Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 16 Junho |
Santos Julita e Ciro
home iconAtualidade
line break icon

O país em que 90% das crianças estão abandonadas à própria sorte – em pleno 2016

Aleteia Brasil - publicado em 28/03/16

Mais um escândalo de guerra que a mídia não escancara: o inferno das crianças do Iêmen

A organização internacional Save the Children se dedica desde 1919 a defender crianças e seus direitos nos lugares do planeta em que o resto da “civilização” as ignora.

No mês passado, Aleteiadivulgou o mais recente relatório dessa organização sobre a pavorosa situação infantil na Síria após cinco anos de uma guerra doentia.

Desta vez, o cenário de inferno denunciado pela Save the Children é o Iêmen, país que, já antes da guerra atual, era o mais pobre do Oriente Médio e que agora, com os conflitos em andamento, sofre uma das piores crises humanitárias do planeta. O relatório “As crianças do Iêmen sofrem em silêncio” explica que a vida de milhares de crianças corre grave perigo devido aos combates e aos bloqueios e restrições para a ajuda humanitária vital. Edward Santiago, diretor geral da Save the Children no Iêmen, também declara enfaticamente que os governos do Ocidente são cúmplices neste drama:

“Ao optarem por apoiar a ação militar ignorando as consequências devastadoras para os civis, os governos internacionais estão intensificando a crise e colocando em risco a vida das crianças”.

Algumas das informações assombrosas de Edward Santiago:

  • “Passado um ano desde que o conflito no Iêmen se intensificou, quase 90% das crianças do país precisam de ajuda humanitária de emergência. Dez milhões de crianças estão em situação de desespero – vastamente ignorada. Uma geração inteira de crianças foi abandonada à própria sorte”.
  • “Para milhões dessas crianças, o pavor dos ataques aéreos e dos bombardeios e a destruição de tudo o que as cerca já faz parte da vida diária – e não podemos permitir que isso continue assim”.
  • “O médico de um hospital apoiado pela Save the Children em Sana’a nos disse que um recém-nascido morreu no mês passado porque faltou luz e as incubadoras se desligaram. Tinha acabado o combustível dos geradores auxiliares”.
  • “Os outros hospitais e postos de saúde com os quais trabalhamos estão ficando sem material básico: antibióticos, iodo, curativos. Nos últimos seis meses, duplicaram ou até triplicaram os casos de doenças potencialmente fatais nesses contextos, como a malária, a desnutrição aguda grave, os problemas respiratórios e a diarreia”.
  • “No Iêmen, de cada três crianças com menos de 5 anos, uma tem desnutrição aguda. São quase 10 milhões sem acesso à água potável e mais de 8 milhões que não conseguem receber os cuidados básicos de saúde. Cerca de 600 hospitais e centros de saúde fecharam porque sofreram danos estruturais ou porque ficaram sem recursos”.
  • “Uma pesquisa da Save the Children com 150 crianças em Aden e Lahj apontou que 70% das crianças apresentam sintomas ligados a sofrimento e traumas, incluindo ansiedade, baixa auto-estima, sentimentos de tristeza e falta de concentração”.
  • “Cada vez mais crianças são recrutadas por grupos armados, raptadas, mantidas reféns e obrigadas a arriscar a vida, por causa de milhares de minas terrestres que foram espalhadas”.
  • “Os países ricos estão virando a cara diante do sofrimento das crianças. Em alguns casos, estão até fazendo negócios de bilhões de dólares com a venda de armas que são usadas contra civis”.
  • “As resoluções do Conselho de Segurança da ONU são ignoradas, em total desrespeito ao direito internacional e à proteção de civis, especialmente das crianças. É preciso muito mais ajuda para quem sofre e muito mais pressão diplomática para acabar com o conflito no Iêmen”.

Enquanto isso:

O plano da ONU para o Iêmen recebeu apenas 56% dos fundos previstos em 2015. Do previsto para 2016, 12% se concretizaram até agora. Não houve financiamento algum, no entanto, para a educação e proteção das crianças.

Cerca da metade das crianças em idade escolar no Iêmen estão privadas do acesso à educação – até porque há em média dois ataques por semana contra escolas.

Mais de 1.600 escolas estão fechadas ou sendo usadas ​​como abrigos de emergência para as famílias forçadas a fugir da própria casa.

Tags:
FilhosGuerraMundoPolítica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BABY GIRL
Mathilde de Robien
12 nomes de meninas cujo significado é ligado a Deus
2
Lucía Chamat
A curiosa foto de “Jesus” que está comovendo a Colômb...
3
POPE FRANCIS - PENTECOST MASS - SUNDAY
Comunidade Shalom
Depois da Comunhão, o que (e por quem) é mais aconselhável rezar?
4
Reportagem local
Poderoso filme de 1 minuto sobre casamento rende prêmio a cineast...
5
Reportagem local
Papa Francisco explica quais são os piores inimigos da oração
6
PASSION OF THE CHRIST
Cerith Gardiner
7 provações e tribulações que Jim Caviezel enfrentou ao interpret...
7
Reportagem local
Você é madrinha ou padrinho? Sabe o que isso significa?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia