Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 23 Novembro |
Santo Anfilóquio
home iconEstilo de vida
line break icon

Limites: educamos ou censuramos nossos filhos?

lightwavemedia

Radio Maria - publicado em 18/04/15

O olhar dos pais é o grande ansiolítico que as farmácias não vendem

A Rádio Maria entrevistou o Dr. Enrique Orchansky, pediatra, doutor em Medicina e Cirurgia e docente da cátedra de Clínica Pediátrica da Universidade Nacional de Córdoba. Dessa vez, o médico falou sobre os limites e sobre quando e como colocá-los.

Segundo o Dr. Enrique, o que os pais mais perguntam ao pediatra é como começar a colocar limites. Atualmente, as crianças estão desafiando hierarquias e a relação pais-filhos se tornou mais horizontal.

"As crianças estão desafiando hierarquias porque os pais deixaram sua autoridade de lado. Os filhos falam com eles como com um amigo, com desafios e às vezes insolência", comentou o pediatra.

Nesta ruptura de autoridade, os pais se comportam como iguais com seus filhos, gerando que as crianças não reconheçam nem respeitem os limites impostos.

Depois dos 6 ou 7 anos de idade, o dilema é o que fazer com os limites que não foram colocados a tempo. É importante saber que pode haver uma volta aos limites, neste caso.

Segundo o médico, são os pais que devem voltar à postura de autoridade, impondo limites próprios, já que "os filhos aprendem daquilo que veem, e não só do que escutam. E o que estão vendo são pais sem limites".

Por isso, é importante educar com o exemplo, ter horários, formas e comportamentos que as crianças possam imitar e que não contradigam os limites ensinados aos filhos.

Uma questão importante ressaltada pelo pediatra é que os momentos de reencontro em família, descanso e desconexão das obrigações favorecem que a criança assimile limites. Os filhos precisam do olhar dos seus pais para sentir-se seguros, tranquilos e realizados como pessoas.

"O olhar dos pais é o grande ansiolítico que as farmácias não vendem; ele é distribuído nas famílias, mas está em falta", comentou o Dr. Enrique. A falta de atenção por parte dos pais gera birras e crianças mimadas.

Tags:
FilhosPaternidade
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
ŚWIĘTA TERESA WIELKA
Philip Kosloski
Oração de Santa Teresa de Ávila para acalmar ...
IOTA
Lucía Chamat
Imagem da Virgem resiste a furacão que devast...
EL TOCUY
Aleteia Brasil
Pe. Gabriel Vila Verde: há muita diferença en...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Atenção: versão falsa e satânica da Medalha M...
POPE AUDIENCE
Reportagem local
A oração de cura que pode ser dita várias vez...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia