você nasceu para estar felizmente casada; seu caminho rumo à santidade está destinado a ser uma pessoa especial; há uma pessoa que, por suas qualidades, virtudes e defeitos, a ajudará a chegar ao céu.
 
Mas é fácil deixar-se levar pela impaciência e desesperança ao não encontrar essa pessoa, ao não ver aquele que lhe prometerá o amor verdadeiro diante de Deus, ao não conhecer o homem a quem você dirá um firme e rotundo “sim”, com a segurança de que ele lhe corresponderá da mesma maneira.
 
Quantas vezes? Se começarmos a contar, provavelmente acabaremos envergonhando-nos da nossa grande falta de confiança em Deus.
 
Se é Ele quem nos conhece em totalidade, se sabe dos nossos pensamentos e sentimentos, nossos sonhos e anseios, se é Ele quem deseja e se preocupa, inclusive mais do que nós, por que sejamos eternamente felizes e vivamos a alegria e paz plenas em nossos corações, é também Ele quem sabe o que nos dará toda essa felicidade e o que nos fará realizar nossos sonhos.
 
Ninguém melhor que Ele tem a resposta a tudo o que, do mais profundo do nosso ser, buscamos.
 
Se isso é assim, se verdadeiramente acreditamos nisso, porque sabemos que Ele é o Amor, que viemos do amor e estamos destinados ao amor, e que tudo o que buscamos poderemos encontrar nele, como duvidar do seu plano?
 
É verdade que, neste mundo, é muito difícil acreditar que ainda existem pessoas dispostas a amar de verdade, a valorizar, respeitar, buscar o bem etc. Mas também é verdade que nós somos parte deste mundo e que, portanto, nossas próprias decisões têm repercussões nele.
 
Tudo o que fazemos nos afeta, e não só a nós, mas também os outros, os que nos rodeiam, até mesmo a natureza. Sendo assim, depende muito de nós que este conceito do mundo mude. Para isso é preciso começar mudando a nós mesmos.
 
Não se trata de refugiar-se no “porque todos são assim, eu sou assim” ou “como ninguém está disposto a amar, eu renunciarei ao meu desejo de ser amada”. Se todos tivessem esta mentalidade, o mundo simplesmente não existiria.
 
No entanto, não é assim. A ressurreição do Senhor Jesus deu sentido à sua crucificação. Não há glória sem cruz e, se há cruz, é porque a glória é possível. Esta é a razão pela qual, até o fim da vida, devemos lutar por amar e ser amados de verdade, porque foi Jesus quem, ao morrer por nós, nos mostrou seu infinito amor, um amor humano, um amor que todos estamos chamados a viver.
 
Então, se sabemos que nossa vocação é o casamento, que nascemos para um dia nos casar, com certeza, em algum lugar, perto ou longe, já existe nosso futuro esposo.
 
Essa pessoa, que Deus pensou para você, vive. Como não esperá-la? Como perder a esperança de encontrá-la? Como renunciar a conhecer aquele que a ajudará a chegar ao céu, a ver o rosto de Deus?
 
O que fazer, então, enquanto esperamos? O melhor caminho é trabalhar em nós mesmos, fortalecer nossas virtudes, diminuir nossos defeitos e preocupar-nos em ser a pessoa ideal para aquele que estará disposto a nos amar!
 
Todos nós precisamos crescer como pessoas, em amor e em virtudes. Precisamos nos fortalecer com o amor de Deus, curar nossas feridas, perdoar e pedir perdão, para que, no dia em que Ele colocar no nosso caminho a pessoa indicada e pensada para nós, sejamos capazes de dar-lhe o melhor de nós mesmos, amando sem resíduos das nossas feridas, com autenticidade, sem egoísmos, de maneira incondicional e total.
 
Assim, quando somos pessoas virtuosas, que respeitam e exigem respeito, que amam e buscam ser amadas, que valorizam e pedem que as valorizem, aqueles que estiverem dispostos a entrar em nossas vidas serão aqueles que respeitam, amam e valorizam, porque os que não o fazem simplesmente nem se aproximarão.
 
Dessa maneira, a pessoa que Deus pensou para nós chegará mais rápido à nossa vida, ajudaremos o plano divino a se realizar, colaboraremos com o Senhor para que sua vontade seja feita.
 
No entanto, se estamos cobertos pelo pecado, se não nos preocupamos por amar, se não colocamos meios concretos para ser pessoas melhores, se usamos e nos deixamos usar, só estaremos cercados disso e não conheceremos mais.
 
Nossa vida, assim, poderá ficar muito limitada, deixando-nos cegos diante da verdade, e isso nos desviará do caminho que nos leva à eterna felicidade, pela qual ansiamos e continuaremos desejando até o final das nossas vidas.
 
Pense nisso!
 
(Via Opción V)
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.