Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Surpresa: quem celebrou o casamento deles foi… o Papa Francisco!

©FrancoDeRosa/Twitter/GuidoMarini
Compartilhar

Dois jovens surdos recebem uma graça extraordinária na capela da Casa Santa Marta

No último dia 9 de julho, o Papa Francisco celebrou o matrimônio de um casal de jovens surdos na pequena capela da Casa Santa Marta, local de residência do Santo Padre.

Francisco, que considera a si mesmo como “um pastor 24 horas”, interrompeu os seus dias de férias anuais (é verão agora na Itália) para rezar a missa do casamento de Teodoro Pisciottani e Paulina Szczepanska, filha de um porteiro do Vaticano.

Os cônjuges selaram seu pacto de amor eterno com a bênção do Papa durante um evento familiar único, inclusive para as duas filhas pequenas que o casal já tinha antes de abraçar o sacramento matrimonial.

Teodoro e Paulina são, respectivamente, presidente e vice-presidente do Comitê Italiano de Jovens Surdos, na seção de Pádua.

Este foi o primeiro casamento oficiado pelo Papa Francisco na capela da Casa Santa Marta, onde todas as manhãs ele celebra a Santa Missa.

No entanto, já foram vários os matrimônios que ele oficiou na Basílica de São Pedro. No de 14 de setembro de 2014, por exemplo, o Santo Padre recordou aos novos esposos: “O casamento é o caminho em comum de um homem e de uma mulher”; é a “reciprocidade das diferenças” e não uma “novela”.

Sempre consciente dos desafios que o cotidiano impõe a qualquer casal, o Papa Francisco lhes aconselha com frequência: “Vocês podem até brigar, mas, todas as vezes, façam as pazes”.

É tradicional que o papa receba os recém-casados nas audiências gerais das quartas-feiras e os convide a ser sempre testemunhas do amor da família.