Aleteia

6 destruidores de casamentos que precisam ser combatidos

© public domain
Compartilhar
Comentar

Para fazer a união durar a vida toda é preciso lutar contra hábitos nocivos que, pouco a pouco, sabotam seu relacionamento

No rito do casamento, os noivos prometem se amar “até que a morte os separe”. Só que essa separação pode ocorrer muito antes se não houver preocupação alguma em proteger a relação de ameaças. Uma união duradoura não se faz só com sentimentos, mas também com determinação e sacrifícios.

Aqui descrevemos sete destruidores do casamento que você e o seu cônjuge precisam evitar para que a união de vocês dure a vida toda.

1. Ser o centro do mundo

Lembre-se, vocês são um casal. Sempre – sempre, mesmo – considere como as suas decisões e ações podem afetar o seu cônjuge. Não feche seu raciocínio entorno de si mesmo e dos seus sentimentos. As emoções do seu marido ou esposa precisam ser levados em conta. Portanto, peça a opinião dele(a) sobre decisões importantes que podem afetar a família e ouça-o com atenção antes de reagir. Vocês estão juntos nessa, de modo que as decisões não podem ser tomadas em uma só direção.

2. Controle total

Finanças, tarefas do lar, crianças, cozinha, viagens, etc. São elementos demais para que uma só pessoa controle tudo, sozinha. Se você quer manter um casamento saudável, precisa suavizar a vontade de controlar tudo e permitir que o seu cônjuge tenha voz. O casamento é uma parceria, e para que seja uma parceria feliz, você não pode ter a palavra final sempre. Dê ao seu cônjuge a oportunidade de fazer parte das decisões e aprenda a ceder.

3. Desprezo do afeto

Sem sexo, sem abraços, sem beijos, sem mãos dadas: eis os ingredientes para transformar o matrimônio numa rotina melancólica e fria. Vocês não precisam de sexo todas as noites para ser felizes, mas somos seres humanos e precisamos de afeição. Seja um beijo, um abraço ou assistir a um filme bem juntinhos. Preocupe-se em dar ao outro algum tipo de carinho todos os dias.

4. Abuso verbal

Xingamentos, comentários críticos o tempo todo ou julgamentos custam muito para a autoestima de uma pessoa. Não cause frustrações ao seu cônjuge. É natural se irritar às vezes, mas não permita que a raiva o domine, a ponto de dizer verdadeiras crueldades. Aprenda a dar voz às suas frustrações sem fazer uso de insultos. É questão de autocontrole.

5. Sem tempo juntos

É verdade que os filhos são importantes, mas também é importante ter momentos de qualidade como casal. O relacionamento de vocês é a base da sua família – que seja uma base firme. Os seus filhos vão olhar para você como um exemplo do que um casamento digno deve ser. Encontrem tempo para estar um com o outro sem as crianças. Aprenda a aproveitar a companhia do seu cônjuge.

6. Mentir em troca de tranquilidade

Para evitar discussões ou conversas difíceis, muitas pessoas escolhem o atalho da mentira e podem acabar se acostumando com esse venenoso vício. Nenhum casamento se sustenta tendo ilusões como alicerce. Seja honesto e construa o seu relacionamento na verdade. Ser fiel não tem a ver só com sexo, mas sim com ser emocionalmente honesto com o outro e preocupado com os seus sentimentos.

 

 

(via Sempre Família)

Tags:
casamento
Boletim
Receba Aleteia todo dia