Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Papa Francisco convoca sínodo sobre os jovens para 2018

© Jeffrey Bruno / KAI / CNA / ALETEIA
KRAKOW, POLAND 28 JULY: Pope Francis greets the WYD Pilgrims at the 31st Annual Event in the home town of Saint John Paul II.
Compartilhar

“Os jovens, a fé e o discernimento vocacional” é o tema da XV Assembleia do Sínodo dos Bispos, que se realizará em outubro de 2018

O papa Francisco convocou para outubro de 2018 um sínodo, ou assembleia de bispos de todo o mundo, sobre os jovens e os novos modelos de vida, anunciou o Vaticano.

Os bispos de todas as regiões do planeta se reunirão no Vaticano para debater sobre as mudanças que afetam a juventude, a fé e o “discernimento vocacional”.

A decisão do pontífice foi adotada após consultas às conferências episcopais e depois de ouvir as observações dos padres sinodais nas assembleias passadas, dedicadas à família.

A Igreja Católica deseja “acompanhar os jovens em seu caminho existencial até a maturidade”, de maneira a enfrentar a crise de vocações que a afcta atualmente.

Em muitos países caiu o número de jovens que desejam ser padres ou dedicar-se à vida religiosa, um fenômeno que preocupa a hierarquia da Igreja Católica.

Em outubro de 2014 e 2015, durante os dois sínodos dedicados à família, as divisões dentro da Igreja ante as mudanças sociais se tornaram evidentes.

Após as deliberações, o papa Francisco divulgou em abril sua segunda exortação apostólica, “Laetitia Amoris” (“A alegria do amor”), um documento que estabelece as diretrizes da Igreja sobre a família, o amor e o casamento.

O documento, fruto dos dois encontros, convida a integrar na vida da Igreja as “famílias feridas” e os “casados em segundas núpcias”, um princípio que deverá ser aplicado caso por caso.

(Com AFP)