Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Será inaugurada em setembro a Biblioteca Romana Joseph Ratzinger

Creative Commons
Compartilhar

Vida e obra do papa emérito Bento XVI contarão com um bem merecido ponto de referência para estudos

A Biblioteca Romana Joseph Ratzinger – Bento XVI é uma iniciativa dedicada à vida e ao pensamento de Ratzinger tanto como estudioso quanto como papa. Localizada nas instalações do Colégio Teutônico e do Instituto Romano da Sociedade de Görres, a biblioteca já está aberta ao público, mas a seção específica dedicada a Bento XVI será inaugurada em setembro.

Inicialmente com mil títulos em várias línguas, o local receberá os interessados ​​nas obras de Joseph Ratzinger ou escritas por outros autores a respeito da vida e da teologia do papa emérito. O próprio Bento XVI doou parte do acervo, que poderá ser consultado na biblioteca de segunda a quinta-feira. No entanto, o acesso on-line a todo o catálogo também já está sendo preparado.

Apesar de aberta a partir de setembro, a nova ala da biblioteca focada em Joseph Ratzinger terá uma cerimônia oficial de inauguração no dia 18 de novembro. O cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, apresentará na ocasião a palestra "Da Bíblia à Biblioteca – Bento XVI e a Cultura da Palavra".

ALGUMAS DAS OBRAS

Antes do pontificado, o então cardeal Ratzinger publicou mais de vinte livros, entre os quais repercutiram com grande destaque "O sal da terra", de 1997, "Dominus Iesus", de 2000, e o célebre livro-entrevista "Informe sobre a fé", com Vitorio Messori, em 2005.

Como papa, Bento XVI lançou "Jesus de Nazaré", sobre a vida de Cristo, além das exortações apostólicas "Sacramentum Caritatis", de 2007, e "Verbum Domini", de 2010, e das cartas encíclicas "Deus Caritas Est", de 25 de janeiro de 2006, "Spe salvi", de 30 de novembro de 2007, e "Caritas in Veritate", de 29 de junho de 2009. Ele também escreveu a "Lumen Fidei", publicada em 5 de julho de 2013, já após a sua renúncia, e assinada pelo papa Francisco, que colaborou com algumas passagens.