Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 21 Janeiro |
São Sebastião
home iconAtualidade
line break icon

Exército sírio assume controle do último grande reduto rebelde em Latakia

Agências de Notícias - publicado em 25/01/16

As forças do governo sírio assumiram neste domingo o controle da localidade de Rabia, último reduto rebelde estratégico na província costeira de Latakia (oeste), no momento em que a ONU prepara um diálogo de paz, uma tentativa de acabar com quase cinco anos de guerra civil.

“As Forças Armadas, em coordenação com as tropas de defesa popular, assumiram o controle da localidade de Rabia”, próxima à fronteira com a Turquia, anunciou a televisão estatal, que citou uma fonte militar.

A província costeira de Latakia é o berço da família Assad, que governa a Síria há mais de quatro décadas.

Rabia foi ocupada pelos rebeldes em 2012 e, desde então, permaneceu sob controle de diferentes grupos insurgentes, entre eles a Frente Al-Nusra, braço sírio da Al-Qaeda.

A cidade caiu em poder das forças governamentais e das forças de defesa popular (milícias favoráveis ao presidente Bashar al-Assad) na madrugada de domingo, após uma ofensiva de vários dias, informou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), que tem sede no Reino Unido.

A queda de Rabia, após a de Salma, outra cidade estratégica de Latakia, em 12 de janeiro, permite às tropas de Assad cortar as rotas de reabastecimento dos rebeldes a partir da Turquia, afirmou à AFP Rami Abdel Rahman, diretor do OSDH.

“A ofensiva contra Rabia foi supervisionada por autoridades militares da Rússia e apoiada pelos ataques aéreos russos”, completou Abdel Rahman.

“Cumpriram um papel essencial na captura de Rabia”, completou Rahman, em referência aos russos.

De acordo com o OSDH, a população continua sofrendo as consequências do conflito: mais de 90 civis morreram nos bombardeios dos últimos dias, que a ONG atribui à aviação russa.

De acordo com o analista Fabrice Balanche, Rabia “é a interseção de todas as rotas de abastecimento da região”, com o cruzamento dos caminhos para o norte do país, na fronteira com a Turquia, com outras posições dos rebeldes no leste.

“Ao controlar esta rota, o exército sírio pode bloquear os movimentos dos rebeldes para o sul, para Latakia, e os rebeldes vão passar por momentos difíceis”, disse o especialista.

Um comandante do exército sírio disse à AFP que “nos próximos dias poderemos anunciar que toda Latakia, a cidade e a província, estão livres de grupos armados” rebeldes.

‘Sem terroristas à mesa’

Neste domingo, o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, disse que as próximas negociações organizadas pela ONU em Genebra devem incluir rebeldes islamitas, mas excluir os extremistas.

“Onde é possível esperar encontrar grupos moderados depois de cinco anos de guerra civil e violência extrema?”, questiona Steinmeier em uma entrevista ao jornal Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung.

“Temo que passou o momento em que é possível escolher os interlocutores e os negociadores”, disse. O diplomata, no entanto, explicou que não quer “nem terroristas, nem extremistas islâmicos à mesa”.

Na semana passada, os principais delegados da oposição síria anunciaram que seu principal negociador será um líder rebelde islamita apoiado por Riad, Mohamed Alush, do grupo armado Jaish al Islam (Exército do Islã, em árabe).

A escolha foi questionada pelo governo de Damasco, que considera o Jaish al Islam um grupo “terrorista”. Também foi questionada por outros grupos opositores, que consideram inaceitável que a delegação seja liderada pelo integrante de um grupo armado.

As negociações deveriam começar na segunda-feira 25 de janeiro, mas as partes ainda discutem o complexo tema da representação, o que pode provocar o adiamento do início das conversações.

Neste domingo, a Turquia prendeu 23 supostos membros do grupo Estado Islâmico (EI) que tentaram atravessar a fronteira a partir da Síria. Ao lado dos jihadistas estavam 21 crianças, indicou o exército turco.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Larry Peterson
Ela se divorciou duas vezes, teve 8 filhos, virou freira e levou ...
2
FETUS
Francisco Vêneto
Abortos no mundo em 2021 já superam mortes por covid em toda a pa...
3
Pope Audience Wednesday
Vatican News
A importância de ir à Missa aos domingo, segundo o Papa Francisco
4
POPE AUDIENCE
Reportagem local
A oração de cura que pode ser dita várias vezes por dia
5
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fátima - e uma interpret...
6
BLESSED CHILD
Philip Kosloski
Cubra seus filhos com a proteção de Deus através desta oração bíb...
7
UNPLANNED
Jaime Septién
Filme contra o aborto arrasa nas bilheterias dos EUA
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia