Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Você sabia que Bento XVI ia se chamar João Paulo III, mas desistiu?

© Antoine Mekary / ALETEIA
New swiss guard stand during a swearing-in ceremony in Vatican City, on May 6, 2016.
Compartilhar

Ele mesmo explica, com muita simplicidade, o motivo

Na última sexta-feira, 9 de setembro, foi publicado o livro-entrevista “Bento XVI: últimas conversações“, que apresenta uma longa conversa entre o Papa Emérito e o jornalista alemão Peter Seewald.

Entre os vários assuntos do livro, Bento XVI conta, com humildade, por que desistiu de se chamar João Paulo III:

“Eu teria visto como excessivo, porque era uma comparação que não poderia sustentar”.

Além da amizade com João Paulo II, a quem conheceu durante o Concílio Vaticano II, Bento XVI também fala da sua ligação com o Papa Francisco. Bento o considerava, quando cardeal de Buenos Aires, “um homem muito decidido, que dizia com muita resolução na Argentina: ‘Isto se faz ou não se faz’. [Por isso] a sua cordialidade, a sua atenção aos outros, eram aspectos dele que eu não notava. Foi uma surpresa [conhecê-lo melhor]”.

ultime-conv
Garzanti

A vaticanista italiana Angela Ambrogetti, da ACI Stampa, comenta que, neste livro, Bento XVI “fala de si mesmo com doçura e humildade, mas também com a clara consciência daquilo que realizou em sua vida e no pontificado. Reforma, esforços, escolhas certas e erradas, ele não foge de nada dos anos do pontificado e deste tempo que está vivendo, de um jeito novo para a Igreja. E fala com o sereno olhar de quem usa o coração antes da razão, com plena confiança em Deus”.