Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Visita ao Brasil em 2017: “Não sei se será possível”

CTV
Compartilhar

“Em 2013 eu prometera que voltaria no próximo ano ao Brasil: não sei se será possível”. O Papa duvida. Não está seguro se poderá cumprir a promessa e visitar mais uma vez o Brasil.

Ele falou isto, neste sábado, quando abençoou uma réplica de Nossa Senhora Aparecida que foi colocada nos Jardins do Vaticano.

Ele havia se comprometido de voltar ao santuário de Aparecida em 2017, quando se cumprem 300 anos do achado da estátua original. Mas a crise política afasta cada vez essa possibilidade.

Por iniciativa da embaixada brasileira ante a Santa Sé e a Arquidiocese de Aparecida, guiada pelo cardeal Raymundo Damasceno Assis, a virgem negra chegou até o Vaticano. Na cerimônia de inauguração ante autoridades religiosas e civis, o Papa tomou a palavra e expressou as suas dúvidas. Não somente, mas também se mostrou muito preocupado com a sorte dos mais pobres e desfavorecidos.

“Convido-lhes a rezar para que ela continue a custodiar todo o Brasil, todo o povo brasileiro, neste momento triste; que proteja os pobres, os descartados, os anciãos, os abandonados, as crianças que vivem na rua”, disse.

Antes tinha confessado: “Estou contente que a imagem de Nossa Senhora Aparecida esteja nos jardins. Em 2013 prometera que voltaria ao Brasil no próximo ano: não sei se será possível, mas ao menos a terei aqui mais próxima”.

Pediu também que a virgem cuide dos que são “descartados” e postos nas mãos dos “exploradores de todo tipo”, que salve a seu povo com a justiça social e com o amor de Jesus Cristo.

Recordou que a pequena estátua de Aparecida foi encontrada por pobres trabalhadores e desejou que atualmente seja “encontrada por todos”, de modo especial por aqueles que estão desempregados, que necessitam de educação e pelos que estão privados da igualdade.

No dia 24 de julho de 2013, ainda nos primeiros meses depois da sua eleição pontifícia, o Papa Francisco foi até o santuário de Aparecida, em São Paulo. Nesse mesmo lugar, em 2007, teve um papel relevante na assembleia dos bispos da América Latina. Vários observadores consideram que sua participação nesta conferência – na qual foi presidente da Comissão que redigiu o documento conclusivo – foi fundamental no caminho que o levaria ao papado.

Naquela visita, já como Papa, Jorge Maria Bergoglio prometeu que voltaria em 2017, quando se celebra o 300º aniversário do achado da estátua da virgem morena.

Segundo Vatican Insider pode saber, a dúvida do Papa provém da situação de instabilidade política no Brasil depois do processo de ‘impeachment’ que determinou a remoção da presidente Dilma Rousseff.

Nestes últimos dias se soube que Francisco escreveu uma carta pessoal para Dilma, mas o conteúdo não foi tornado público.

A visita apostólica para a Colômbia, na primeira metade do ano que vem, já está confirmada. Por isso Francisco pensara em unir a esta viagem a etapa brasileira. Mas este plano se torna mais improvável, sobretudo por causa da crise institucional de destino incerto.