Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 19 Janeiro |
Santo Arsênio de Corfú
home iconAtualidade
line break icon

O bispo que viveu 36 horas como “sem teto” e 'virou' arcebispo

Vatican Insider - publicado em 16/07/16

Uma das experiências mais fortes para o bispo Bolen foi justamente a de sentar-se com um gorro para pedir esmola

Por Giorgio Bernardelli

Ele pediu esmolas pelas ruas para poder comer. Viveu as dificuldades para encontrar um lugar para se lavar ou onde lhe prescrevessem um remédio. Passou uma noite em um catre de dormitório público. Todas estas são fadigas diárias na vida de uma pessoa sem teto; mas, são um pouco menos cotidianas se quem as realiza é o bispo de uma cidade. Mas, foi justamente isso o que viveu durante 36 horas dom Donald Bolen, que desde 2009 é bispo de Saskatton, no Canadá, e a quem justamente na segunda-feira passada o Papa Francisco nomeou arcebispo de Regina, na mesma Província de Saskatchewan.

Dom Bolen (de 55 anos, originário de Gravelbourg e com alguns meses de experiência no Vaticano como oficial do Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos) aderiu a uma campanha de sensibilização sobre as pessoas sem teto promovida pela entidade local Sanctum Care Group, que se ocupa em oferecer ajuda aos doentes de aids.

Participaram 10 personalidades de Saskatoon: desde o coordenador da comunidade nativa até um professor universitário, passando pelo cantor “folk” o ex-policial e, efetivamente, o bispo (que, além disso, é membro do conselho do Sanctum Group). Todos eles tiveram que viver de maneira incógnita durante um dia e meio nas ruas, em uma espécie de “reality show”. Roupa de segunda mão e sem nada de dinheiro; carregavam somente um celular para poderem ser localizados a qualquer momento. Cada um dos participantes tinha uma tarefa, para que sentissem verdadeiramente nessas poucas horas como é a vida de uma pessoa sem teto.

Depois, terminadas as 36 horas, uma janta de gala. Ocasião para angariar fundos para um novo centro que se ocupará dos cuidados pré-natal para os filhos de mães com aids; mas também para ouvir as experiências de cada um dos participantes da iniciativa, para que contassem o que viveram nas 36 horas anteriores.

“A sensação mais forte – disse dom Bolen – é a de experimentar toda a vulnerabilidade das situações nas quais nos encontramos. No bairro onde moro há muitas situações que eu conhecia, tinha ouvido falar, mas aí tive a oportunidade de vivê-las na pele, de experimentar a dureza e o sofrimento que existe a poucos passos da minha casa, bem como a alegria das relações simples entre as pessoas”.

“Diminuir o passo e estar presente de verdade nas ruas do bairro me fez compreender muitas coisas – acrescentou. Quando você vai devagar, quando se torna vulnerável, quando a realidade leva você a enfrentar qualquer situação e entrar em uma relação para ter um diálogo, há tantas coisas que se aprende”.

Uma das experiências mais fortes para o bispo Bolen foi justamente a de sentar-se com um gorro para pedir esmola em uma esquina da Rua 20, no centro da cidade. “Eu estava com o Félix (o coordenador da comunidade nativa, ndr). Ficamos aí mais de uma hora. Além de seus parentes que passaram para saudá-lo e outra pessoa que lhe disse ‘Olá’, ninguém nos dirigiu sequer um olhar. Foi a experiência da invisibilidade das pessoas sem teto e de todos os que são pobres ou fracos”.

Um gesto concreto para compartilhar estas experiências, em sintonia com o estilo que desde o princípio marcou o ritmo do episcopado de dom Bolen. Em 2009, quando o Papa Bento o nomeou bispo, escolheu como lema uma frase de Thomas Merton, na qual a palavra “misericórdia” aparece três vezes: “Misericórdia na misericórdia na misericórdia”. Uma frase com a qual o monge estadunidense resumia seu olhar de Deus sobre o profeta Jonas.

É o estilo que acompanhará dom Bolen também em seu novo ministério na Arquidiocese de Regina, com um território enorme, mas em que vivem menos de 500 mil pessoas. Em uma entrevista ao canal de televisão inglesa da Rádio Vaticano, Bolen disse, após tomar conhecimento da nomeação como arcebispo de Regina, que continuará “servindo aos que vivem à margem e nas periferias”, com uma particular atenção pelas populações nativas.

“Vou procurar caminhar com eles – disse –, aprendendo deles e comprometendo-me na forma de diálogo que é possível agora”. E também seguirá como modelo a maneira que o Papa Francisco consegue manter juntos o pedido de justiça do ponto de vista das estruturas sociais e a disponibilidade de não perder de vista “o pobre ou aqueles que têm necessidades concretas e que se encontram na rua”. “Fazer estes dois aspectos dialogarem – concluiu – é encarnar de maneira confiável a Doutrina Social da Igreja”.

Tags:
HumildadePobreza
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Pope Audience Wednesday
Vatican News
A importância de ir à Missa aos domingo, segu...
UNPLANNED
Jaime Septién
Filme contra o aborto arrasa nas bilheterias ...
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
Aleteia Brasil
Foi com esta oração que um brasileiro obteve ...
BLESSED CHILD
Philip Kosloski
Cubra seus filhos com a proteção de Deus atra...
Reportagem local
Médica perde pai para covid: "Tomei a mais di...
BABY BAPTISM
Padre Reginaldo Manzotti
Por que é tão importante batizar uma criança?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia