Aleteia

Real Madrid elimina a cruz de seu escudo nos países árabes

Compartilhar
Comentar

Medida foi tomada por causa de contrato com patrocinador. Você concorda?

Segundo informações publicadas em vários jornais esportivos espanhóis, o Real Madrid C.F. decidiu eliminar a tradicional cruz de seu escudo nos uniformes da equipe comercializados em alguns países do Oriente Médio.

Esta decisão ocorreu depois de um acordo que o clube assinou com Marka, uma empresa de distribuição varejista dos Emirados Árabes Unidos e que tem os direitos de fabricação, distribuição e venda exclusivos dos produtos do Real Madrid nos Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Qatar, Kuwait, Bahrain e Omã.

Este acordo, que afetará a linha da roupa que utilizará a marca Real Madrid, segundo informa o jornal ‘El País’, está previsto que comece no próximo mês de março, tenha uma validade para os próximos cinco anos e que dê ao clube um lucro de 52 milhões de euros (mais de 55 milhões de dólares).

Estes países têm uma população majoritariamente muçulmana, por isso, Khaled al Mheiri, vice-presidente da Marka, declarou à Reuters: “Temos que ser cuidadosos com regiões do Golfo que são sensíveis a produtos que contenham a cruz”.

Al-Mehiri também é proprietário do Café do Real Madrid em Dubai e recordou que o clube tem duas versões – com e sem cruz na coroa – para sua comercialização dentro ou fora do mercado árabe e que, portanto, sua companhia utilizará a versão sem a cruz cristã para evitar suscetibilidades culturais.

Esta não é a primeira vez que o clube decide tirar a cruz de seu escudo, pois em 2014, quando o patrocinador do Real Madrid era o Banco Nacional de Abu Dhabi, também a retirou. Apesar de que milhares de pessoas pediram ao presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, que não o fizesse.

Então, a porta-voz da Associação ‘Enraizados’ declarou que essa decisão de Florentino Pérez supunha “um desprezo aos cristãos perseguidos no mundo” e “também menospreza as raízes cristãs da civilização europeia e dá as costas à história do clube. Se assinarem um contrato com uma República não podem tirar o título de ‘Real’, verdade? Então, por que retiram a cruz nos Emirados Árabes?”.

Outra situação semelhante ocorreu em 2012, quando se apresentou o Real Madrid Resort Island, um parque temático da equipe na ilha Marjan nos Emirados Árabes Unidos, onde também decidiram modificar a coroa do escudo para que não tivesse símbolos cristãos. Finalmente, não chegaram a terminar este projeto devido a falta de recursos.

Outros clubes como o FC Barcelona ou o Paris Saint Germain também decidiram eliminar os símbolos cristãos de seus escudos.

No caso do Barcelona, foi a cruz de São Jordi em seu merchandising na Arábia Saudita, e no do Saint Germain, ao ser propriedade da família real do Qatar, decidiram eliminar o símbolo do santo francês do qual provém o seu nome por considerá-lo ofensivo para o mundo árabe, pois está associado a uma dinastia que participou das cruzadas.

Entretanto não se sabe se estes países foram estritos da mesma maneira com outras marcas que também incluem cruzes em seus emblemas, como os automóveis de Alfa Romeo.

A plataforma ‘Enraizados’ lançou um abaixo-assinado dirigido às autoridades do Real Madrid, exigindo que mantenha a cruz em seu escudo.

via ACI Digital

Boletim
Receba Aleteia todo dia